O Que é a Santificação sem a qual Ninguém Verá ..

29 de Dezembro de 2017 Silvio Dutra Acrósticos 44


O Que é a Santificação sem a qual Ninguém Verá o Senhor

Thomas Brooks (1608-1680)

Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra

"Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor." (Hebreus 12:14)
Lembro-me de um ditado de Crisóstomo, o boca de ouro: "Se eu fosse", disse ele, "o homem mais apto do mundo para pregar um sermão ao mundo inteiro, reunido em uma congregação e tivesse uma montanha alta para o meu púlpito, de onde eu pudesse ter uma perspectiva de todo o mundo em minha opinião, e fosse munido com uma voz de bronze, uma voz tão alta quanto a trombeta do arcanjo, para que todo o mundo pudesse me ouvir, eu escolheria pregar nenhum outro texto do que o Salmo 4:2, “Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira? " Então, eu disse, que se eu tivesse a língua, a cabeça e o coração de Crisóstomo, e se eu, de todos os modos, tivesse que pregar um sermão ao mundo inteiro, eu preferiria pregar neste texto antes de qualquer outro na Bíblia: "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor." (Hebreus 12:14).
Amado! a salvação das almas é aquilo que deve ser o primeiro e o principal olhar de um ministro, e o que sempre deve estar mais próximo do coração de um ministro. Senhores! Nosso querido Senhor Jesus era infinitamente terno para com as almas dos homens. Ele deixou o seio de seu pai pelas almas; ele pisou o lagar do vinho sob a ira de seu Pai pelas almas; ele orou pelas almas; ele pagou pelas almas; ele suou pelas almas; ele sangrou o sangue de seu coração pelas almas; e ele se fez uma oferenda pelas almas! [Isaías 63: 3; João 17:22; Lucas 4:24; 1 Cor 6:20; 1 Pe 1: 18-20; Heb 9: 12-15.] Oh, que encorajamento deve ser para todos os seus mensageiros fiéis para curar almas, lutar por almas, orar por almas, estudar pelas almas e pregar para se gastar e deixar ser gasto para a salvação das almas! Ah, amigos, não há trabalho nem sabedoria na terra em comparação com o de conquistador de almas, "aquele que ganha almas é sábio". (Provérbios 11:30). Não há arte, nenhuma indústria como ganhar almas, "pegar" almas, como os caipiras pegam pássaros, como a palavra hebraica significa. Agora, embora haja uma grande quantidade de arte necessária para pegar pássaros - ainda há dez mil vezes mais necessárias para ganhar almas. Em uma palavra, converter uma alma é uma obra maior do que influenciar um cetro, ou do que derramar milhões nas cestas dos pobres.
O meu desígnio na escolha deste texto é a conquista de almas, é a salvação das almas, é a edificação de almas. Eu li de Luís o nono, rei da França, que ele foi encontrado instruindo seu pobre menino da cozinha quanto ao caminho para o céu; e perguntou o motivo disso, e ele respondeu: "O mais pobre tem uma alma tão preciosa quanto a minha, e foi comprado pelo mesmo sangue de Cristo". Aquele que pagou o preço das almas, há muito nos disse que uma alma vale mais do que o mundo, Mateus 16:26. Para que eu possa ganhar alguma alma pobre ou outra por um ofício sagrado, 2 Cor 12:16, e estabelecer e fortalecer os outros no amor e no agrado da santidade, e no poder e na prática da santidade, escrevi meus pensamentos sobre essa Escritura.
Mas para se aproximar do meu texto.
Como não há de modo algum como fazer com que a população do inferno tenha belos rostos, então não há nenhum meio de o céu ser mais enriquecido do que pela beleza da santidade. Agora que posso descobrir a necessidade, a beleza, a raridade e a excelência da santidade, escolhi este texto: "Siga a paz com todos os homens e santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor". Devo dar um pouco de luz às palavras, e depois venho para esse ponto principal em que pretendo me envolver. "Siga a paz com todos os homens". A palavra grega traduzida siga, significa perseguir e pressionar em busca da paz. O perseguidor faz uma pressão séria, ansiosa, afetuosa, e incessante, pressionando e seguindo a paz com todos os homens: Salmo 34:14, "Busca a paz e segue-a". [O próprio nome da paz é doce.] Aqui, a palavra hebraica traduzida por busca, significa "procurar com seriedade", com veemência laboriosa. Assim, a paz com Deus, e a paz com a consciência, e a paz com os homens devem ser procurados. "Procure a paz e persiga-a". A palavra traduzida perseguir, significa uma "busca séria". É uma metáfora tirada do fervor das bestas selvagens, ou das aves vorazes, que correrão ou voam rápido e distante, ansiosa e incansavelmente, ao invés de ficarem desapontadas com suas presas.
Embora os cristãos encontrem muitos obstáculos - ainda assim, a paz deve ser perseguida resolutamente. O Espírito de Deus é um Espírito de paz, e Deus se deleita em ser denominado Deus da paz, e Cristo escolhe ser o Príncipe da paz, e o Rei de Salem, isto é, o Rei da paz. [Gal 5:22; 2 Cor 13:11; Isaías 9: 6, 7; Heb 1: 2]. Onde a paz está, Cristo está, porque Cristo é a paz. Portanto, todos os que estão interessados em Cristo perseguem a paz. Mas este não é o ponto que eu tenho diante dos meus olhos neste momento. Eu vou acelerar para isso. "Com todos os homens;" isto é, com todas as classes e tipos de homens.
"E santidade", etc. [Um homem pode ser miserável sob a paz, mas nunca sob a santidade.] Devemos perseguir a paz de tal maneira, de modo que não negligenciemos a santidade por causa da paz. Melhor é a santidade sem paz, do que a paz sem santidade. A santidade não difere nada da felicidade, senão no nome. A santidade é a felicidade, e a felicidade é a santidade ao máximo. A felicidade não é senão a quintessência da santidade. Seria melhor para um homem ser santo no inferno, do que profano no céu. A santidade faria o inferno não ser um inferno, pois o fogo não seria fogo para aqueles dignos de Deus, (Daniel 3. 27). Olhe! Como a iniquidade faria com que o céu não fosse um paraíso, sim, transformaria o céu em um inferno, então a santidade transformaria o inferno em um grande paraíso. Que santidade é esta do texto, eu vou mostrar para você na abertura desse ponto em que pretendo me engajar.
"Sem a qual ninguém". Esta expressão é exclusiva, "nenhum homem", seja ele rico ou pobre, alto ou baixo, honorável ou vil, jovem ou velho, judeu ou gentio, escravo ou livre, sob uma forma ou outra, etc.
"Verá o Senhor". "Ver", na frase hebraica, normalmente é usado para "desfrutar" (Salmo 4: 6), "Quem nos mostrará algum bem?" A palavra no hebraico é "ver", "Quem nos fará ver algum bem?" isto é, desfrutar de qualquer coisa boa. "Sem santidade, ninguém verá o Senhor"; isto é, sem santidade, nenhum homem jamais virá a ser abençoado, a uma gloriosa fruição e apreciação do Senhor. Havia uma vez um homem santo [Crisóstomo] que professava que a falta do gozo de Deus seria um inferno muito maior do que o sentimento de qualquer castigo; e, no entanto, este grande inferno, todos devem ter certeza de sentir - quem vive e morre sem santidade. Os judeus dizem do santo Moisés, que ele morreu nos beijos da boca de Deus e nos abraços divinos, Salmos 37:37. Quando um homem que tem santidade morre, ele deve ter certeza de morrer em abraços divinos, e viver para sempre em abraços divinos.
Quando Sócrates morreu, ele se consolou com isso - que ele iria para um lugar onde ele apreciaria Homero e Musaeus, e outros dignos que viveram antes dele. Mas ah, o que é um conforto indescritível para um homem santo quando ele vem a morrer - por considerar que ele está indo para um lugar onde ele deve ver o Senhor, não como agora, através de um espelho escuro - mas em todo o seu resplendor celestial! (1 Cor 13:12). E deixemos isso ser suficiente para a abertura das palavras.
No meu texto você tem duas coisas: primeiro, uma exortação "seguir a paz e a santificação". Em segundo lugar, o motivo ou argumento para cumprir o dever pressionado, ou seja, "sem a qual ninguém verá o Senhor". As palavras nos permitirão muitas observações de peso. Eu só nomeio uma, em que eu pretendo insistir, e é isso:
DOUTRINA. Essa santidade real é o único caminho para a felicidade. Todos os homens devem ser santos na terra, ou eles nunca verão a visão beatífica, nunca alcançarão a gloriosa fruição de Deus no céu.
Para esclarecer e mostrar o bem desta grande e gloriosa verdade, eu me esforçarei para estas três coisas:
Primeiro, para mostrar o que é essa santidade, "sem a qual ninguém verá o Senhor".
Em segundo lugar, devo, por indução de particularidades, cumprir a proposição.
Em terceiro lugar, apresentarei os motivos do ponto.
I. O que é esta santidade "sem a qual ninguém verá o Senhor?”
Eu respondo, há uma santidade seis vezes maior.
1. Primeiro, há uma santidade legal. Agora, uma santidade legal consiste em uma conformidade exata, perfeita e completa em coração e vida com toda a vontade revelada de Deus - e essa foi a santidade que Adão teve em sua inocência; e essa santidade foi imediatamente derivada de Deus e foi perfeita. Adão conhecia perfeitamente a vontade de Deus, até onde lhe foi revelado, e tinha um princípio divino nele de perfeita conformidade com essa vontade abençoada. A santidade de Adão era tão natural para ele, como a iniquidade é agora para nós; e se ele estivesse firme naquele estado glorioso, todos teríamos sido tão naturalmente santos desde o útero, como agora somos pecadores. A santidade de Adão era tão natural e tão agradável para ele, como qualquer forma de iniquidade pode ser natural e agradável para nós. Mas esta santidade, que era a mais linda gema de beleza de Adão, e sua mais pesada coroa de glória, foi pela política de Satanás há muito removida da cabeça de Adão, Salmo 51: 5.
Agora, se esta santidade legal fosse a santidade que é citada no texto, ai! Ai! de todo homem que nasceu; pois nenhum homem jamais veria o Senhor, Romanos 3:10. Pois pela queda de Adão, todos os homens saíram do caminho, e não há ninguém legalmente justo, nem um sequer. Agora, se considerarmos o homem como caído daquela santidade que era a sua maior honra, dignidade e excelência - tornou-se uma pilha de poeira, um sopro de vento; um sonho; uma sombra; um sopro de fumaça; uma pobre pulga tola, um verme, uma alma degradada, um nada. Sim, o homem que caiu de sua glória primitiva tornou-se completamente vaidoso, diz o profeta: Salmos 39: 5: "Verdadeiramente, todo homem em seu melhor estado é completamente vaidade". "Verdadeiramente;" Essa afirmação é usada apenas em questões de maior peso e importância, e observa a realidade e a certeza das coisas referidas. Todo homem, ou todo filho de Adão; todo homem em seu melhor estado, isto é, em sua condição mais equilibrada e composta, mesmo quando no seu melhor estado, desde a queda de Adão, todo homem natural em sua melhor propriedade é vaidade.
O homem em honra, antes da sua queda, era a melhor das criaturas; mas desde a sua queda, tornou-se a pior das criaturas. Por sua queda, ele caiu abaixo dos animais que perecem, Isaías 1: 3-4; Provérbios 6: 6; Jer 8: 7. Aquele que foi uma vez a imagem de Deus, a glória do paraíso, o governante do mundo e o favorito do Senhor - tornou-se um fardo para o céu, um fardo para si mesmo e um escravo para os outros.
Por tudo o que você pode facilmente perceber quão longe estamos daquela santidade legal que Adão teve em inocência. Se esta fosse a santidade sem a qual nenhum homem jamais verá o Senhor, então adeus para sempre a todos os filhos de Adão. Mas essa santidade legal não é a santidade no texto.
2. Em segundo lugar, há uma santidade IMAGINÁRIA, uma santidade presunçosa, uma santidade de opinião. Provérbios 30:12: "Há uma geração que é pura a seus próprios olhos, e ainda não é lavada de sua imundície". Eles eram muito ruins - e, no entanto, eles tinham uma ótima opinião de si mesmos. Eles estavam muito sujos - e, no entanto, eles afirmavam sua própria pureza. Suas mãos eram escuras, seus corações eram escuros, suas obras eram escuras, e seus caminhos eram tão escuros quanto o inferno - e, no entanto, eles eram puros a seus próprios olhos. Eles estavam sujos por dentro, e por fora, no corpo, e na alma, e imundos em espírito. E, no entanto, pensavam em cobrir sua imundície com uma máscara de santidade. Os piores homens são geralmente os mais conceituados de si mesmos.
