AO SANFONEIRO AMIGO, GIULLIAN

04 de Fevereiro de 2012 Celso Cruz (Brocoió) Cordel 1169

Eu enxergo sua sanfona
Como seu peito rasgando
É o seu coração mostrando
A grande diversidade
De sentimentos de bondade
Um arco íris de cores
De folhas, frutos e flores
De acordes, de arpejos
De esperança, desejos
Atributos e valores

É a sanfona chorando
É a sanfona gemendo
É a sanfona cantando
É o coração dizendo
Deixe a sanfona chorar
Deixe a sanfona gemer
Deixe a sanfona cantar
O seu alegre viver

São sentimentos eclodindo
Em bemóis e sustenidos
Como se o coração comprimido
Ganhasse a liberdade
E gritasse sua verdade
Bradasse sua conquista
Pra que o mundo todo assista
De forma melodiosa
A grandeza fervorosa
Da alma de um grande artista

É a sanfona chorando
É a sanfona gemendo
É a sanfona cantando
É o coração dizendo
Deixe a sanfona chorar
Deixe a sanfona gemer
Deixe a sanfona cantar
O seu alegre viver

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Amor ou vinho? há 7 horas

Meu bem, os meus lençóis ainda estão impregnados do teu perfume. Meu...
velhaelouca Poesias 15


Encontrei e perdi o amor da minha vida há 9 horas

Hoje sair para caminhar como faço todos os dias ...
sunnylovato Crônicas 13


mulheres que malham...e mudam seus corpos... há 10 horas

na boa, hoje eu vi alguns perfis no instagram, de mulheres que malham...
challenger Artigos 14


Chorando aos montes há 12 horas

Quando o trem vinha se aproximando,Gustavo corria ansioso ...
valdirgomes Sonetos 28


Fatal há 12 horas

E lá estava eu, deitada e...
marciana_ Contos 21


Morte completa há 12 horas

A morte que te tomar por sorte,Não deixa saudades, não deixa...
valdirgomes Poesias 28