Provérbios 13.8: O resgate da vida do homem são as suas riquezas; mas o pobre não tem meio de se resgatar.

O céu nivelará e recompensará todas as diferenças e desvantagens que há neste mundo, entre aqueles que têm um viver folgado pelas riquezas que possuem, e aqueles que vivem em baixas condições de vida por serem pobres.
Por isso Jesus disse, que não deveríamos sequer temer aqueles que podem até mesmo tirar a vida do nosso corpo, pois nada podem fazer contra a nossa alma, quando ela está firmemente segura em suas mãos.
É notório que os ricos podem transgredir a justiça em vários aspectos, e saírem ilesos quanto a qualquer punição que esteja prescrita na lei, por conta não somente de sua influência, como também por terem dinheiro suficiente para contratar os melhores advogados, que conhecem todos os meandros da lei que pode mantê-los em liberdade, de modo permanente ou provisório, pela interposição de vários recursos nas diversas instâncias judiciais.
Desde que o mundo é mundo, que isto é visto como uma prática muito comum entre os grandes e poderosos.
Mas, o pobre, não possuindo meios para se defender, ainda que proceda justamente, pode ser arrastado aos tribunais e ser facilmente condenado, e terá por justiça somente aquela que procede de Deus, o justo juiz, que cuidará dele enquanto sofrer injustamente no período de prisão, assim como fizera com José no Egito, e muitos outros na história da Igreja. E, caso venham a sofrer a pena extrema, como o apóstolo Tiago sob o rei Herodes, lhes está reservada e garantida uma entrada gloriosa no céu, pelo martírio que sofreram por causa do seu amor ao evangelho. Estes entram na vida eterna.
Mas, aqueles que confiaram nas riquezas para serem livrados das penas relativas aos males que praticaram, não contarão com o mesmo destino, pois lhes está reservado uma condenação eterna, num lugar de horror e vergonha também eternos.

Pr Silvio Dutra