Ah, amigos, nunca houve uma geração de homens que não tivesse se revolvido em pecado como o porco na lama - e, no entanto, mantiveram em si uma forte opinião de sua própria bondade e santidade. Esta geração não tinha suas almas nem consciências lavadas no sangue de Cristo, nem foram santificados pelo Espírito de Cristo - e, no entanto, eles se gloriaram com sua pureza e santidade, como se fossem purificados por Cristo. Há muitos que são cristãos brilhantes, que são puros cristãos de ouro aos seus próprios olhos, que são mais vis que escória, sim, do que fumaça aos olhos de Deus: Isaías 65: 5: "e que dizem: Retira-te, e não te chegues a mim, porque sou mais santo do que tu. Estes são fumaça no meu nariz, um fogo que arde o dia todo." Eles eram muito licenciosos, muito desagradáveis, muito rebeldes, muito supersticiosos, muito idólatras (ver 2-4), e ainda se consideravam muito piedosos. Eles eram piores do que outros - e ainda assim se consideravam melhores do que outros; eles eram muito ruins - e ainda julgavam-se muito bons. Eles eram mais impuros, mais profanos e mais poluídos do que outros - e, no entanto, eles se consideravam mais puros e santos do que outros; eles estão de acordo com suas bondades comparativas - e, no entanto, são acusados por Deus da maior maldade.
E, assim, os seus parentes, os fariseus, colocam-se sobre suas imagens, aparências fraudulentas e vestidos exteriores de santidade, quando, ao mesmo tempo, praticavam a pior das perversidades, Mateus 23: 5; Lucas 18: 11-12; então, aqueles em Oséias 12: 8, "Diz Efraim: Certamente eu me tenho enriquecido, tenho adquirido para mim grandes bens; em todo o meu trabalho não acharão em mim iniquidade alguma que seja pecado." As iniquidades de Efraim cresceram sobre sua cabeça, como pode ser visto ao longo de toda esta profecia, e ainda Efraim não pode suportar a acusação de iniquidade. Embora ele tenha sido notoriamente culpado dos crimes mais elevados - ainda assim ele gostaria que você soubesse que ele estava livre de pecado e sem pecado. Efraim poderia dar boas palavras, quando suas obras eram abomináveis; ele podia fingir muita inocência, quando era culpado da maior impiedade. Mas, apesar de Efraim ter o manto na mão, ainda era muito curto para cobrir o seu pecado; pois Deus viu, e condenou-o por isso.
Crisóstomo apresenta elegantemente a cegueira e a brutalidade dessas pessoas. "Quando eles se deitam na lama", diz ele, “eles acham que eles estão manchados com alguns unguentos doces; quando eles estão cheios de vermes, eles se vangloriam, como se estivessem adornados com pedras preciosas." E assim os laodicenses foram do mesmo temperamento e espírito: Apocalipse 3:17, "Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu." Eles tiveram uma ótima opinião de seu próprio bem, valor e excelente estado, sem necessidade de nada, quando não tinham nada de cristão neles.
Você diz que é "rico"; ai -mas você se jacta de suas riquezas, como muitos mendigos orgulhosos fazem daquela riqueza que não têm. Por tudo o que você se considera rico, você é pobre. É o pecado e julgamento do homem, que desde que ele deixou de ser o que deveria ser, ele se esforça para parecer ser o que ele não é. Você diz que está "aumentado com bens e não precisa de nada"; ai - mas você sonha que é assim: porque é ignorante de sua própria propriedade miserável e lamentável. Você diz que é rico - mas eu sei que você é pobre e miserável.
"Você diz que vê"; mas você é cego, você está destituído de visão espiritual; você não vê seus próprios desejos, nem o valor de Cristo; seu próprio vazio, nem a plenitude de Cristo; sua própria pecaminosidade, nem a santidade de Cristo; sua própria pobreza, nem a riqueza e abundância de Cristo; sua própria miséria, nem a misericórdia de Cristo; sua própria insuficiência, nem a suficiência de Cristo; sua própria vaidade, nem a glória de Cristo, etc. Muitos sabem muito - mas poucos se conhecem, ou seu próprio perigo, infelicidade ou miséria; e, de fato, nenhuma miséria pode ser comparada com isso.
Os chineses costumavam dizer de si mesmos, que todas as outras nações do mundo viram, senão com um olho, mas eles com dois; e desse espírito e temperamento foram aqueles laodicenses cegos. Eles achavam que eles sabiam todas as coisas, quando não sabiam nada do que deveriam, nem como deveriam.
Por tudo o que você pode ver, há uma santidade imaginária, uma santidade presunçosa, onde não há santidade real; mas uma santidade imaginária trará um homem, senão a uma benção imaginária; uma santidade presumida trará um homem, senão a uma alegria presunçosa.
Os bastardos dos antigos não deveriam herdar, mas serem expulsos dos verdadeiros herdeiros: Gn 21:10; Juízes 11: 1-2, "Era então Jefté, o gileadita, homem valoroso, porém filho duma prostituta; Gileade era o pai dele. Também a mulher de Gileade lhe deu filhos; quando os filhos desta eram já grandes, expulsaram a Jefté, e lhe disseram: Não herdarás na casa de nosso pai, porque és filho de outra mulher." Ah, senhores, vocês que são senão cristãos bastardos, professantes bastardos, crentes bastardos, santos bastardos, vocês nunca herdarão entre os herdeiros da glória, mas serão expulsos da presença do Senhor, e da glória do seu poder, e entrarão em trevas absolutas, porque se agradaram e satisfizeram seus espíritos e abençoaram suas almas em uma santidade bastarda, numa santidade presunçosa, 2 Tessalonicenses 1:8,9, Mateus 8:12 e 22:13; Deuteronômio 23: 2: "Um bastardo não entrará na congregação do Senhor". Ele não terá comunhão com o povo de Deus; a porta da admissão será fechada sobre ele. As virgens insensatas não tinham mais santidade, senão uma santidade presunçosa, um vestido exterior de santidade; e, portanto, a porta da vida, a porta da esperança, a porta da ajuda, a porta da graça, a porta da misericórdia, a porta da glória estava fechada para elas, Mat 25: 10-12, 7: 21-23. William, o Conquistador foi muito desprezado por ser um bastardo. Deus e seu povo diminuirão, e desprezarão assim, e, finalmente, dão as costas àqueles que não têm mais do que uma santidade bastarda; e, portanto, isso não pode ser a santidade aqui significada.
3. Em terceiro lugar, existe uma santidade exterior, externa e visível, que inclui a liberdade dos homens de vícios escandalosos e sua execução ordinária de deveres religiosos. Agora, nesse sentido, Zacarias e Isabel eram duas pessoas santas; porque "Ambos eram justos diante de Deus, andando irrepreensíveis em todos os mandamentos e preceitos do Senhor." (Lucas 1: 5, 6). Sua vida era tal que ninguém poderia reclamar justamente sobre isso. Era irrepreensível; não podia ser censurado. E assim os apóstolos, 1 Tes 2:10: "Vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes." E em 2 Cor. 1:12: "Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que em santidade e sinceridade de Deus, não em sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo, e mormente em relação a vós." Essas almas preciosas se comportaram de maneira santa em direção a Deus, justamente em relação ao mundo, e aos crentes. Eles eram santos no trabalho religioso, eram justos em seus assuntos civis e comércio e, sem dúvida, em seu comportamento privado entre seus amigos e familiares.
E esta é a santidade que o apóstolo pressiona sobre os cristãos em Fp 2:15: "Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus imaculados no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual resplandeceis como luminares no mundo.” Os cristãos devem ser os filhos imaculados de Deus: eles não devem ter manchas neles, que são inconsistentes com a filiação ou a bem-aventurança, Deut 32: 5. Agora é certo, que sem essa santidade visível para o exterior, não há felicidade, não há fruição de Deus na benção eterna. Aqueles que fingem que seus corações são tão bons, quando suas vidas são tão ruins quanto o pior, devem experimentar essa verdade, finalmente, para sua vergonha e custo, que sem a santidade visível aqui, não pode haver fruição de Deus a seguir.
No entanto, isso deve ser concedido - que um homem seja visivelmente santo – e que não é interiormente santo, 2 Tim 2: 5. Um homem pode ser exteriormente santo - que não está em toda santificação. Um homem pode ter um vestido exterior de santidade sobre ele - que não possui o espírito e os sinais vitais da santidade interior. [Eles dizem de nozes de Halifax, que são somente cascas sem grãos. Há muitos que fazem uma exibição gloriosa diante dos homens - que são abomináveis aos olhos de Deus, Lucas 16:15, que são ouro aos olhos dos homens, e sujeira aos olhos de Deus.] Como Judas tinha, e Simão Mago tinha, e Demas tinha , e os escribas e os fariseus tinham: Mat 23:25, 27, 28: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque limpais o exterior do copo e do prato, mas por dentro estão cheios de rapina e de intemperança. Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo, para que também o exterior se torne limpo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade." Eles eram exteriormente religiosos - mas inquestionavelmente perversos; eles tinham a aparência de santidade - mas interiormente estavam muito cheios de impurezas; eram professantes justos - mas pecadores sujos; eram graciosos por fora, mas impiedosos por dentro. Veja! como esses são os piores vícios que estão cobertos com a demonstração da virtude; então são os piores dos pecadores, que cobrem a sua imundície interior com os disfarces da santidade externa.
Os templos egípcios eram belos, mas sujos e imundos por dentro. Tais eram os escribas e fariseus nos dias de Cristo, e muitos professantes em nossos dias. Diz-se de Dionísio, o tirano, que embora não amasse os filósofos, mas ele se envolveria em suas capas, para que os homens pudessem ter uma melhor opinião dele. Assim mesmo, há muitos que vestiram um vestido exterior de santidade, que se envolveram no manto da santidade - para que os outros os considerem pessoas santas - e, no entanto, eles não amam a santidade, eles não têm nada de santidade real neles. "Como não é judeu aquele que é exteriormente", mas não interiormente, Romanos 2:28, 29 e 4:12; então não é uma pessoa santa aquele que o é exteriormente - mas não interiormente; que tem o nome da santidade sobre ele, mas não tem princípios de santidade nele. Embora sem a santidade visível, ninguém verá o Senhor; todavia, um homem pode ter uma santidade visível no exterior – e que nunca verá o Senhor com felicidade.
"Eu o odeio mesmo para o inferno", diz o pagão em Homero, "quem diz uma coisa com a boca e pensa outra coisa em seu coração". Então, Deus odiará o homem ao inferno, sim, o lançará no lugar mais quente do inferno - quem tem uma forma de piedade sobre ele - mas nada da realidade e do poder da santidade nele. A santidade exterior é boa - mas deve ser em toda a santidade que fará um homem bom para toda a eternidade. (Mateus 23:14; 2 Tim. 3: 5; 1 Cor 7:18; Fp 3: 3; Gal 5: 6; 6:15). Não é a demonstração da santidade, mas a substância da santidade que levará o homem à felicidade eterna. Mera santidade exterior certamente deixará um homem sem o céu e a felicidade; mas, toda a santidade, certamente conduzirá a alma no seio de Deus para sempre.
Sem qualquer dúvida, é uma coisa muito desejável que todos fossem externamente santos; contudo, todos os que alcançam isso, devem ir mais longe, ou então eles se sentarão neste lado, da felicidade: Mateus 5:20: "Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus."
Agora eles estavam em obras de piedade, em obras de caridade, em obras de equidade e em obras de cortesia, pelo que eles ganharam tanta admiração do povo, que comumente se pensava entre eles que, se houvesse senão dois de todo o mundo que deveriam ir para o céu - um deveria ser um escriba, e o outro um fariseu. Contudo, a sua justiça deve exceder a deles, ou as portas da glória serão fechadas para você! Sua justiça e santidade eram apenas externas, não internas; era parcial, não universal; era mais circunstancial do que substancial - e, portanto, as portas do céu eram dobradas contra eles. O céu é para esse homem, e esse homem é para o céu, que não é apenas exteriormente santo, mas em todo o bem.
