TROCA-TROCA


As carícias seduzem por cambiantes,

Alternando dos pares seus papéis.

Perdidos, vão-se os dedos e os anéis...

No afã com que se beijam dois amantes.


Tocar e ser tocado, por instantes,

Faz o mundo e seus medos menos cruéis.

N'um retinir de espadas e broquéis,

Àquele que se rende melhor e antes.


Certo de que, afinal, o encontro humano

Afasta para além do desengano

Cada pequena morte com barganhas,


Em dar e receber sentir-se vivo,

Sem importar se activo ou se passivo

O gozo que lhe sobe das entranhas.


Betim - 14 09 2018