JORNALISMO INTERNACIONAL

19 de Abril de 2012 Jéssica Severo Artigos 1831

O jornalismo internacional praticado no Brasil era pouco ou quase nada praticado nas primeiras décadas do jornalismo brasileiro. Por volta de 1850, não havia navegação a vapor e as atualidades eram transportadas lentamente, sempre chegando com cerca de 6 semanas de atraso.
A primeira forma que encontraram de noticiar fatos estrangeiros no Brasil aconteceu com o surgimento do Correio Braziliense, em 1808, que foi o primeiro jornal brasileiro e que era redigido em Londres, por Hipólito José da Costa e chegava aos assinantes no Brasil através de navios.
Ainda em 1808, a Gazeta do Rio de Janeiro, que deu o ar de sua graça devido a vinda da família real ao Brasil no mesmo ano, aproveitou a deixa para reportar noticias sobre os príncipes na Europa.
Em 1874, Dom Pedro II mandou instalar um cabo estendido no Atlântico que ligava o Brasil à Europa por meio do telégrafo, que fez com que acelerasse a vinda das noticias européias ao Brasil.

Com a prática de importação de mão de obra estrangeira, os jornais começaram a ser publicados em outros idiomas, que não o português para serem lidos por esses imigrantes. Em São Paulo estava a maior parte dos imigrantes, e entre 1878 e 1901, surgiram 17 desses jornais, que são:
Germania, Freie Presse, Echo Von Brasilien, Deutsch Brasiliansce Presse, para a comunidade alemã. O Fanfulia, Tribuna Italiana e II Secolo para a comunidade italiana. O Correo Español, El Heraldo, La Ibéria, La Gaceta Española e La Voz de España para a comunidade espanhola e muitos outros. Esses jornais possibilitavam aos imigrantes o contato com a realidade familiar e um noticiário doméstico ainda que eles estivessem fora de seu país de origem.
Hoje, a editoria internacional nos jornais do Brasil é levemente fortalecida apenas quando há momentos de instabilidade no mundo, como guerras e tragédias.

De acordo com João Batista Natali, o jornalismo internacional nasceu no século XVI, quando Jacob Függer Von der Lilie, um importante banqueiro europeu, criou o newsletter, “boletim de novidades”. Como morava em Augsburgo, na atual Alemanha, seus principais negócios estavam concentrados na Bélgica, seus agentes enviavam-lhe informações sobre seus negócios.
E foi na época mercantil que as noticias impressas começaram a circular com maior freqüência, e passaram a ser vendias e não mais a circular apensas entre um grupo comercial, como aquele criado pelo banqueiro. Muitas dessa primeiras formas de jornal se preocupavam principalmente com as noticias do estrangeiro, isto é, com eventos que estavam acontecendo, ou tinha acontecido, em lugares distantes. Os leitores ficavam conhecendo fatos que haviam acontecido em localidades distantes da Europa, de lugares que certamente eles nunca iriam visitar. “Por isso a circulação destas formas primitivas de um mundo de acontecimentos muito distantes do ambiente imediato dos indivíduos, mas que tinha alguma relevância potencial para suas vidas”, THOMPSON.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Obedecendo o Vento há 9 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 26


"Verão na Europa" há 11 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 5


"Maria Emília" há 13 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 7


"Sou" há 14 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 7


"Livro sem letras" há 16 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 8


Amor há 18 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 8