4. Em quarto lugar, há uma santidade RELATIVA. Agora, a santidade relativa é uma relação especial que as pessoas ou as coisas têm com Deus. A santidade relativa inclui duas coisas:
(1.) Primeiro, uma SEPARAÇÃO de pessoas ou coisas de uso comum. E, portanto, na lei, aquelas coisas eram chamadas de santas, separadas do uso comum e separadas para o culto e serviço de Deus - como o óleo sagrado, o pão da proposição, as primícias, o incenso, os altares e as vestimentas; e, neste sentido, os sacerdotes e levitas foram chamados de santos, porque foram separados de outros para servir no tabernáculo; [Deut 19: 2; 1 Reis 8:35; Esdras 8:28 e 10:11; Isaías 63:18.] E neste sentido, o povo de Israel é frequentemente chamado de povo santificado, povo santo, etc. A palavra grega corresponde à palavra hebraica, que comumente significa o que é apropriado ao uso sagrado; e esta é a noção apropriada de santidade no Antigo e no Novo Testamento, como eu poderia mostrar-lhe em uma centena de lugares da Escritura.
Agora, certamente, sem essa santidade de separação especial dos estilos de vida pecaminosos comuns do mundo, não há visão de Deus no presente, nem qualquer fruição de Deus a seguir: 2 Cor 6: 17-18: "Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." Deus não terá nenhuma comunhão com ninguém neste mundo que não esteja separado das práticas pecaminosas do mundo. Deus não olhará para nenhum, ele não vai possuir nenhum, ele não se deleitará com nenhum, ele não reconhecerá nenhum, ele não receberá nenhum para seus filhos e filhas, senão os separados de todos os vícios do mal e estilos de vida profanos.
Adequado a isto é Isaías 52:11: "Retirai-vos, retirai-vos, saí daí, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, os que levais os vasos do Senhor." Separe-se daqueles que estão afastados de Deus; nada tenha a ver com aqueles que não têm nada a ver com Deus; separe-se daqueles que se separaram de Deus; não tenha conversas deleitosas com aqueles que não têm conversas deleitosas com Deus; não tenha comunhão com aqueles que não têm comunhão com Deus.
Você deve manter-se puro e limpo das impurezas dos outros, como você se livrará dos castigos dos outros. Aquele que imitará os outros nos seus pecados - certamente participará com os outros nas suas dores. É verdade que podemos viver com homens perversos em suas cidades - mas é tão verdadeiro, que não devemos mentir com homens perversos em suas falsidades.
(2.) Em segundo lugar, como a santidade relativa leva a uma separação de pessoas ou coisas de uso comum - por isso também leva em uma DEDICAÇÃO a um uso sagrado. E, portanto, os Nazarenos, o Templo, o Monte de Sião, o dia do sábado e outros dias de festas religiosas são ditos santos sob a lei. [Assim, Cristo santificou a si mesmo, quando se dedicou a ser um sacrifício pelos pecados de seu povo, etc.] Em suma, toda a religião judaica estava nos tempos sagrados, lugares santos, pessoas santas e coisas sagradas. E certamente, sem essa santidade, sem essa dedicação de nós mesmos a Deus - nunca devemos chegar a uma gloriosa fruição de Deus. Aquele que não se dedica realmente a Deus, inteiramente a Deus, apenas a Deus, e sempre a Deus na Terra - jamais virá à visão de Deus no céu. Se não renunciarmos a Deus, Deus nunca desistirá de nós: Oseias 3: 3, "e lhe disse: Por muitos dias tu ficarás esperando por mim; não te prostituirás, nem serás mulher de outro homem; assim também eu esperarei por ti." Deus será apenas o daqueles que são realmente seus, mas ele só será marido para aqueles que se dedicam a ele, como uma esposa faz com o marido. Ele se dedicará àqueles - que se dedicam a ele. Ele se convidará a ser daqueles que viverem para serem dele: Deut 26: 17-19: "Hoje declaraste ao Senhor que ele te será por Deus, e que andarás nos seus caminhos, e guardarás os seus estatutos, os seus mandamentos e os seus preceitos, e darás ouvidos à sua voz. Outrossim, o Senhor hoje te declarou que lhe serás por seu próprio povo, como te tem dito, e que deverás guardar todos os seus mandamentos; para assim te exaltar em honra, em fama e em glória sobre todas as nações que criou; e para que sejas um povo santo ao Senhor teu Deus, como ele disse."
Deus se resignará a quem se resigna a ele; ele se dará àqueles que deram seus nomes e seus corações para ele; ele se concederá como a pérola de maior preço, àqueles que se renderão a ele. Não há como ser maior do que outros, mais felizes do que outros, mais nobres e honestos do que outros, do que fazer uma dedicação – um dom de nós mesmos a Deus. Aquele que se dedica a Deus, dedica tudo; aquele que não se dedica, não dedica nada. Um cristão deve dizer ao seu Deus: "Ah, Senhor! Há alguns que lhe dão seus lábios - mas eu lhe dou o meu coração, os outros lhe dão boas palavras, boas expressões - mas eu lhe dou o melhor dos meus afetos, outros lhe dão poucas orações frias - mas eu lhe dou toda a minha alma e se eu tivesse tantos corações em meu corpo como eu tenho cabelos na minha cabeça, eu os daria todos para ti - pois és digno, somente tu és digno!"
O que o rei de Israel disse uma vez ao rei da Síria: "Eu sou seu - e tudo o que eu tenho", 1 Reis 20: 4; é o que um cristão deve dizer a Cristo: "Eu sou seu, Senhor, e tudo o que tenho". Um cristão deve gritar com Bernard que clamou: "Senhor, eu tenho uma alma e um corpo - e eu lhe dou os dois". E esta foi a honra e o elogio dos macedônios, que eles se entregaram ao Senhor, 2 Cor 8: 5. Não tendo melhor presente em mãos, eles se apresentaram a Deus. Certamente, não há presente mais honrado, deleitável e aceitável para Deus - do que esse de dar-nos a Deus, Romanos 12: 1. Bem, lembre-se disso: nunca foi realmente santo aquele homem que não é relativamente santo; nem esse homem nunca será realmente feliz – aquele que não é relativamente santo. Sem santidade relativa, não haverá visão de Deus na felicidade eterna. Devemos ser separados das corrupções e poluições do mundo, e devemos dedicar-nos a Deus - ou nunca devemos chegar a uma fruição futura de Deus.
5. Em quinto lugar, há uma santidade IMPUTADA - e essa é a santidade de Cristo imputada a nós. [Consulte estas Escrituras, Lucas 1:35; Marcos 1:24; Heb 7:26; Romanos 5:19; Col 1:22; Romanos 2: 3-4; 2 Cor 5: 21-22; Gal 3:13; Jer 23: 6]. Para evitar erros, por favor, tome conhecimento de que há uma santidade dupla em Cristo: primeiro, há sua santidade essencial e pessoal - como ele é Deus. Agora, esta santidade essencial de Cristo não pode ser transmitida nem imputada a nenhum homem mortal; é essencial a ele. Em segundo lugar, há sua santidade mediadora, ou a santidade que ele nos concede como mediador. Agora, a santidade de Cristo como Mediador consiste tanto na santidade habitual de sua pessoa, na ausência de todo pecado, como na presença rica e abundante de todas as qualidades santas e sobrenaturais, como também na própria santidade de sua vida e morte. Por sua obediência ativa - isto é, ao submeter seu coração e sua vida aos preceitos divinos - ele cumpriu perfeitamente os mandamentos da lei. E por sua obediência passiva - isto é, seus sofrimentos voluntários - ele satisfez plenamente as penalidades e maldições da lei. Agora, esta santidade mediadora de Cristo é nossa por imputação, e em virtude da qual somos justificados aos olhos de Deus: 1 Cor. 1:30: "Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção." Esta santidade mediadora de Cristo, comprovada para um pecador crente, é pela qual é constituído santo; e, nessa conta, eles são considerados "todos justos", Cant 4: 7; para ser "sem mancha ou rugas", Ef 5: 25-27; para ser "completo nele", Col 2:10; e ser "sem culpa diante do trono de Deus", Apo 14: 4,5. E certamente, sem essa santidade mediadora de Cristo - não há a visão gloriosa nem fruição de Deus. Deus é um Deus de tão infinita pureza e santidade, que nenhuma santidade abaixo da santidade imputada de Cristo pode fazer com que um homem se detenha diante dele, ou traga um homem para a sua fruição, Hab 1:13. (Nota do tradutor: Esta santidade aqui referida é imputada (atribuída) e não implantada (aplicada, colocada), e a recebemos na justificação, que é uma imputação e não aplicação da justiça de Cristo a nós. A implantação da justiça é feita através da santificação, pelo Espírito Santo na aplicação gradual e progressiva da justiça até a plenitude de Cristo.)
Foi um ditado muito doce e excelente de Bernard, quando, em sua opinião, ele estava no ponto da morte: "Confesso, disse ele, não sou digno, não tenho méritos próprios para obter o céu por mim mesmo; mas o meu Senhor tinha um duplo direito a isso, um direito hereditário como Filho e um direito meritório como um sacrifício. Ele estava satisfeito com o próprio direito, e o outro direito que ele me deu, pela virtude de que o presente que eu faço, corretamente, deitado reivindico-o, e não estou confundido.”
Embora não possamos pleitear o céu, nem uma benigna fruição de Deus por qualquer santidade inerente em nós - sendo fracos e imperfeitos - ainda podemos pleitear a ambos - pela santidade mediadora de Cristo imputada a nós. Como a santidade essencial de Cristo lhe dá um direito hereditário à felicidade eterna; então sua santidade mediadora nos dá um direito à benção eterna. O manto real bordado da santidade mediadora de Cristo, é imputado ou contabilizado para nós. E, portanto, sempre que você vier a uma visão de Deus na felicidade, você deve trabalhar para se interessar pela fé na santidade mediadora de Cristo.
6. Sexto e, por último, existe uma santidade inerente, interna e qualitativa. [A santidade não é apenas uma graça única - mas uma conjunção, uma constelação de todas as graças.] Agora, essa santidade inerente reside em duas coisas.
(1.) Primeiro, na infusão de princípios santos, qualidades divinas ou graças sobrenaturais à alma, como o apóstolo menciona em Gal 5: 22-23: "Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, bondade, benignidade, fidelidade, mansidão e domínio próprio." Esses hábitos de graça não são senão a nova natureza, ou "homem novo, que é criado segundo Deus em justiça e verdadeira santidade", Ef 4:24. Essas sementes de santidade, esses hábitos de graça, são os unguentos doces com os quais devem ser ungidos, todos os que sempre virão a uma visão abençoada de Deus, 1 João 3: 9; 2 Cor 1:21; 1 João 2.27. Você pode conhecer muito de Deus, você pode ouvir muito de Deus, você pode falar muito de Deus, e você pode orgulhar-se de suas esperanças e salvação em Deus - e, mesmo assim, sem esses hábitos de santidade, você nunca virá a uma benigna fruição de Deus na felicidade; sem essas sementes de santidade, nunca mais conseguirá uma colheita de bem-aventurança.
(2.) Em segundo lugar, essa santidade inerente e qualitativa, reside no uso sagrado e no exercício dessas graças sobrenaturais, de modo a caminhar de modo santo. [Atos 10:35; 1 João 1: 3, 7; Tito 2:12; Lucas 1:73; 2 Pedro 1: 8; 1 Pedro 1: 15-16; Isaías 35: 8].Todos os hábitos sagrados devem ser trazidos para os atos sagrados. Todos os hábitos graciosos devem ser atendidos com movimentos graciosos, operações graciosas e uma vida graciosa. Trabalhos externos devem ser adequados aos hábitos internos. Dá-se com hábitos espirituais o mesmo que se dá com hábitos naturais - quanto mais eles são agidos e exercitados, mais eles são aumentados e fortalecidos. Os hábitos santos são talentos de ouro que devem ser empregados e melhorados. Os hábitos graciosos são os candeeiros do Senhor montados em nós; e Deus criou esses candeeiros do céu não para ficarem ociosos, mas para trabalhar e para caminhar. Onde há santidade de disposição, deve haver santidade de comportamento. Um coração santo é sempre atendido com uma vida santa.
Você pode separar um homem de seu amigo - mas você nunca pode separar, embora possa distinguir, os atos de santidade dos hábitos de santidade. Agora é certo, sem essa santidade, você nunca deve chegar a uma visão ou fruição de Deus na felicidade. [Onde há as sementes da santidade, haverá as flores da santidade.] E, assim, mostrei o que é essa santidade, sem a qual não há esperança, nem possibilidade de ver o Senhor.
