Por D. M. Lloyd-JonesQuem esta embaixo não precisater medo de cair. . .aquele que é manso não é sensível, nem com relação a si próprio. Não está sempre a velar por si e por seus inte­resses pessoais. Não está sempre em posição defensiva. Todos nós o conhecemos, não é? Não é uma das maiores maldições da vida, como resultado da queda — essa sensibilidade quanto ao ego? Passamos a vida toda olhando por nós mesmos, Mas quando alguém se torna manso, já acabou com isso tudo; já não se aflige por si e pelo que digam os outros. Ser verdadeiramente manso significa que não mais prote­gemos a nós mesmos, porque percebemos que não há nada em nós que valha a pena defender. Assim, já não ficamos na defensiva; tudo se foi. O homem verdadeiramente manso nunca sente dó de si mesmo, nunca fica com pena de si mesmo. Nunca fala consigo, dizendo: «Você está passando por um mau bocado. Como é indelicada essa gente qiíe não o compreende!» jamais pensa: «Como sou maravilhoso! Bas­taria que os outros me dessem uma oportunidade». Auto-comiseração! Quantas horas e anos gastamos com isso! Mas quem se fez manso pôs fim a tudo isso. Ser manso, em outras palavras, significa que você liqüidou completamente consigo mesmo, e você passa a ver que não tem quaisquer direitos ou méritos. Você passa a entender que ninguém pode fazer-lhe dano. João Bunyan o expressa muito bem: «Quem está embaixo não precisa ter medo de cair». Quando o homem vê-se a si próprio como na verdade é, sabe que ninguém pode dizer dele alguma coisa que seja demasiado ruim. Você não precisa apoquentar-se por aquilo que os homens lhe façam ou digam; você sabe que merece tudo aquilo e mais ainda. Uma vez mais, portanto, defino a mansidão nestes termos: Verda­deiramente manso é aquele que se espanta de que Deus e o homem possam pensar tão bem dele como pensam, e tratá-lo tão bem como o tratam. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxA Bíblia não foi produzida pela inspiração do Espírito Santo de Deus com o mero propósito de narrar a história da redenção, mas revelar a nossa necessidade de redenção do pecado, como também o modo de obtê-la. Por esta revelação somos alertados quanto ao perigo de permanecer na condição de não sermos justificados do pecado, pois se há um futuro de glória esperando pelos redimidos pela fé em Cristo, há um destino horrível aguardando por todos os que não forem redimidos. A revelação foi feita por Deus através da história de Israel no período do Velho Testamento, porque Ele falava por meio desta nação no citado período.Veja tudo sobre as Escrituras do Velho Testamento no seguinte link:http://livrosbiblia.blogspot.com.br/Como a redenção é operada exclusivamente por meio de Jesus Cristo, de quem as Escrituras do Velho Testamento dão testemunho, então, quando Ele se manifestou há cerca de 2.000 anos atrás, não somente a redenção começou a alcançar todas as nações da Terra, bem como o seu testemunho passou a ser dado não mais pela nação de Israel, mas através da Igreja, conforme se vê no Novo Testamento.Veja tudo sobre as Escrituras do Novo Testamento no seguinte link:http://livrono.blogspot.com.br/A Igreja tem testemunhado a redenção de Cristo juntamente com o Espírito Santo nestes 2.000 anos de Cristianismo.Veja várias mensagens sobre este testemunho nos seguintes links:http://retornoevangelho.blogspot.com.br/http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/A Bíblia também revela as condições do tempo do fim quando Cristo inaugurará o Seu reino eterno de justiça ao retornar à Terra. Com isto se dará cumprimento ao propósito final relativo à nossa redenção.Veja a apresentação destas condições no seguinte link:http://aguardandovj.blogspot.com.br/