Provérbios 1.1: Provérbios de Salomão. Um filho sábio alegra a seu pai; mas um filho insensato é a tristeza de sua mãe.

Salomão, falando-nos como a filhos observa aqui, o quanto o conforto dos pais depende do bom comportamento daqueles sob o seu cuidado, por uma razão:
1. Por que os pais devem ter o cuidado de dar aos seus filhos uma boa educação, e treiná-los nos caminhos da religião, que, se obtiver o efeito desejado, eles próprios terão conforto nisto, e ainda terão o apoio dos pais para que possam cumprir os encargos conforme é o seu dever.
2. Por que os filhos devem se comportar com sabedoria e bem, vivendo de acordo com a sua boa educação, para que possam alegrar o coração de seus pais, e não entristecê-los.
Observe:
(1) Isto contribui para o conforto dos jovens que são piedosos e discretos, para que façam alguma coisa no sentido de recompensarem seus pais por todos os cuidados e dores que tiveram com eles, o que será uma ocasião de prazer nos dias de sua velhice, quando mais precisam deles. E, é dever dos pais se alegrarem com a sabedoria de seus filhos e praticarem o bem.
(2.) Isto aumenta a culpa daqueles que se comportam mal, porque são causa de tristeza para aqueles que deveriam ser uma alegria, porém são um peso especial para pobres mães que os suportaram com tristeza.
Este princípio apresentado pelo sábio é um princípio divino para regular as relações entre pais e filhos. Aos pais cabe formar o caráter de seus filhos, principalmente naquelas coisas reveladas por Deus em Sua Palavra, conforme se depreende do ensino de Deuteronômio 6 e tantas outras passagens bíblicas, que desenvolvem o mandamento de honrar aos pais, constante do decálogo.
Se os pais têm o encargo divino de formar, então é uma consequência natural que os filhos devem obedecê-los e honrá-los, para que possam aprender por meio do seu ensino e exemplo, o modo pelo qual importa viver para o inteiro agrado de Deus.
Infelizmente, vivemos numa época em que os pais já não são em sua grande maioria, exemplos do caráter divino para seus filhos, e na verdade, há casos em que em vez de os filhos serem um motivo de tristeza para suas mães, estas é que são para eles.
Todavia, o mandamento de Deus permanece para aqueles que o amam, e dão a devida consideração à Sua Palavra.
A família nuclear, constituída por pais e filhos vivendo sob o mesmo teto, especialmente no período em que os filhos se encontram sob a dependência completa dos pais, para sua formação física, mental e espiritual, quando possui e conhece o verdadeiro temor que é devido a Deus e à sua Palavra, notadamente naqueles aspectos relativos aos Seus mandamentos em relação ao modo de se proceder em família será uma bênção tanto para si mesma, quanto para outras pessoas e famílias circunstantes debaixo da sua influência.
Não é coisa fácil para um homem assumir o papel de cabeça do lar, nos termos determinados pelo Senhor em Sua Palavra. É necessário consagração e coragem para isto; mas bem-aventurado será tanto o esposo, quanto a esposa que colocarem por prática o princípio de liderança/submissão estabelecido por Deus para todos os casais.
Os filhos que forem educados e admoestados no temor do Senhor, e que aprenderem o verdadeiro temor de Deus, também aprenderão a temer e a respeitar seus pais, sendo-lhes em tudo obedientes.
Quando Deus é honrado desta forma, Ele também honra a família, concedendo-lhe a graça necessária para viver em harmonia e em paz.

Pr Silvio Dutra