II. Eu venho agora para a segunda coisa, e isso é provar a verdade da proposição - a saber, que, sem santidade, os homens nunca podem ver Deus - e serem eternamente felizes. Sem santidade na terra, ninguém jamais terá uma visão abençoada e fruição de Deus no céu. Agora, falarei desta grande e pesada verdade, por uma indução de detalhes:
1. Primeiro, Deus tem escritos lavrados para fechar a porta do céu e a felicidade contra todos os ímpios. Testemunha isto 1 Cor 6: 9-11: "Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus." O céu é uma herança imaculada, e quem está contaminado não pode entrar na posse dela, 1 Pe 1: 4. Quando os anjos caíram da sua justiça, o céu os rejeitou; já não os manteria; e agora aceitará os injustos? Será que agora vai entretê-los e recebê-los? Certamente não! Tais pecadores fazem a terra chorar e gemer agora; e eles farão o céu chorar e gemer depois? Certamente não! O que, embora, a serpente se envolveu em um paraíso terreno, mas nenhuma das sementes da serpente, assim permanecendo, jamais poderá se transformar em um paraíso celestial!
Testemunha isto Gálatas 5: 19-21: "Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus." Antes de os ímpios irem para o inferno, Deus lhes diz uma e outra vez que não herdarão o reino de Deus. Pelo reino de Deus, devemos entender o reino dos céus, o reino da glória. Agora o reino dos céus, da glória, é chamado o reino de Deus -
1. Porque ele o preparou.
2. Porque é um dom real que ele confere e concede a seu pequeno rebanho, Mateus 20:23; Lucas 12:32. Augusto, em suas festas solenes, deu bagatelas a alguns e ouro para outros. As bagatelas deste mundo Deus muitas vezes dá ao pior dos homens; mas o reino dos céus só dá aos seus amigos, Apocalipse 4: 10-11 e 20: 6; Daniel 4: 16-17.
3. Porque com ele reinarão para sempre com a sua fruição.
E assim, em João 3, Jesus disse: "Em verdade, em verdade, eu digo a você, se um homem não nascer de novo, ele não pode ver o reino de Deus". Para dar uma pequena luz às palavras: "Verdadeiramente, verdadeiramente": o grego é "amém, amém" [verdade, verdade ou, verdadeiramente]. A palavra amém é hebraica, e no Antigo Testamento é mais comumente usada para desejar ou imprecar; mas aqui, e em outros lugares do Novo Testamento, o sentido dela está alterado da maneira de desejar o caminho da afirmação. Esta frase, "Amém, amém", ou “Verdadeiramente, verdadeiramente ", importa,
[1.] Primeiro, a verdade e a certeza das coisas faladas; pois a palavra "amém" significa propriamente a verdade.
[2.] Em segundo lugar, esta dupla asseveração nunca é usada, senão em questões de maior peso e importância: os assuntos aqui falados são de uma natureza muito celestial e sublime.
[3.] Em terceiro lugar, esta afirmação, "Verdadeiramente, verdadeiramente", é uma confirmação veemente do que Cristo fala.
[4] Em quarto lugar, esta afirmação chama em voz alta a maior observação e atenção mais séria da alma ao que Cristo está dizendo.
"Eu digo a você:" Eu, a quem você confessou ser um Mestre enviado de Deus; "Eu", que estou no seio do Pai, João 1:18; "Eu", que sou do conselho dos céus; "Eu", que conheço seu coração e todos os seus segredos, Apocalipse 3:14; "Eu", que sou a testemunha fiel e verdadeira, e não posso mentir; "Eu", que sou chamado o Amém, a verdade em si: "Eu", que tenho as chaves do céu e do inferno em minhas mãos, Apocalipse 1:18; "Eu", que abro e ninguém fecha e "Eu", que fecho e ninguém abre: "Eu", quem será seu Juiz no grande dia, "eu digo a você", etc.
"Exceto que um homem nasça de novo:" Um homem, seja ele velho ou jovem, que aprendeu ou não aprendeu, alto ou baixo, rico ou pobre, conhecido ou ignorante, circuncidado ou incircunciso, sob essa forma ou aquela, um membro desta igreja ou que, deixe que a sua disposição seja sempre tão sincera, e suas habilidades tão altas, e sua vida externa sempre tão irrepreensível e inofensiva; no entanto, a não ser que este nasça de novo, ele não pode ver o reino de Deus, Romanos 2: 28-29.
"Nascer de novo". Exceto que um homem seja primeiro desmontado e criado novamente; exceto que ele seja feito uma nova criatura, sim, uma nova criação de Deus, 2 Cor 5:17, não há visão do reino de Deus para ele. Todo a condição do velho homem deve ser dissolvida, e uma nova condição erguida - senão não há céu para se apreciar. O reino de Deus é um reino divino, e não há possessão dele sem uma natureza divina. Uma nova cabeça sem um coração novo, um novo lábio sem uma nova vida - nunca trará o homem para este reino de luz. Esse homem é para o reino de Deus, e o reino de Deus é para aquele homem - que tem o reino de Deus dentro dele. [2 Pe 1: 4; 1 Cor 7:19; Gal 5: 6; Lucas 17:21; Romanos 14:17.] Se o reino da graça não entrar em você aqui, nunca mais entrará no reino da glória no porvir. Um novo coração é para um novo céu, e um novo céu é para um novo coração. "Exceto que um homem nasça de novo", exceto que um homem nasça do Alto. A geração, em algum sentido, é de baixo, mas a regeneração é apenas a partir de cima, e sem isso não há fruição de Deus acima.
"Ele não pode ver o reino de Deus". A Escritura fala de vários “não pode”.
[1.] Primeiro, há um NATURAL não pode. Agora, cada filho e filha de Adão é, por natureza, nascido sob um não pode. Todos eles nasceram sob um não pode acreditar, não pode se arrepender, não pode amar a Deus, não pode andar com Deus, não pode ver Deus, não pode desfrutar de Deus: 1 Cor 2:14, "O homem natural não recebe as coisas do Espírito de Deus, porque são loucuras para ele, nem pode conhecê-las, porque elas são espiritualmente discernidas". Um homem cego não pode ver cores - nem um homem natural pode discernir coisas espirituais. Elas são muito elevadas, elas são muito sublimes para ele; elas são mistérios que ele não consegue entender. O homem natural não pode ascender mais do que a natureza, pois a água não pode subir mais alto do que a fonte de onde vem. A Escritura estabelece almas tão tristemente abaixo do boi e do jumento, Isaías 1: 3. Tome a natureza humana - civilizada e moralizada, refinada e criada, cultivada, fortalecida e melhorada ao máximo - mas tudo isso não pode permitir que um homem faça uma ação sobrenatural acima de si.
[2.] Em segundo lugar, há um não pode CONTRAÍDO; e desse não pode o profeta fala em Jer 6:10: "A quem falarei e testemunharei, para que ouçam? eis que os seus ouvidos estão incircuncisos, e eles não podem ouvir; eis que a palavra do Senhor se lhes tornou em opróbrio; nela não têm prazer." Tiveram por sua carnalidade, impiedade, sensualidade, segurança e obstinação; contraído sobre suas pobres almas tal surdez, miséria, incapacidade, que não podiam amar a palavra de Deus; eles não podiam aproveitá-la e nem deleitar-se nela; por outro lado, eles não podiam ouvi-la nem suportá-la, embora se preocupassem tanto com o bem-estar interno e eterno de suas almas. E desse não pode o apóstolo fala em 2 Pe 2:14, "tendo os olhos cheios de adultério e que não podem deixar de pecar; engodando as almas inconstantes, tendo um coração exercitado na ganância, filhos de maldição." [...esta frase de ter olhos cheios de adultério responde à citação do reitor, que, descrevendo uma pessoa lasciva, disse retoricamente sobre ela que tinha prostitutas em seus olhos.] Por sua revolta e excesso, por sua lascívia e a falta de compaixão, pela sua impureza, a que eles haviam se habituado - trouxeram sobre si mesmos uma necessidade maldita, para que não pudessem deixar de pecar.
Eles lutam contra o pecado - e, no entanto, eles não podem cessar do pecado; eles resolvem contra o pecado, mas eles não podem deixar de pecar; eles oram contra o pecado, mas eles não podem deixar de pecar; eles fazem muitas promessas, votos e alianças contra o pecado – e ainda não podem cessar do pecado, suas almas estão habituadas e acostumadas a isso: Jeremias 2:20: "Já há muito quebraste o teu jugo, e rompeste as tuas ataduras, e disseste: Não servirei: Pois em todo outeiro alto e debaixo de toda árvore frondosa te deitaste, fazendo-te prostituta."
Eu li sobre um homem que, no tempo da sua doença, estava tão aterrorizado com a consciência de seus pecados, que ele fez a própria cama sacudir sobre a qual ele deitou e gritou a noite toda: "Estou condenado, eu estou condenado!" e fez muitas grandes promessas e protestos de emenda da vida, se Deus ficasse satisfeito em recuperá-lo. Pouco depois ele se recuperou, e sendo recuperado, ele era tão vil, tão miserável e perverso como nunca antes.
O costume no pecado tira toda a consciência do pecado: Jer 13:23, "O etíope pode mudar sua pele ou o leopardo suas manchas? Você também não pode fazer o bem estando acostumado a fazer o mal". O etíope não pode fazer sua pele preta ficar branca; nem o leopardo pode mudar suas manchas. Nem mais que eles pode um pobre pecador que se habituou e se acostumou a pecar, que está desesperadamente fascinado pelo pecado - se afastar de seu pecado. As manchas do leopardo não estão nele por acaso, mas por natureza; e são tais que nenhuma arte pode curar, nem a água lavar; porque não estão apenas na pele - mas na carne e nos ossos, nos nervos e na maioria das partes internas.
Por costume, o pecado revelou não só a pele, a vida, o exterior de um pobre pecador - mas também o próprio coração e alma, de modo que ele nunca consegue lavar essas manchas.
[3.] Em terceiro lugar, há um JUDICIAL não pode. O Senhor inflige um julgamento judicial sobre muitas pessoas: não podem retornar de seus pecados, não podem resistir a uma tentação, não conseguem apoderar-se da vida eterna, não podem assegurar-se de trabalhar para suas almas, não podem deixar de desejar em seu coração - eles não podem preferir Cristo acima de todo o mundo, não podem prover para a eternidade, não podem ver as coisas que pertencem à sua paz, etc. E esse não pode acontece pelo Senhor estar irado. Isaías 6: 9-10: "Disse, pois, ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis. Engorda o coração deste povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não veja com os olhos, e ouça com os ouvidos, e entenda com o coração, e se converta, e seja sarado."
Quando os homens estão decididos e desesperadamente resolvidos em seus cursos pecaminosos, quando os homens se tornam teimosos, rebeldes, licenciosos e, com vontade, fecham os olhos contra a luz e impedem seus ouvidos contra a verdade, Deus, em seu juízo justo, os entrega à falta de força , estupidez, cegueira, escuridão! Isaías 44:18: "Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam." Deus em seu juízo justo colocou um não pode judicial sobre eles, para que não pudessem entender as grandes preocupações de suas almas.
Agora, enquanto os homens se encontram debaixo destes tristes não pode, eles nunca podem ver o reino de Deus. Esses três não pode, encadeiam os pobres pecadores, de modo que eles nunca podem chegar a uma visão ou fruição de Deus em graça ou glória - até serem libertados por nascerem de novo.
"Eles não podem ver o reino de Deus"; isto é, eles não podem entrar nele, não podem apreciá-lo, eles não podem ter parte nele, exceto que sejam recém-nascidos, exceto que eles tenham as dores do segundo nascimento.
2. Um segundo argumento para provar que, sem santidade, não há felicidade, é isto: sem santidade, os homens são estranhos a Deus; e, portanto, sem santidade, não podem ser admitidos em uma convivência com Deus. Deus ama não habitar com estranhos nem associar-se a estranhos. Agora, tais são todas pessoas profanas: Ef 2:12, "naquele tempo você estava sem Cristo, sendo estrangeiros da comunidade de Israel" (ou, muito longe da cidadania de Israel) ", e estranhos dos pactos da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo ". Aqui estão cinco "sem" nas palavras:
1. Eles estavam sem Deus, o autor da esperança.
2. Eles estavam sem Cristo, o fundamento da esperança.
3. Eles estavam sem a igreja, o lugar da esperança.
4. Eles estavam sem os pactos da promessa - isto é, eles estavam sem as preciosas promessas, que Deus em sua aliança havia feito e, muitas vezes, se renovaram com os israelitas, e, portanto, são chamados de pactos no plural - o motivo e a razão da esperança.
