HOMOSSEXUALIDADE - Segundo a ciência, ser gay, lésbica ou assemelhado, não é doença, muito menos opção sexual, mas sim uma anomalia. O padrão básico de formação do feto da espécie humana é feminino (É por isso que homens têm mamilos).Entre 6 e 8 semanas depois da concepção, o feto do sexo masculino (XY) recebe uma dose maciça de hormônios chamados androgênios que, primeiro, formam os testículos e, num segundo momento, alteram o cérebro de um formato feminino para uma configuração masculina. Quando esse feto não recebe na época certa a quantidade suficiente de hormônio, duas coisas podem acontecer. Primeiro, nascer um menino com o cérebro estruturamente mais feminino que masculino e que provavelmente vai se descobrir gay na adolescência. Segundo, um bebê geneticamente do sexo masculino, com os genitais correspondentes e o funcionamento do cérebro inteiramente feminino - um transexual.E isso é uma coisa que NÃO pode ser mudada! É uma orientação inalterável!E no caso das lésbicas, é pelo fato de o feto feminino ter recebido grande quantidade de testosterona da mãe, antes das 8 semanas de gestação.Não tem nada de que ser gay vem de criação, pomba gira, desvio sexual e muito menos birra para o pastor Malafaia, o dócil, 1o. e único, inimigo número um dos homos.