Tão grande e profunda é a misericórdia de Deus, e tão gloriosa a graça com a qual nos salva por meio da fé em Jesus Cristo, que não leva em consideração a nossa completa fraqueza e incapacidade para atender à Sua santidade e vontade da forma que convém ser atendida, a saber, com perfeição de uso de nossa mente e afetos, no que somos inabilitados pelas faculdades corrompidas de nosso espírito, alma e corpo, em razão do pecado original.
É infinita a distância que há entre o entendimento da nossa mente, por maior que ele seja, de qual seja a exata mente do Senhor Jesus Cristo em sua gloriosa perfeição, e muito mais em relação aos Seus atributos de justiça, amor, bondade, longanimidade, misericórdia, paz etc.
Em Sua grande paciência e amor nos suporta quando nos salva na esperança da perfeição que nos está prometida, e que será realizada por Ele e consumada quando chegarmos à glória do céu.
No entanto, somos convocados a crescer em santidade, pelo aumento de nossas graças e do conhecimento de Jesus, sendo diligentes na renovação progressiva e gradual de nossas mentes, para a mortificação do pecado e revestimento das virtudes de Cristo, pelo uso dos meios adequados da vigilância, da oração, e da meditação e prática da Palavra de Deus.