5. E, finalmente, eles estavam sem a graça da esperança: eles não tinham esperança de comunhão com Cristo, sem esperança de comunhão com os santos, sem esperança de interesse na promessa, sem esperança de reconciliação com Deus aqui, nem qualquer esperança de uma fruição de Deus a seguir.
E assim você vê que eram estranhos para o Senhor e para as grandes preocupações de suas próprias almas. Deus no passado não teria estranhos no seu santuário; e você pensa, então, que ele admitirá isso no paraíso? Certamente não! Eze 44: 6-9, "E dirás aos rebeldes, à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Bastem-vos todas as vossas abominações, ó casa de Israel! Porquanto introduzistes estrangeiros, incircuncisos de coração e incircuncisos de carne, para estarem no meu santuário, para o profanarem, quando ofereceis o meu pão, a gordura, e o sangue; e vós quebrastes o meu pacto, além de todas as vossas abominações. E não guardastes a ordenança a respeito das minhas coisas sagradas; antes constituístes, ao vosso prazer, guardas da minha ordenança no tocante ao meu santuário. Assim diz o Senhor Deus: Nenhum estrangeiro, incircunciso de coração e carne, de todos os estrangeiros que se acharem no meio dos filhos de Israel, entrará no meu santuário."
O céu não seria nenhum paraíso, se houvesse estranhos lá. Tal como não teria santidade dentro, nem nenhuma santidade fora; tal como aqueles que não tinham santidade em seus corações, nem nenhuma santidade em suas vidas - Deus, portanto, certamente, nunca permitirá que entrem no céu. [Mateus 7: 21-23, 25: 11-12 e 22: 11-13.] Se Deus fecha as portas de um tabernáculo terreno contra os estrangeiros, ao seu pacto, à sua igreja e a si mesmos - Ele não fechará mais a porta de seu tabernáculo celestial contra aqueles que são estranhos para ele, para o seu Cristo e para a sua palavra - sim, que são estranhos às suas próprias almas e a todas as preocupações de outro mundo? E tais são todos aqueles que são incircuncisos de coração.
Os palácios dos príncipes não são para estranhos, mas para filhos, amigos, conhecidos, favoritos; assim também, é o palácio do céu. Não vamos admitir desconhecidos para conviver conosco; e Deus admitiria que convivesse com ele, quem nunca teve conhecimento ou familiaridade com ele? Certamente não! Na história, lemos de cidades que não admitiam estrangeiros para habitar entre eles; e essa cidade é essa acima, Êxodo 33:12, 17. Há muito que se concluiu que, no céu, não haverá estranhos: ninguém será admitido nesse estado, senão aqueles dos quais Deus conhece pelo nome.
3. Pessoas profanas têm comunhão e familiaridade com Satanás, e, portanto, sem dúvida, Deus não terá familiaridade nem comunhão com eles. 2 Cor 6: 14-16. Como a justiça não pode ter comunhão com a injustiça, nem a luz com as trevas, nem Cristo com Belial, nem céu com inferno; nem mais pode um Deus santo ter comunhão com almas profanas, porque eles são a casa de Satanás, Lucas 11:21; Apo 18: 2. Ele mantém posse deles como um homem mantém sua casa, e tem familiaridade com eles como um homem tem com os da sua casa: ele é seu pai, e eles são seus filhos, João 8:44; e olhe, que familiaridade tem um pai com seus filhos, e a que tem um diabo profano com almas profanas.
Um trabalhador não pode estar mais familiarizado com suas ferramentas do que Satanás está com almas profanas; e, portanto, dele é dito que trabalha nos filhos da desobediência, como um ferreiro trabalha em sua forja, ou como um artífice trabalha em sua loja, Ef 2: 2. Os homens profanos têm comunhão com Satanás: 1 João 5:19: "E sabemos que somos de Deus, e o mundo inteiro está no maligno"; ou naquele ímpio o diabo, como no original grego; eles repousam, por assim dizer, no seio de Satanás, como a criança está no seio da mãe, ou como a esposa está no seio do marido, ou como um amigo está no seio de outro amigo. Pessoas profanas participam dele em sua mesa; eles comem com ele, e bebem com ele, e conversam com ele: 1 Cor 10:21: "Não podeis beber o cálice do Senhor, nem o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios".
Agora, é menos do que blasfêmia, afirmar que um Deus santo terá comunhão com aqueles que têm comunhão com o diabo? Deus não expulsou Satanás do céu, só para que ele abrisse espaço para os escravos de Satanás no céu. Se o céu era muito sagrado para manter demônios profanos, será finalmente considerado muito sagrado para manter almas profanas. Certamente não devem repousar no seio de Deus, aqueles que têm o diabo como companheiro de cama.
4. Em quarto lugar, as pessoas impróprias estão cheias de contradição para com Deus: suas naturezas, princípios, práticas, objetivos, mentes, vontades, afeições, julgamentos, intenções e resoluções são contrários a Deus, seu nome, natureza, ser, verdade e glória. [Lev 26: 21-24, 27-28, 40, 41; Isaías 58: 4-6; Jer 44: 16-18; 2:25 e 18: 11-2]. Vocês podem, logo, trazer o oriente e o ocidente, o norte e o sul, a luz e a escuridão, o céu e o inferno juntos - como você trará um Deus santo e almas profanas. Antipatias nunca se harmonizarão; assim que a meia noite se casar com o meio-dia, um Deus santo abraça um pecador profano. Que as pessoas profanas são constituídas por contrariedades a Deus, é mais evidente, como você pode ver em Isaías 22: 12-13: "O Senhor Deus dos exércitos vos convidou naquele dia para chorar e prantear, para rapar a cabeça e cingir o cilício; mas eis aqui gozo e alegria; matam-se bois, degolam-se ovelhas, come-se carne, bebe-se vinho, e se diz: Comamos e bebamos, porque amanhã morreremos." Essas almas tristes praticam bastante o contrário do que o Senhor pede de suas mãos. Ele os chama ao choro e ao luto - e contemplam alegria; ele os chama ao jejum - e eis que não há nada além de banquete e alegria - e desprezo a Deus e a seus terríveis julgamentos, Romanos 8: 7; Tiago 4: 4.
As almas profanas, em todas as suas atuações e caminhadas, ainda serão opostas a Deus; eles ainda serão cruéis e contrários a ele: João 8:38: "Estou lhe dizendo o que vi quando estava com meu Pai. Mas você está seguindo o conselho de seu pai (o Diabo, versículo 44)". Os corações profanos estão cheios das mais altas tensões de oposição contra o Senhor. Eu li de um rei, que, tendo recebido um golpe da mão de Deus, jurou solenemente vingar-se dele; e ordenou que pelo espaço de dez anos, nenhum homem deveria orar a ele, falar dele, nem, enquanto ele estivesse em autoridade, acreditar em Deus. Oh, a vaidade, a contradição e a blasfêmia deste príncipe!
Céu e terra, fogo e água, o lobo e o cordeiro, os ventos e o mar concordarão mais cedo do que um Deus santo e um coração profano. Não pode haver amizade onde exista uma antipatia espiritual. (Nota do tradutor: Daí a necessidade de um novo nascimento – regeneração, de justificação, de conversão, de santificação, para que o pecador seja habilitado a ter comunhão com o Deus que é completamente santo.)
5. Em quinto lugar, sem santidade, nenhum homem pode ter qualquer comunhão espiritual com Deus neste mundo. Ele pode ouvir a Palavra - mas ele não pode ter nenhuma comunhão com Deus ao ouvir sem santidade. Ele pode orar - mas ele não pode ter comunhão com Deus em oração sem santidade. Ele pode chegar à Ceia do Senhor - mas ele não pode ter comunhão com Deus no sacramento sem santidade. Ele pode entrar na comunhão dos santos - mas ele não pode ter comunhão com Deus na comunhão dos santos sem santidade. Ele pode ler e meditar - mas ele não pode ter nenhuma comunhão com Deus em leitura e meditação sem santidade. Deut 23:14: "Porque o Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar, e para te entregar a ti os teus inimigos; pelo que o teu arraial será santo, para que ele não veja coisa impura em ti, e de ti se aparte." "Mantenha a santidade entre vocês, e você me manterá entre vocês", diz Deus; "Mas se vocês se afastarem da santidade, sem dúvida me afastarei de vocês!"
Um Deus santo manterá companhia com ninguém senão aqueles que são santos. A santidade é o vínculo que liga Deus e as almas juntamente. Deus se achegará àqueles que em santidade se juntaram rapidamente a ele; mas se ele vê impureza e maldade entre vocês, ele certamente se afastará de vocês. O Espírito Santo chama de mentirosos àqueles que dizem ter comunhão com Deus - e, no entanto, mantêm familiaridade e comunhão com o pecado: 1 João 1: 6: "Se dissermos que temos comunhão com ele e andamos em trevas, mentimos". (Nota do tradutor: Embora os que se convertem a Cristo não cheguem a atingir a perfeição absoluta sem pecado neste mundo, todavia, desde a sua conversão eles passam a não mais amar o pecado como antes, e não mais fogem de Deus, mas o buscam mais do que a si mesmos e a tudo o mais. Se antes eram indiferentes a Deus e o odiavam, agora o amam de todo o coração. Eles não querem satisfazer aos desejos de Satanás em qualquer sentido. Eles odeiam o pecado, e se entristecem e se arrependem quando pecam. Esta é pureza de coração evangélica, pois quando há sinceridade nestes sentimentos, comprova-se que houve verdadeira conversão a Cristo, que por Sua própria justiça e obediência perfeitas garante a nossa aceitação por Deus.)
Os homens podem ser muito aplicados em ordenanças - e, no entanto, por falta de santidade, não terem comunhão com Deus em ordenanças, Isaías 1: 11-18; e embora a comunhão com Deus nas ordenanças seja a própria vida e alma das ordenanças - porém, as multidões que gozam das ordenanças podem se contentar e se satisfazer sem aquilo que é a própria vida, alma e quintessência das ordenanças. Há muitos que clamam: "Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor", que não têm nenhuma comunhão com o Senhor do templo, Jer 7: 4-12. Embora as pessoas profanas possam se dedicar muito a ordenanças - mas nunca terão qualquer vantagem porque não podem chegar à comunhão com Deus nelas, Isaías 29 : 13; Eze 24: 21-22 e 33: 30-32. Como muitos homens que se levantam cedo e vão dormir tarde, e fazem muito esforço para serem ricos no mundo - e ainda assim, são pobres, e ainda são mendigos, e miseráveis no mundo: tantos se levantam cedo e chegam até as ordenanças, exercitam-se muito em deveres religiosos - e, no entanto, suas almas são pobres e mendicantes. E não admira, pois eles não têm estoque de santidade interior para negociar.
6. Pessoas impróprias são tolas; e o que devem fazer na presença de Deus, que é a própria sabedoria? O tolo e o ímpio são palavras sinônimas, significando o mesmo, na Escritura: Salmo 14: 1, "O tolo" (isto é, o ímpio, a pessoa profana) "disse em seu coração: Não há Deus. Eles são corruptos, fizeram obras abomináveis, não há quem faça o bem"; Jer 4:22: "Deveras o meu povo é insensato, já me não conhece; são filhos obtusos, e não entendidos; são sábios para fazerem o mal, mas não sabem fazer o bem."; Provérbios 1: 7, "Os tolos desprezam a sabedoria e a instrução"; isto é, os homens ímpios e tolos desprezam a sabedoria e a instrução. (Nota do tradutor: Em Ef 5.17 os crentes são convocados a não serem insensatos, mas procurar saber a vontade de Deus. Pedro, em I Pe 2.15 conclama os crentes “a saber emudecer a ignorância dos insensatos, mediante suas boas ações”. Ao concluir o ensino e exortações do Sermão do Monte, nosso Senhor afirmou em Mt 7.24 que o homem que praticasse tal ensino e exortações seria prudente e não poderia ser abalado pelas tempestades desta vida. A palavra para prudente no texto de Mt 7.24 no original grego é frónimos, ou seja, sábio e sensato, segundo a vontade de Deus. Já o homem que não pratica tal ensino e exortações do Sermão do Monte, é chamado em Mt 7.26 por nosso Senhor pela palavra grega morós, ou seja, insensato, tolo que por negligenciar a sabedoria de Deus no seu modo de viver, se achará em completa ruína quando as tempestades derem sobre ele.)
E para mostrar que o mundo está cheio de tolos, ele usa a palavra no plural não menos de dezesseis vezes neste livro dos Provérbios. Devo abrir essa verdade um pouco mais para você, provando que eles têm todas as notas e propriedades características dos tolos; de modo que um rosto não é mais como outro que um tolo é como um homem perverso, ou que um homem perverso é como um tolo; porque,
