Não me importa o que digam

Se os meus olhos chamam pelos teus...

Não me importa o que façam

Se as minhas mãos,

No vazio deixado,

buscam as tuas no adeus

Que ficou sem dizer...

Se pudesse gritaria a tua volta,

Mas estás tão longe

Aonde só o silêncio

Te pode alcançar...

Fico, então, solta nas lembranças,

O que de feliz me deixaste,

Esperando o vulto leve

Que me conduzirá daqui a além

Para que te espere no horizonte,

Divisor de mundos,

Pintado de aurora,

Sem tempo?,??

A sorrir num amanhã.?