Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em nossa época, mas o mesmo espirito de vanglória podia ser encontrado naqueles que possuíam carruagens refinadas para exibirem orgulhosamente suas posses, e com o propósito de causarem a admiração ou inveja em outras pessoas. E não apenas, isto, em quantas formas de exibição podemos nos envolver em nossos dias pelo que o avanço da tecnologia proporciona a todos, inclusive aos mais pobres da Terra. Então, não é de se admirar que a tentação de se ficar exposto ao laço de amar o mundo é muito maior para nós do que para a grande maioria daqueles que viveram nos dias apostólicos, e ainda assim, vemos que soa através dos mesmos, sérias advertências contra o perigo de se amar o mundo, por conta de se ficar alijado do amor de Deus. Assim, quanto mais não se aplicam a nós todas estas advertências da Bíblia?
A posse de bens para o uso devido deles, e a vida tocada com sobriedade e sã disciplina, debaixo do temor de Deus e da Sua Palavra, não são coisas incompatíveis, pois, o que se reprova é o espírito idolátrico, frio, avarento, orgulhoso, prepotente, cruel, egoísta, impuro etc que prevalece no mundo, naqueles que não amam a Deus e a Sua Palavra.
A propósito, uma das maiores causas de os homens não se converterem a Cristo, é por saberem que a união a Ele imporá a separação deles daqueles pecados e forma pecaminosa de viver que eles tanto apreciam, em suas variadas formas de vícios, impurezas, ganâncias etc.
O amor sincero a Deus impõe restrições à liberdade do ego pecaminoso, e o homem ímpio não tenciona abrir mão de sua própria vontade, para que possa fazer a de Deus. Ele ama o mundo porque assim como o príncipe do mundo, Satanás, é-lhe dada toda a liberdade de fazer a própria vontade, inclusive se esta for prejudicial a outros e pecaminosa.
Como Deus exige a santificação da nossa vida para estarmos em comunhão com ele, consequentemente, todo este amor ao mundo, que é contrário àquilo que é bom, puro, santo e de boa fama, torna incompatível para a comunhão com Ele todo aquele que permanece amando o mundo, e que não renuncia àqueles hábitos perniciosos que Deus condena.