(1.) Primeiro, um tolo prefere brinquedos e bagatelas - acima das coisas de maior valor. Provérbios 1:29. Ele prefere uma moeda de bronze brilhante, acima de uma peça de ouro; uma boneca bonita - acima de uma herança rica; uma maçã que agrada seu olho - acima de uma pérola de excelente preço. Apenas assim, homens ímpios e tolos, preferem suas concupiscências antes que o Senhor. Isaías 65:12: "Eu também vos destinarei à espada, e todos vos encurvareis à matança; porque quando chamei, não respondestes; quando falei, não ouvistes, mas fizestes o que era mau aos meus olhos, e escolhestes aquilo em que eu não tinha prazer. " Na escolha, eles preferiram as honras, as riquezas, a bravura e a glória do mundo - acima de suas próprias almas e os grandes interesses de outro mundo. [Tal era o cardeal Borbonius, que professava que não deixaria sua parte em Paris por uma porção no paraíso.] Tais idiotas eram Labão e Nabal, no Antigo Testamento, (cujos nomes por inversão de letras são iguais e o último significa um tolo), e esses foram os dois ricos tolos no Novo Testamento, Lucas 12: 16-22 e 16: 19-31.
Eu li sobre o povo tolo do Ceilão, que preferiu o dente de um macaco consagrado - acima de uma incrível massa de tesouros. Tais insensatos são todas as pessoas profanas, que preferem os brinquedos, as bagatelas deste mundo - acima dos prazeres e tesouros que estão na mão direita de Deus. O mundo está cheio de tolos.
Alguém diz: "Se você vir a vida dos homens, você julgará o mundo inteiro como uma casa de tolos!" Ah, amigos! Que loucura pode ser comparada com a dos homens, gastando seu tempo, força, vida, almas, em obter as grandes coisas deste mundo e negligenciando aquela coisa necessária, a salvação de suas almas! Oh, que vaidade é preferir uma fumaça de honra, uma explosão de fama, um sonho de prazer, uma pedra de ouro, uma veste de Babilônia e tais bagatelas transitórias e lixo - antes de uma eternidade de bem-aventurança!
(2.) Em segundo lugar, os tolos não fazem nenhuma melhoria de vantagens e oportunidades que são colocadas em suas mãos. Provérbios 17:16: "De que serve o preço na mão do tolo para comprar a sabedoria, visto que ele não tem entendimento?" [Como os gafanhotos, eles cantam e se desviam do seu precioso tempo e oportunidades de piedade, etc.] Não tem como objetivo colocar um preço na mão - se a loucura estiver ligada ao coração. Se um homem tivesse tanta riqueza como para comprar toda a graça, toda a paz, todos os confortos e toda a sabedoria do mundo; ainda, se ele não tem inteligência nem vontade de fazer uma melhoria de sua riqueza - que bem sua riqueza lhe faria? Com que finalidade o mercado está aberto, e uma grande quantia colocada nas mãos do comprador - se o comprador não tem sabedoria nem coração para comprar? As pessoas impróprias são muito tolas espiritualmente: embora tenham uma soma, uma oportunidade colocada em suas mãos, que, se melhoradas, as tornariam felizes para sempre; no entanto, eles não têm nenhum coração para fazer uma melhoria dos meios e vantagens que podem fazê-los bons para toda a eternidade. [Provérbios 1:20; Isaías 53: 1; 55: 1-2; Mateus 25: 3, 6, 10; 23:37; Lucas 19: 41-42, etc.]
Ah, que oportunidades têm as pessoas não santificadas para mudar os corações, renovar suas naturezas, purgar as consciências, reformar as vidas, Obter o interesse em Cristo, o favor de Deus, buscar o perdão do pecado, prover para suas almas imortais! Mas eles não têm corações para melhorar essas oportunidades - e, ao negligenciá-las, elas cortaram a garganta de suas próprias almas. E este será o verme que os roerá por toda a eternidade - que deixaram escapar as oportunidades da graça - que desprezaram as épocas da misericórdia. Ah, senhores, não há engano em comparação com aquele tolo que tem uma oportunidade em sua mão para se tornar feliz para sempre - e ainda não tem coração para melhorar. O lugar mais quente do inferno será a porção de tais tolos, Mateus 11: 21-22.
A pequena abelha, assim que as flores aparecem, vai para o exterior, vê as cores variadas e a diversidade dos campos floridos - suga o mais doce deles, carrega o néctar e faz um maravilhoso favo de mel - e tão cedo acumula mel no verão para o inverno. E assim, a formiga ocupada no verão prepara alimento para o inverno, Provérbios 6: 6-8; a cegonha, o grou e a andorinha conhecem suas estações e oportunidades, Jer 8: 7. Todas essas pequenas criaturas não estão muito abaixo do homem na natureza, pois estão acima do homem pecador em valor, sabedoria e trabalho. Estes melhoram suas estações de verão, suas horas de colheita; e, no entanto, tais tolos espirituais são homens perversos - que deixam escapar tais temporadas de graça e misericórdia - que não podem ser redimidos com dez mil mundos. Ah, como o homem caiu de sua nobreza primitiva e glória - que essas pequenas criaturas ocupadas são propostas como um padrão de diligência e sabedoria para ele!
(3.) Em terceiro lugar, os tolos naturais são muito inconstantes. Agora são por isso - e depois por aquilo; agora nesta mente - e depois naquela. Suas mentes são mais variáveis do que a lua; eles são apenas constantes em inconstância. Tais tolos espirituais são pessoas impiedosas. Por enquanto, são a favor de uma causa justa, e em pouco tempo estão contra ela. Agora eles são por Deus, e depois eles estão contra ele. Agora eles clamam "Hosana, Hosana no mais alto", Mat 21: 9, 15; mas eles aguentaram essa mente por muito tempo? Não! Sua mente está mudada e eles clamam: "Crucifica-o, crucifica-o!" Lucas 23:21. Agora são pelos santos, e logo depois são contra eles. Agora eles clamam o evangelho, e depois fazem oposição contra o evangelho. Agora eles abraçam gentilmente o evangelho - mas assim que eles acham que restringe seus desejos e liberdades carnais, eles fazem oposição feroz contra o evangelho. Esta semana são pelas ordenanças, e nas próximas são contra as ordenanças. Esta hora eles abandonarão seus pecados, e na próxima hora eles retornarão para seus pecados como o "cachorro para o seu vômito, e como a porca ao lodaçal", 2 Pedro 2: 20-22. Agora são por este caminho, e depois por aquele. Agora eles são dessa opinião, e em breve por aquela. Seguem essa religião, e amanhã seguem outra, 2 Reis 17:33; como Baldwin, um advogado francês, de quem se diz que todos os dias ele tinha uma nova religião - mas não era constante em nenhuma. Neste momento você deve ouvi-los abençoar, e no próximo momento você os ouvirá amaldiçoando: Tiago 3: 9-10, "Da mesma boca procede bênção e maldição."
Luiz Segundo juraria, e depois beijaria seu crucifixo, e então juraria novamente com mais confiança, e beijaria seu crucifixo com mais devoção. Agora, porque esta época está cheia de tolos tão benignos, e felizmente este Tratado pode cair em algumas de suas mãos, me dê permissão para dizer, que é observável que a palavra no hebraico que a Escritura usa para jurar, é sempre usada na voz passiva, para destacar que um homem não deve jurar, senão quando um juramento é colocado sobre ele, e ele é dirigido para ele. A palavra também tem uma significação de sete, como tendo referência, dizem alguns, aos sete espíritos de Deus diante do trono, diante de quem juramos, e, portanto, nunca devemos jurar, senão em "verdade e justiça", Jer 4: 2; Apo 1: 4 e 5: 6. Um dia você terá esses tolos espirituais, esses profanos, gritando: "Ó céu, céu, céu!" Oh, que possamos ir ao céu! E no dia seguinte você os verá como se não houvesse nem céu nem inferno! Um dia com Balaão, você deve desejar: "Para que possamos morrer a morte dos justos!" E no dia seguinte com Saul, você perseguirá os justos até a morte! Um dia você clamará: "O que devo fazer para ser salvo?" E no dia seguinte você deve viver como se estivesse resolvido a ser condenado. Assim, esses tolos espirituais, como tolos naturais - são sempre inconstantes.
(4.) Em quarto lugar, os tolos se deleitam com diversões e brincam com coisas que são dolorosas, perniciosas e perigosas para eles, como todos sabem que observaram algo de tolos naturais. "Os ímpios andam por toda parte, quando a vileza se exalta entre os filhos dos homens.” Salmo 12: 8. "E um divertimento para o insensato o praticar a iniquidade; mas a conduta sábia é o prazer do homem entendido." Provérbios 10:23. Os tolos têm grande prazer em fazer o mal. O pecado e a maldade são um esporte ou recreação para um tolo. É um grande prazer e alegria para um tolo, fazer mal. Os tolos se arriscam com o pecado - o que eles deveriam temer mais do que o próprio inferno! Eles fazem um esporte do pecado - o que provará uma questão de condenação para eles. Eles fazem um passatempo, um jogo de pecado - o que os deixará miseráveis para toda a eternidade. Aqueles que amam esse tipo de passatempo terão o suficiente no inferno. Todos os incrédulos são tais tolos - pois se deleitam com o pecado, que é a coisa mais corrupta e perigosa do mundo.
Salmo 62: 4, "deleitam-se em mentira", Provérbios 1:22. Embora cada mentira merece uma facada de Deus - ainda que os tolos espirituais façam senão um esporte delas. "Eles adoram se entregar aos prazeres do mal em plena luz do dia". 2 Pedro 2:13. "Eles escolheram seus próprios caminhos, e suas almas se deleitam em suas abominações". Isaías 66: 3. "E para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na injustiça." 2 Tessalonicenses 2:12. Não que haja um prazer real na intemperança; pois se houvesse, Heliogabalus, uma pessoa excessivamente intemperante, teria sido mais feliz do que Adão no paraíso. Apicius foi o maior glutão que já existiu; por fim, ele se enforcou: por exemplo, isso deve pendurar no inferno, os que se deleitam em abusar muito das criaturas, do Criador e de suas próprias almas e corpos. Bem, senhores! O pecado é o veneno da alma, a nudez da alma, a doença da alma, o peso da alma - e se a misericórdia de Deus não o impede - o pecado provará ser a eterna destruição da alma. Oh, então, quão grande é a loucura, dos que se deleitam com o pecado, e quem se diverte com ele!
[5.] Em quinto lugar, os tolos naturais são envolvidos mais com o brilho exterior, a beleza e a glória das coisas - do que com a sua virtude intrínseca, e o valor delas. Assim, os corações profanos são mais inclinados para a forma da piedade do que para o seu poder, 2 Tim 3: 5; eles são mais interessados em ter um nome para viver, do que ter um nome para ser santo, Apocalipse 3: 1,2. Muitos têm o nome de cristãos para sua condenação, não para a salvação, Isaías 58: 2-6; Mateus 1:21; Zacarias 7: 4-7. Eles são levados mais pelo brilho exterior e a pompa dos deveres, do que são levados com a espiritualidade e a santidade dos deveres; Eze 33: 30-32. São mais ocupados com a sombra da religião - do que com a substância da religião.
(6.) Sexto, os tolos naturais se ocupam somente com o PRESENTE. Eles apenas se importam e cuidam das coisas desta vida - como o que comerão, e o que beberão, e o que devem vestir. Eles ocupam-se apenas com seus corpos, suas barrigas, suas costas. Eles não se importam com suas almas imortais. Tais tolos são todas as pessoas não santificadas; eles olham apenas para seus corpos, e suas preocupações externas; eles não olham para as necessidades, misérias e necessidades de suas almas. Tais foram os que são citados em João 6: 26-27, que cruzaram os mares e seguiram Cristo para os pães - mas nunca procuraram o alimento que perdura para a vida eterna. E esses tolos eram aqueles de Oséias 7:14, "que uivavam em suas camas para o trigo e para o vinho". Apenas deixe que eles tenham comida para seus corpos - e eles não se importam com o que aconteça às suas almas! E eles estavam em Fp 3:19, "cujo Deus era seu intestino". E tais foram os laodicenses em Apocalipse 3: 14-19, que tinham corpos bem alimentados - mas almas famintas; cujas casas estavam cheias de bens, mas seus corações vazios de Cristo e graça; que eram ricos em coisas temporais - mas muito pobres e mendicantes em espirituais. E esse foi aquele rico insensato em Lucas 12, que apenas guardou seu corpo para esta vida - mas nunca cuidou de outra vida, para a vida eterna; ele fez muitos anos de provisão para o seu corpo - e nem um dia de provisão para a sua alma; ele falou de viver muitos anos - quando ele não teve um dia nem uma noite a mais para viver neste mundo. E sendo tão tolo em seu cálculo, Cristo o marca como um tolo para todas as gerações: ver. 20-21: "Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.”
