No livro "Tremendas Trivialidades" Chesterton depois de contar uma simples estoria sobre o desejo de grandeza, disse: "Pode se afirmar que o mal do orgulho consiste em estar fora da proporção do universo". Aqui está uma grande verdade, principalmente se ela for aplicada a vida cristã. O orgulho e o senso de grandeza humana é uma ilusão, é uma mentira que pregamos a nós mesmos. "Porque, se alguém cuida ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo"(Galatas 6:3). Mas a vida religiosa é cheia de armadilhas, e talvez poucos se deem ao capricho de verificar os fatos, mas ela é cheia das mais mortais armadilhas. O caminho da vida cristã, não pode nos conduzir para os cumes do orgulho doentio, mas para os vales da humildade, porque é pelos vale da humildade que vamos descobrir nossa fraqueza e dependência e teremos a possibilidade de contemplar as grandezas de deus. O palco foi feito para as celebridades, mas o vale é o caminho dos humildes. "em vindo a soberba, virá também a afronta;mas com os humildes está a sabedoria"(Proverbios 11:2). O caminho da sabedoria é o caminho da humildade. Ser em Cristo é andar pelos caminhos do negar-se a si mesmo, e quanto mais crescemos em espiritualidade e progresso na vida cristã, mas visível será essa humildade. Isso funciona mais ou menos como uma glória celeste que ilumina os jardins da santidade. Essa luz é a humildade. Toda a vitalidade da vida espiritual só pode ser observada pela luz da humildade, tudo o mais obscurece a vida cristã. A soberba sempre tende a distanciar o homem do que é verdadeiro. Um orgulhoso precisa conviver com mentiras, porque ele precisa sustentar a qualquer custo a sua reputação, por isso mesmo não é apenas um caminho difícil, é um caminho de auto-destruição "A soberba do homem o abaterá , mas a honra sustentará o humilde de espirito". Agostinho de Hipona ensinava : "Foi o orgulho que transformou os anjos em demônios; É a humildade que torna os homens iguais aos anjos." (Santo Agostinho).
A acontece que o mundo religioso está cheio de orgulhosos, vivemos a época da religião de celebridades. Depois de muitos anos venho percebendo que as igrejas modernas com suas manias influenciadas pelo "carismatismo", deram enfase tão exagerada aos sentimentos e experiencias, que vem produzindo uma quantidade inumerável de gente religiosa que se orgulha dos rotulos mas que não tem qualquer conteúdo espiritual verdadeiro. Todo o orgulhoso precisa desenvolver uma hipocrisia para ter possibilidade de sustentar suas próprias ilusões. A vida de humildade não abre espaço para disputas, os outros ocupam o primeiro lugar. O humilde não olha para o ego, olha para Cristo, o orgulhoso não olha para Cristo, olha para o seu próprio ego. A grandeza do humilde é a sua sujeição a simplicidade, a arrogância do orgulhoso é desejar ser sempre o centro. Todavia o Senhor diz :"E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os impios a sua iniquidade, e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos"(Isaías 13:11) Disse certo sábio que "O orgulho é a virtude do infeliz." (François-René De Chateaubriand). O orgulho é incompatível com a verdadeira espiritualidade, o orgulho mancha a piedade, e finalmente posso concluir que o orgulho impede uma pessoa de vivenciar a verdadeira felicidade. "Tens visto um homem que é sábio a seus próprios olhos? pode-se esperar mais do tolo do que dele"(Provérbios 26:12)

Clavio J. Jacinto