Salmos 29:11 O SENHOR dá força ao seu povo, o SENHOR abençoa com paz ao seu povo.
Salmos 118:14 O SENHOR é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou.
Isaías 12:2 Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico; ele se tornou a minha salvação.
Jeremias 16:19 Ó SENHOR, força minha, e fortaleza minha, e refúgio meu no dia da angústia
De onde vinha a força e a coragem de Davi, Isaías e Jeremias para enfrentarem toda a sorte de inimigos que deram contra suas vidas?
Onde acharam paz e ousadia na enfermidade?
Onde acharam ânimo para prosseguirem em sua caminhada com os terrores demoníacos que investiam constantemente sobre suas almas?
Na determinação deles de serem vencedores?
Somente isto lhes teria dado força e bom ânimo na aflição?
Porventura não foi o próprio Senhor a força e a coragem deles?
Certamente que sim.
De onde procedem a força e o bom ânimo do cristão quando terríveis poderes do inferno investem contra o seu corpo, seu espírito e sua alma?
Por isso vemos o apóstolo Paulo recomendando aos seus cooperadores na obra do evangelho que se fortalecessem no Senhor e na força do Seu poder. Que se fortalecessem na graça de Jesus.
Isto correspondia também a lhes dizer que nunca esquecessem qual era a fonte da alegria, da força e do bom ânimo deles nas tribulações e em todas as lutas que tinham que enfrentar em prol do evangelho.
Sempre é o Senhor a nossa própria força.
Ai de nós se Ele não fortalecer o nosso coração!
Desfalecemos, enfraquecemos, desanimamos.
Basta que por um só instante Ele retire a Sua mão fortalecedora de sobre nós, e logo nos vemos entregues a sentimentos de angústia e de morte.
Isto porque o diabo não nos poupará, porque sempre anda à espreita esperando o momento em que o Senhor permitirá que caminhemos sem a Sua força, em alguns momentos de nossas vidas, para a prova da nossa fé, e para que saibamos sempre, quando estivermos fortes e alegres, que é Ele próprio a fonte desta alegria e força.
Por isso devemos orar por nós mesmos e uns pelos outros, para que sejamos revestidos do Senhor e da força do Seu poder.
Não será portanto no nosso programa de disciplina quanto aos bons hábitos de vida, ainda que isto seja importante, ou em qualquer outra coisa de proceda de nós mesmos, que encontraremos a alegria e a força de viver.
É preciso praticar o bem, fazer o que é certo, adquirir sabedoria no viver. Tudo isto é importante e necessário para um viver abençoado. Mas nunca será no fruto do nosso próprio trabalho que se achará a força e alegria, porque isto sempre nos virá da parte do Senhor.
Sempre será no Senhor mesmo e no poder da Sua graça que poderemos nos achar com bom ânimo em todas as circunstâncias.
Se Deus permitir que sejamos entregues a nós mesmos, logo nos acharemos deprimidos e abatidos. E nenhuma força ou poder deste mundo poderá nos arrancar das mãos de tais sentimentos arrasadores que dominam a nossa mente, o nosso corpo e o nosso espírito.
Palavras consoladoras para nada adiantarão nestas horas.
A própria força da vontade nada poderá fazer, por mais que nos empenhemos em nos levantar de tal abatimento.
É do céu que nos virá o socorro.
Nenhuma esperança genuinamente verdadeira poderá nos chegar de qualquer outra parte.
E não somente seremos livrados do nosso abatimento como de tudo que possa ter dado causa ao mesmo, quando o Senhor começar a agir em nosso favor.
Lembremos que Jesus é poderoso para nos curar de toda e qualquer enfermidade.
Não há nenhum diagnóstico de doença incurável atestado pelos homens, que não possa ser revertido por Ele e pela força do Seu poder.
Não há nenhuma dificuldade, por maior que seja, que não possa ser contornada por Ele, dando-nos a força e a coragem necessárias para enfrentá-la.
Não fiquemos portanto alegres pelo mero pensamento de que Ele pode nos ajudar em todas as coisas, mas que efetiva e certamente tornará a alegrar e a fortificar todos aqueles que nEle esperam e confiam tão somente nEle para serem fortificados, alegrados e curados.
Não é portanto o nosso esforço para evitar pensamentos de morte, temores, inquietações, ansiedades, que poderá nos livrar efetivamente de tudo isto, mas somente o poderoso braço do Senhor.
Por isso devemos dar toda glória e honra tão somente ao Seu grande nome, e nunca esquecermos, tal como o apóstolo Paulo que é o próprio Senhor a fonte da nossa força e alegria, conforme podemos vê-lo fazendo tal citação em textos como os seguintes:
Em Colossenses 1:11: sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria,
Em Efésios 1:16-19:
16 não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações,
17 para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,
18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos
19 e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder;
Em Efésios 6:10: Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.
Pastores nunca conseguirão congregações fortes, animadas e alegres espiritualmente, por simplesmente exortarem os cristãos no sentido de que sejam sempre alegres no Senhor e que evitem toda forma de pensamento negativo.
Alegrar-se no Senhor é um mandamento.
Pensar no que é bom e agradável é também outro mandamento.
Todavia, até mesmo os próprios pastores poderão ser entregues por Deus a profundos sentimentos de depressão, enquanto continuam pregando aos cristãos debaixo do seu cuidado, que eles devem estar sempre de bom ânimo e alegres. Que devem estar de bem com a vida, sempre trazendo um grande sorriso em seus lábios.
Quem prega deste modo olhando somente para a congregação, e sem olhar para o alto esperando que tal força e alegria de viver nos venham diretamente de Deus e do céu, pode estar certo que terá seus esforços frustrados, por maiores e melhores que sejam suas intenções.
Afinal, demônios não são vencidos com argumentos.
As forças do inferno não recuam com o simples exercício de pensamento positivo.
É pela fé no poderoso nome de Jesus que todos os nossos inimigos espirituais batem em retirada, conforme podemos aprender fartamente em tantas passagens da Bíblia.
Em nossos abatimentos, em nossos sofrimentos, olhemos tão somente para o Senhor, na expectativa de que a Seu tempo, conforme o poder da Sua graça, tornará a nos alegrar e a fortificar o nosso coração.