Todo homem no mundo é um tolo - quando ajunta tesouro para si mesmo, que acrescenta terra a terra, e casa a casa, e bens sobre bens, para centenas e milhares - e não é rico em relação a Deus. [Platão vendo um excesso de indulgência com seu corpo, perguntou o que ele queria por tornar sua prisão tão forte.] Esta época está cheia de tolos que cuidam dos seus corpos - mas morrem de fome em suas almas: que estão nuas, e esfarrapadas, e destituídas de toda graça e bondade.
[7.] Em sétimo lugar, o curso mais intenso e severo que você possa tomar, não pode separar um tolo e sua loucura. Você vê isso em Faraó, que, embora ele estivesse frequentemente na argamassa de Deus – ainda, ele não poderia ser separado de sua loucura; além disso, ele preferiu ser espancado até a morte e ver seus amigos, relações, favoritos, seguidores, sujeitos e soldados, com seus primogênitos, espancados até a morte diante de seus olhos, em vez de deixar sua loucura. E um tolo foi o rei Acaz, que, quando Deus o teve na argamassa, e ameaçou vencê-lo e matar seu povo; ainda assim, em sua angústia, ele pecou mais contra o Senhor, 2 Crôn 28:22 e, portanto, por sua obstinação, e irreversibilidade, ele é marcado como um carvão negro pelo Senhor para toda a posteridade.
E esses tolos espirituais são todas as pessoas que não se apartam do mal dos seus feitos quando visitadas pelos juízos de Deus. Jer 5: 3, "Ó Senhor, acaso não atentam os teus olhos para a verdade? feriste-os, porém não lhes doeu; consumiste-os, porém recusaram receber a correção; endureceram as suas faces mais do que uma rocha; recusaram-se a voltar." Nenhuma dor, nem sofrimento, nem calamidades nem misérias, podem afastar um tolo obstinado de suas impurezas: Jer 6:29, "Já o fole se queimou; o chumbo se consumiu com o fogo; debalde continuam a fundição, pois os maus não são arrancados." [Veja Esdras 22:18; Jer 2:30, 31 e 19:15; Amós 4: 4, 13; Isaías 26: 10-11; 2 Pe 22].
[8.] Oitavo, os tolos naturais fazem as trocas mais estúpidas e prejudiciais. Eles trocarão uma pérola - por um pino; coisas de maior valor por uma pena, uma fita, um brinquedo, uma bagatela. Os índios tolos preferem cada brinquedo e bagatela acima de suas minas de ouro. Todas as pessoas profanas são tolos espirituais. Eles trocarão as coisas espirituais pelas carnais; e as eternas pelas temporais. Eles trocarão Deus, Cristo, o evangelho, o céu e suas almas, por uma luxúria, por um pouco dos sorrisos, prazeres ou lucros do mundo.
7. Um sétimo argumento para provar que sem santidade real não há felicidade; que sem santidade na terra, nenhum homem jamais terá uma visão abençoada ou uma fruição de Deus no céu, é isto: pessoas impuras devem ser excluídas da santidade, da comunhão especial com Deus e da comunhão com os santos neste mundo; e, portanto, sem qualquer dúvida, nunca serão admitidos na comunhão eterna com Deus, Cristo, os anjos e santos no outro mundo. Que eles são excluídos de ter uma comunhão especial com os santos aqui, é muito evidente e o vemos em várias Escrituras. Tome estas por exemplo: Lev 10:10: "E que possas colocar a diferença entre santo e profano, e entre impuro e limpo"; Eze 44:23 "E ensinarão ao meu povo a diferença entre o santo e o profano, e os farão discernir entre o impuro e o limpo". E porque os sacerdotes não melhoraram seu poder e interesse por preservar as coisas de Deus de profanação e poluição, o Senhor foi muito ofendido e provocado: Eze 22:26: "Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem ensinam a discernir entre o impuro e o puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles." E no capítulo 44: 7-8, Deus se queixa tristemente de que "trouxeram para o seu santuário estrangeiros incircuncisos de coração e incircuncisos de carne"; e proíbe aos tais entrarem no seu santuário, verso 9 "Assim diz o Senhor Deus: Nenhum estrangeiro, incircunciso de coração, nem incircunciso em carne, entrará no meu santuário, de qualquer estranho que esteja entre os filhos de Israel."
Deus espera que professantes fiéis façam a diferença entre pessoa e pessoa, entre o santo e o profano, entre o limpo e o impuro, em todas as administrações sagradas: Jer. 15:19 "Portanto assim diz o Senhor: Se tu voltares, então te restaurarei, para estares diante de mim; e se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles a ti, mas não voltes tu a eles." Agora, certamente, se, sob a lei cerimonial, a impureza natural excluía os israelitas da participação nas coisas sagradas, então, certamente, a impureza moral pode justamente excluir os cristãos da participação nas coisas sagradas sob o evangelho: Mat 7: 6: "Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, para não acontecer que as calquem aos pés e, voltando-se, vos despedacem."
Existem dez tipos de pessoas de quem os cristãos devem se afastar, com as quais não devem ter intimidade com nenhuma comunhão especial neste mundo.
(1.) Primeiro, incrédulos. 2 Cor 6: 14-18. “Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.”
(Nota do tradutor: A comunhão íntima com os incrédulos não é recomendada, mas isto não se aplica à comunicação geral com eles, como se infere das palavras do mesmo apóstolo em I Cor 6.9-11: “Já por carta vos escrevi que não vos comunicásseis com os que se prostituem; com isso não me referia à comunicação em geral com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem sequer comais.” A ordem apostólica assim se restringia aos professantes cristãos, que em tal condição se encontravam sob a disciplina da Igreja, por se considerarem parte do povo da nova aliança, a quem Jesus restringiu tal ordenança. Uma lei para os crentes na Igreja, e não propriamente para todas as pessoas do mundo. O mesmo critério deve ser aplicado aos itens 2 a 8, inclusive, a seguir, com exceção dos itens 9 e 10 que são aplicáveis a todas pessoas, quer cristãs ou não.)
(2.) Em segundo lugar, com aqueles que têm uma mera forma, uma imagem, uma máscara, uma pretensão da piedade - mas negam o poder. (2 Tim 3: 5).
(3.) Em terceiro lugar, com aqueles que vivem de forma desordenada - que vivem sem emprego, ou de forma ociosa e negligente em seu emprego; estes tornam a religião odiosa, fazendo a religião uma máscara por sua ociosidade e preguiça: 2 Tes 3: 6: "Agora vos mandamos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês se retirem de todo irmão que anda desordenadamente".
(4.) Em quarto lugar, aqueles cujos julgamentos são corruptos e infundados nas verdades fundamentais. Tito 3:10: "Ao homem faccioso, depois da primeira e segunda admoestação, evita-o." Um pouco de fermento leveda toda a massa, e que fermento é mais contaminante do que o de heresia e erro? "Todo aquele que vai além do ensino de Cristo e não permanece nele, não tem a Deus; quem permanece neste ensino, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz este ensino, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda participa de suas más obras.". 2 João 1: 9-11. Você não deve ter nada a ver com aqueles que não têm nada a ver com Deus, 1 João 2: 22-25; Colossenses 2:18, 19.
Uma mente errada é odiosa a Deus como uma vida perversa; e por que também não seria assim para conosco? Certamente, devemos evitar a sociedade de pessoas erradas, como devemos evitar uma serpente no caminho, ou veneno em nossa comida. 1 Tim. 6: 5, "contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais;” ou, como a palavra grega significa, mantenha-se à distância, como você faria de alguém que tenha uma doença infecciosa.
(5.) Em quinto lugar, aqueles que causam divisões e discórdias entre o povo de Deus. Romanos 16:17: "Rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles.". "Notem"; a palavra grega significa uma marcação que um vigia usa, que fica em uma torre de vigia para espiar um inimigo que se aproxima. Devemos marcar aqueles que causam divisões. "E evitá-los".
(6.) Sexto, aqueles cristãos que são professantes escandalosos e profanos em suas vidas. 1 Cor 5:11, "Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem sequer comais." (Provérbios 9: 6; Salmo 15: 4; Ef 5: 7; Salmo 119: 115; Provérbios 4: 14-15). Não se junte ou se misture com um irmão que desmente sua profissão. Com um irmão cujo curso e vida contradizem sua profissão - não devemos manter a comunhão cristã. Certamente, eu não posso ter comunhão na mesa do Senhor, com quem eu não possa ter comunhão na minha mesa: Ef 5:11, "Não tenha comunhão com obras infrutíferas das trevas, mas sim reprovai-as"; Atos 2:40, "Salvai-vos desta geração perversa". A companhia perversa é muito perigosa e contagiosa: 1 Cor 15:33, "Não se deixe enganar: a má companhia corrompe o bom caráter".
Culpa ou tristeza é tudo o que você deve ganhar com uma companhia ruim, 2 Pe 2: 7-8 – testemunham-no Ló, Davi, José e Pedro. [Salmo 120: 7-8; Gn 42:15, 16; Marcos 14: 66-72; 1 Reis 22: 8; 2 Crôn. 24: 17-18.] Por uma companhia ruim, os cristãos perdem muito da doçura, seriedade, bondade e graça de seus espíritos.
Quão difícil é manter o mandamento do trabalho entre os preguiçosos, ou o mandamento da diligência entre os negligentes, ou o da liberalidade entre os cobiçosos, ou o da humildade entre os ambiciosos, ou o amor entre os maliciosos, ou o de união entre os contenciosos, ou a castidade entre os lascivos, ou a justiça entre os injustos, ou a fidelidade entre os infiéis, ou a gratidão entre os ingratos ou o da fé entre os duvidosos.
(7.) Em sétimo lugar - um sétimo tipo de pessoas que os cristãos não devem ter intimidade, nenhuma comunhão especial com eles são falsos profetas, falsos mestres. [Mateus 16: 6, 11-12; Gál 1: 8; Mateus 7:15, 13; Deut 13: 1-3; Tito 1: 10-11; 2 João 10-11, Mateus 24: 23-24, 26; Romanos 16:17. Não é seguro para um cristão ouvi-los, ou ter comunhão ou companheirismo com eles.
(8) Oitavo, você não deve ter intimidade, nenhuma comunhão especial com obstáculos e refratários, e quem não se submeterá às leis de Cristo. 2 Tes 3:14: "E, se alguém não obedecer a nossa palavra por esta epístola, note que o homem, e não tenha companhia com ele, para que se envergonhe". [A palavra grega é muito significativa, pois denota uma perturbação da mente, que aquele que é afetado com ela, procura onde ele possa se esconder por vergonha.] Tais obstáculos devem ser notados com uma marca de infâmia; tais devem ser infames em seus olhos, que olham com um olho de contumácia a qualquer comando ou instituição de Cristo. A palavra grega significa anotá-lo de modo a fazer um sinal, por assim dizer, nele; ou para marcá-lo de modo a colocá-lo no rubor, para deixá-lo envergonhado.
"Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão; mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano." (Mateus 18: 15-17).
(9.) Um nono tipo de pessoas que os cristãos não devem ter intimidade, nenhuma santa comunhão especial - são os tolos. Provérbios 14: 7: "Vai-te da presença do homem insensato, pois nele não acharás palavras de conhecimento". Provérbios 23: 9: " Não fales aos ouvidos do tolo; porque desprezará a sabedoria das tuas palavras". Não há lucro, nem prazer, nem deleite na sociedade dos tolos. Os tolos não são capazes de fazer o bem nem de receber o bem; e, portanto, o que as boas almas devem fazer entre eles? Um tolo não tem ouvido para ouvir, nem um olho para ver, nem um coração para entender, nem uma lembrança para reter, nem uma vontade de escolha, nem afeições para abraçar - qualquer coisa que seja boa. E, portanto, sua companhia deve ser evitada. A sociedade dos tolos é tão perigosa quanto vexatória: Provérbios 13:20: "Quem anda com os sábios será sábio; mas o companheiro dos tolos sofre aflição." A palavra hebraica usada aqui significa ser quebrado; sim, às vezes um exército é quebrado por alguma surpresa feroz e repentina; um companheiro de tolos será quebrado em seu crédito, em sua propriedade, em seu nome, em sua reputação; sim, em sua própria inteligência, nada contribui tanto para tornar um homem idiota como a companhia dos tolos.
