“5 Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, chegou-se a ele um centurião que lhe rogava, dizendo:6 Senhor, o meu criado jaz em casa paralítico, e horrivelmente atormentado.7 Respondeu-lhe Jesus: Eu irei, e o curarei.8 O centurião, porém, replicou-lhe: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; mas somente dize uma palavra, e o meu criado há de sarar.9 Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.10 Jesus, ouvindo isso, admirou-se, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que a ninguém encontrei em Israel com tamanha fé.11 Também vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus;12 mas os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.13 Então disse Jesus ao centurião: Vai-te, e te seja feito assim como creste. E naquela mesma hora o seu criado sarou.” (Mateus 8.5-13) Nós temos aqui o relato de Jesus curando o servo de um centurião romano que sofria de paralisia e que se encontrava atormentado. Isto se deu em Cafarnaum, onde Cristo estava habitando na ocasião (Mt 4.13).O centurião era um oficial do exército romano, e provavelmente o principal comandante na área de Cafarnaum, que mantinha uma guarnição na referida localidade. Ao ter atendido ao rogo do centurião e curado o seu servo, nosso Senhor estava dando cumprimento à profecia relativa a Ele de que seria uma luz para iluminar os gentios, tanto quanto estava destinado para ser a glória do seu povo de Israel. Ao curar o servo do centurião à distância, sem necessitar tocar nele, Jesus mostrou que tem poder para curar de todas as formas, quer seja de perto, quer seja de longe, quer a quem visse ou a quem não visse, com os olhos de carne. O centurião procurou Jesus demonstrando grande fé e humildade, quando Lhe disse que reconhecia a Sua autoridade para dar ordens para serem cumpridas, e que também reconhecia a Sua excelência a ponto de não ser digno de recebê-lo em sua casa.       Todos que se aproximam do Senhor à busca de uma bênção deveriam se espelhar no exemplo que nos foi deixado pelo centurião.Aquele oficial romano demonstrou uma piedade e cuidado pelo bem-estar do seu próximo, a ponto de estar disposto a se humilhar por amor de um servo. Não foi por si mesmo ou por um filho que recorreu a Cristo, mas por um criado de sua casa. Quão grande valor o Senhor dá à intercessão que é feita em favor de outras pessoas, porque isto dá mostras de não sermos governados pelo egoísmo, mas pelo amor ao próximo que é ordenado por Deus a todos os homens. O centurião não demitiu o criado enfermo apesar de ter-se tornado um peso para ele, e sem utilidade para desempenhar suas funções, e além disso é dito que estava horrivelmente atormentado. Este amor e cuidado do centurião por aqueles que se encontravam debaixo das suas ordens, explica em parte o fato deles serem muito obedientes a ele, porque onde houver verdadeiro interesse e cuidado pelos que estão debaixo do nosso cuidado, isto lhes inspirará a serem gratos, respondendo com o desejo de servir com atenção e diligência, como forma de retribuição. Não foi confiado em sua própria bondade que o centurião se aproximou de Jesus. Ele reconheceu a sua indignidade diante da majestade e santidade do Senhor. Este reconhecimento cabe a todos os homens, porque todos somos pecadores. Ele honrou tanto a Cristo com a sua grande fé, que afirmou que confiava que o Senhor poderia curar o seu servo à distância. Ele deu mostras com isso de reconhecimento do grande poder de Jesus. E tal confiança é muito apreciada por Deus, porque sem fé é impossível agradá-lO. O Senhor se agradou muito da confissão de fé do centurião, porque nela havia a marca do significado da verdadeira obediência que Deus espera de nós. Não pelo constrangimento da Sua presença divina, mas pelo crédito e honra a tudo que nos tem ordenado na Sua Palavra. Uma obediência que tem o caráter daquilo que se diz em Ef. 6.6:“não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus,”  A fé do centurião na Pessoa de Cristo deu ocasião para que o Senhor profetizasse que aquilo era apenas um sinal, uma pequena mostra da grande conversão a Ele que ocorreria em todas as partes do mundo, inclusive no Ocidente, o que tem de fato ocorrido nestes cerca de dois mil anos de Cristianismo. Não foi no panteão de deuses romanos que o centurião romano depositou a sua confiança, mas em Cristo, e assim tem sido com muitos em todas as nações pagãs.Os próprios judeus que eram tidos na conta de filhos do reino de Deus, porque eram eles que estavam naturalmente destinados a recepcionarem a Jesus como Salvador e Senhor deles, vieram por fim a se endurecer em sua grande maioria, rejeitando-O, dando com isso cumprimento às profecias relativas a eles, especialmente as que encontramos no livro do profeta Isaías, no qual se revela claramente que a mensagem do evangelho seria rejeitada pelos judeus mas seria obedecida pelos gentios.A consequência disto e o que Jesus afirma nos versos 11 e 12:“11 Também vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus;12 mas os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.”A citação “filhos do reino” é uma referência aos israelitas, porque eram o povo de Deus na antiga aliança, e era a eles que o reino estava destinado, mas eles o rejeitaram, ao terem rejeitado a Jesus.Assim, os gentios (os não israelitas) que se convertem a Cristo estarão no reino dos céus, e os israelitas que rejeitaram a Cristo, no inferno, que consiste nas trevas exteriores, longe das luzes do reino dos céus, onde há choro e ranger de dentes.  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Veja tudo sobre as Escrituras do Velho Testamento no seguinte link:http://livrosbiblia.blogspot.com.br/Veja tudo sobre as Escrituras do Novo Testamento no seguinte link:http://livrono.blogspot.com.br/A Igreja tem testemunhado a redenção de Cristo juntamente com o Espírito Santo nestes 2.000 anos de Cristianismo.Veja várias mensagens sobre este testemunho nos seguintes links:http://retornoevangelho.blogspot.com.br/http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/A Bíblia também revela as condições do tempo do fim quando Cristo inaugurará o Seu reino eterno de justiça ao retornar à Terra. Com isto se dará cumprimento ao propósito final relativo à nossa redenção.Veja a apresentação destas condições no seguinte link:http://aguardandovj.blogspot.com.br/