Ela era uma menina, tímida sem grandes sonhos sem grandes objetivos, vivia um dia de cada vez, escola casa, casa escola nada mais.

Na escola era normal ria brincava estudava as vezes era considerada nerd mas ela sabia que estava longe de ser isso ela sabia que estava longe de ser qualquer coisa.

Depois de algum tempo a rotina começou a incomodar estava cansada de levantar se arruma ir a escola voltar e não fazer nada, nada para se divertir nada para se sentir viva. Amigos isso é o que ela menos tinha mas gostava da companhia deles. 

Em uma bela manha acordou decidida a mudar a fazer o que ela queria fazer, fez estripulias nas aulas, deu muitas risadas altas, começou a falar bobagens, palavrões  sem se importar  começou a ter mais amigos mais alegrias e muitas decepções. 

Foi ai que começou  a dar valor ao silêncio e a vida que tinha antes de resolver mudar antes tinha aquela rotina poucos amigos sem decepções agora sua vida era uma farsa fingia ser feliz era só risos só decepções apenas isso aqueles velhos amigos tinham ficado para traz a paz e o sossego também.

Agora ela se tranca em seu quarto escuta a sua banda favorita e tenta aliviar a dor emocional através da dor física, as pessoas acham que ela usa todas aquelas pulseiras estranhas por moda de adolescente mas na verdade é para esconder as suas cicatrizes, ela sente vontade de gritar, gritar ate o choro sair ate a dor sai mas ela não pode pois tem que manter a pose de moça feliz e alegre.

Sua vida agora é horrível  pois nela tem cicatrizes que jamais vão se apagar, sumir. Quando ela tiver uns 30 40 anos toda vez que ela olhar as cicatrizes vai lembra da dor e de todo o sofrimento que sofreu na época em deveria ser a melhor de todas, mas não foi...