CriaturaCria-me com teu beijoCriatura, teus lábios assim,Cria-me no vício teu,Cria-me, tua boca, tua pele,Teu cheiro.Eu me deixo solto, e teuCorpo me solta as amarrasCria-me magistral, cria-meFeitiço absorto de fé.Cria-me criatura, tua formaÚnica de criar-me nas coisasVindas do pensar belo;Ensina-me teu verbo, aoConjugar-me ausente  eMeigamente deixe queEu beba tua água, aplacandoDelírios, calando todo desesperoQue emana a ausência tua.Da tua criatura, únicaDançando leve por entreMeus sonhos e todo meuCaminharCria-me um ser exatoAo teu querer, ao teu pedirAos teus desejos.Cria-me luz envolvendo teuCorpo, arvorando nossa camafeito Deus.Cria-me Deus em tuas oraçõesPara que eu faça nosso mundoEm sete segundosCria-me poupando tuas lagrimasDeixando ao meu estado deGraça as dores que se fizerem,Faça-me teu homem, tão logo Eu me faça presente aos teusolhos.Acorda-me dos pesadelos daTua ausência, exalando teu doce sabor.Cria-me a mulherÚnica em todos os sentidosDa mesma forma, percorraMinhas mãos, onde tens oInegável direito  de ser livre porTodas as linhas da minha vida.Cria-me sem medos, ondeSó as canções habitem comSeus encantos, fascinando os ouvidosA alma e o espirito.Cria-me livre das criaturasNegras que desconhecem asMalicias das flores e debocharDa luaCria-me por todo amor queTemos , cria-meSegundo a tua própria semelhançaFaça-me isto.Pois assim, sei que sou maiorDo que felicidadeQue somos maior de queA vidaQue somos um ou uma únicaCriatura tão perfeita quantoA própria existência deDeus.

Ramon Navarro