“Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.” (Romanos 5.5)

Como saber que Deus existe?
Melhor ainda: como saber que Deus é amor?
Isto não nos vem por nenhum conhecimento ou testificação fora de nós mesmos, mas no nosso próprio coração, ou seja, no nosso espírito, no homem interior.
Não se trata de mero sentimento, quando se fala em amor, mas num agir conforme Deus, por um mover de forças e influências espirituais que operam em nosso interior nos impulsionando a nos gastarmos pelo bem do nosso próximo, especialmente nas situações de serviço e locais, que por Deus nos forem determinados, pelo amor que Ele derrama e que se apodera do nosso coração.
Sabemos então que Deus é amor, por causa deste amor sobrenatural que nos toma de tal modo, que passa ser a própria atmosfera sem a qual não viveríamos ou não acharíamos qualquer sentido na vida.
Oh, quão grande, profundo e inefável é este amor de Jesus Cristo.
Depois de ter-me dedicado a servir o próximo, em congregações, em seminários, e em toda parte, o amor do Senhor tem presentemente me inclinado a escrever e a divulgar o que havia escrito, sobretudo pela Internet.
E nisso tenho gastado todo o meu vigor, o meu tempo, que na verdade não sinto como se me pertencesse, senão àqueles que tenho amado em espírito, e por quem tenho orado, para que sejam abençoados pelo Jesus bendito.