(10.) O décimo e último tipo de pessoas com quem os cristãos não devem ter familiaridade nem sociedade, são os escarnecedores. Que desprezam os santos e a verdadeira religião, e a piedade; que desprezam todos os caminhos de Cristo e todas as instituições de Cristo: Provérbios 9: 8, "Não repreendas ao escarnecedor, para que não te odeie." As repreensões sábias e graciosas são pérolas - que não devem ser lançadas diante dos zombadores. Agora, certamente, se eu não posso repreender os escarnecedores, então eu não posso manter companhia com eles.
O homem bem-aventurado é descrito por isto, Salmo 1: 1, em que ele não "não fica na roda dos escarnecedores." Escarnecedores não são companheiros para homens abençoados. De todos os homens, o homem abençoado nunca escolherá o zombador para ser seu amigo. O próprio Deus despreza o escarnecedor: "Certamente ele despreza o escarnecedor", etc.
E assim você vê os vários tipos de pessoas que Deus excluiu da comunhão de seu povo. Bem, cristãos, lembrem-se disso, pedras mortas não devem ser colocadas em um templo vivo.
8. O oitavo argumento para provar que sem santidade real não há felicidade; que sem santidade na terra, ninguém jamais terá uma visão abençoada ou uma fruição de Deus no céu, é isto: a Escritura, que não fala falsidade, marca as almas profanas, sim, a pior das almas; e o que isso faria no céu? [As pessoas profanas são, ao longo das Escrituras, marcadas, para o seu desprezo eterno - com as piores denominações.] As pessoas impróprias são os seres mais perigosos e os mais nocivos do mundo e, portanto, são tipificados pelos leões, pois são cruéis, Salmo 22:21; pelos ursos - pois são selvagens, Isaías 11: 7; por dragões - pois são horríveis, Ez 29: 3; pelos lobos - pois são vorazes, Eze 22:27; por cães - pois estão rosnando, Apo 22:15; por víboras e escorpiões, pois eles são venenosos, Mat 12:34, Eze 2: 6; por suínos - por sua intemperança, Mat 7: 6. O glutão é representado como suíno; a pessoa fraudulenta é representada como uma raposa; a pessoa rebelde é retratada como um bode; o caluniador é representado como uma áspide; o opressor é representado como um lobo; o perseguidor é representado como um tigre; o sedutor é representado como uma serpente. Certamente, Deus não permitirá que tais animais, e répteis vivam com ele no céu!
"E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro." (Apocalipse 21:27).
O céu é um parlamento de imperadores, uma comunidade de reis. Não há uma alma no céu abaixo do grau de um rei, Apocalipse 1: 6, e todo rei tem uma túnica de honra nas suas costas, um cetro de ouro na mão e uma gloriosa coroa sobre a cabeça. E você acha que ele vai admitir tal aborrecimento como são as pessoas ímpias, para ser daquela sociedade sagrada? Certamente não! Deus há muito se resolveu sobre isso, para que nada imundo entre no céu. "Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.". (Apocalipse 22:15).
Todos no céu são santos: os anjos santos, os homens santos, mas o próprio Senhor, acima de tudo, é o mais glorioso em santidade. Agora certamente seria um inferno para esses santos terem infelizes para serem seus companheiros eternos! Quando os santos anjos caíram de sua santidade, o céu era tão sagrado que os lançou fora, como uma vez se fez a Canaã em relação a seus habitantes profanos, Lev. 18:28; e, portanto, certamente não haverá espaço no céu para pessoas profanas.
Bem, lembre-se disso - que todas aquelas expressões e denominações que desgraçam e vilipendiam pessoas profanas, foram inspiradas por um Espírito Santo, e escritas por santos secretários, e se inscreveram em sua santa palavra, e publicadas por seus santos mensageiros, e todas por Sua santa nomeação, que, como ele é maior do que o maior e mais sábio do que o mais sábio, e melhor do que o melhor, então ele é muito puro e muito santo para revogar as palavras que saíram de sua boca, ou negar ou não saber o que ele falou, nem para manter a verdade contra todos os adversários. (Nota do tradutor: as palavras e expressões fortes que são usadas para definir os ímpios não foram escritas na Bíblia com o intuito de ofendê-los, mas de descrever a forma como são vistos por Deus que é completamente santo e justo, e que se agrada somente da prática do que é verdadeiro, amoroso e justo. Além disso, têm o intuito de convencê-los da real condição de miséria espiritual em que se encontram, de maneira que venham a se arrepender de tal condição e se converterem a Deus por meio da fé em Cristo, pois ele veio ao mundo para salvar ímpios e injustos desta terrível condição em que se encontram naturalmente.)
É profetizado que, quando a igreja for restaurada para a sua pureza e glória, tais pessoas ímpias (que não se converteram) não estarão lá, Isaías 35: 9; Eze 28:24.
9. O nono argumento para provar a verdade da proposição é isto: Deus não teria seus santos neste mundo para serem unidos em casamento com os ímpios; e, portanto, ele nunca permitirá que tal ocorra por toda a eternidade. [Êxodo 23:32; 34:12. Se você deseja ver a grandeza e o perigo deste pecado, então leia Esdras 10 e 1 Reis 11, e compare com Êxodo 34: 14-16; Juízes 3: 6-8. Quando o tirano Dionísio pediu permissão a Aristides para se casar com sua filha – ele disse: "Eu preferia ver minha filha morta - do que casada com um tirano!" A aplicação é fácil.] Que Deus não desejaria que seus justos fossem unidos em casamento com os injustos, é mais evidente por Essas escrituras: Deut 7: 3, 6: "Nem contrairás com elas matrimônios; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos... Porque tu és povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, a fim de lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a terra.”
Esdras 9:12: "Por isso não deis vossas filhas a seus filhos, e não tomeis suas filhas para vossos filhos, nem procureis jamais a sua paz ou a sua prosperidade; para que sejais fortes e comais o bem da terra, e a deixeis por herança a vossos filhos para sempre." Mas eles mantiveram esse mandamento do Senhor? Não, como você pode ver no segundo verso desse capítulo, "pois tomaram das suas filhas para si e para seus filhos; de maneira que a raça santa se tem misturado com os povos de outras terras; e até os oficiais e magistrados foram os primeiros nesta transgressão." Mas como isso funcionou com o bom Esdras? Veja no terceiro verso: "Ouvindo eu isto, rasguei a minha túnica e o meu manto, e arranquei os cabelos da minha cabeça e da minha barba, e me sentei atônito." Oh, a tristeza, o sofrimento, a perplexidade, a santa paixão, a indignação, o espanto, o espanto que esta abominação gerou no coração do bom Esdras!
O efeito semelhante que este pecado teve sobre o coração do bom Neemias, como você pode ver nesse texto notável, Ne 13: 23-25, em comparação com o capítulo 10: 29-30. Assim também, em 2 Cor 6: 14-15: "Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo?" É uma coisa má, uma coisa perigosa, ser unido a qualquer pessoa que não tenha habilidades nem vontade de suportar o jugo de Cristo. De acordo com a lei, um boi e um burro podem não ser unidos ou acoplados, Deut. 22:10; e a isso o apóstolo alude como um juiz - Deus não teria almas justas para se unirem em casamento com aqueles que são injustos. "Uma esposa virtuosa é uma coroa para o marido", Provérbios 12: 4; ela é a vida da vida. Se você é um homem santo, você deve olhar mais para uma porção de graça em uma esposa do que para uma porção de ouro com uma esposa; você deve olhar mais para a justiça do que para as riquezas; mais à piedade do que ao dinheiro; mais à herança que ela tem no céu, do que às posses que ela tem na terra; mais ao interesse que ela tem em Cristo, do que ao interesse que ela tem nas criaturas; mais por ser ela piedosa, do que por todos os seus bens mundanos, 1 Cor 7:39.
Pelo que foi dito, é mais evidente que Deus não teria a semente santa se misturando ou se casando com o profano. E você acha que um Deus santo se misturará e se casará com os tais no céu, por que ele não faria com que seu povo se misture ou se case na Terra? Certamente não! Ou você acha que Deus - que na lei não tem um boi e um burro arando juntos - que ele será unido a tais pessoas, cuja iniquidade os degradou abaixo do boi e do burro? Isaías 1: 3 . Certamente não! (Nota do tradutor: Devemos lembrar sempre que a condição de ímpio pode ser revertida por meio do arrependimento e da fé em Cristo. Trata-se de uma disposição transitória que está sempre em movimento no mundo, pois todos somos concebidos em pecado, e somos ímpios, até que venhamos a nos converter. A graça não corre no sangue e não é transmitida hereditariamente de pais para filhos. Deus se provê de filhos entre os ímpios. A igreja prossegue no mundo por gerações sucessivas graças ao testemunho do evangelho que sendo dado, transporta pessoas das trevas para a luz e da potestade de Satanás, para a de Deus.)
10. O décimo e último argumento para provar que, sem santidade real, não há felicidade, etc., é isto: pessoas que permanecem na impiedade são julgadas e condenadas a outro lugar, ou seja, ao inferno. Salmos 9:17: "Os ímpios serão transformados em inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus". Deus, por assim dizer, com ambas as mãos, empurrou-os para o inferno. [Mat 11:23 e 23:15, 33. A palavra hebraica Seol tem várias significados; às vezes significa a sepultura, às vezes significa angústias extraordinárias; e às vezes significa o inferno ou o lugar dos condenados, como aqui, e como em Jó 11: 8, e Provérbios 15:11.] Os ímpios irão do inferno ao juízo.
Muitos agora dizem que não há mais inferno e que um homem o encontra em sua própria consciência. Multidões pensam que tudo o que é falado do inferno nas Escrituras é falso e mítico. Eles não vão acreditar que há um inferno, até que eles se sintam no inferno, até encontrarem chamas eternas sobre seus ouvidos. Eles são condenados ao fogo eterno, estão condenados a ouvir de Cristo: "Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai- vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos." (Mateus 25:41)
Esta frase terrível não faz mais nada do que fogo e enxofre, terror e horror, medo e desgraça! As últimas palavras que Cristo falará aos ímpios serão as mais atormentadoras e horríveis, as mais condenatórias, e as mais doloridas! "Apartai-vos de mim!" Aqui está a rejeição total: "Saia da minha vista! Deixe-me nunca mais ver seu rosto!"
Você não amou a bênção, e, portanto, você terá maldição suficiente: "Afastai-vos de mim, malditos!" todas as suas maldições devem finalmente recuar sobre suas próprias almas. Agora você amaldiçoa todo homem e coisa que está no caminho de suas concupiscências, e que cruza seus projetos: mas, finalmente, todas as maldições do céu e do inferno se encontrarão com todo o seu poder e força sobre você!
Mas, Senhor, se devemos partir e partir amaldiçoados, vamos a um bom lugar! Não! "Entre no fogo eterno!" Existe a vingança e a continuação eterna disso. [Fazem, senão sonhar, aqueles que pensam e dizem que o diabo e o maldito serão finalmente libertados, Salmos 11: 6.] Vocês irão ao fogo, para o fogo eterno, que não se extinguirá! A eternidade do castigo extremo é o inferno.
É chamado de "fogo inextinguível", Mat. 18: 8, e "fogo eterno" na Epístola de Judas, verso 7. Os tormentos dos malditos são muito dolorosos pela amargura deles, mas mais dolorosos pela diversidade deles, mas, sobretudo, são pe


Leia também
CONTOS DO ANDARILHO A MULTIPLICIDADE NA UNIDADE. há 1 dia

CONTOS REFLEXIVOS DO ANDARILHO ...
paulocesar Acrósticos 14


A Motivação Correta há 2 dias

“Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais deba...
kuryos Artigos 18


A CALÇADA DE PEDAÇOS DE OUTRAS CALÇADAS há 2 dias

Ele acreditava em seu mundo; seu mundo, também esperava por ele. Ele se...
paiva Poesias 31


Ir, importa mais que a direção. há 2 dias

Vens, ama-me de vez em quando, Ainda quem sem tanto interesse. E assim pe...
elisergio Sonetos 16


A CASA DE BARRO há 3 dias

A CASA DE BARRO Por Roosevelt Vieira Leite A casa de barro de minha cun...
paiva Poesias 39


MULHER-ESPETÁCULO há 3 dias

MULHER-ESPETÁCULO Ela sozinha vale já o ingresso!... Seminua no palco...
ricardoc Sonetos 23