ESTHER

Não raro te surpreendo enternecida
E me perco em teus olhos tão bonitos...
Constelada de deuses e de mitos,
Estrela da manhã e toda a vida.

Não sei a que desastres me convida
Teu olhar entretido em infinitos
No qual há tanto tempo os olhos fitos
Te tenho entre as estrelas confundida.

Brilhante! Como não? Se és tu estrela!...
Sigo o Fado que à tua luz se atrela
Aonde me conduzes amorosa

Decerto em ti descubro quanto é lindo
Emocionado em ver-te ressurgindo
Nas luzes d'um poente cor de rosa.

Betim - 14 05 2018