“Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados;
perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos;” (II Cor 4.8,9)

As nossas melhores alegrias, caso sejamos cristãos autênticos, sempre estarão misturadas a tribulações, aflições, perplexidades, perseguições e abatimentos.
Isto porque todo cristão está empenhado numa batalha entre o bem e o mal, que é tanto interna, quanto externa.
Então, não é sábio confiar numa teologia que nos aponte Cristo como sendo o fim de todos os nossos problemas terrenos.
Esta condição de bem-aventurança completa, sem qualquer lágrima ou dor, está prometida ao cristão somente para o porvir.
Enquanto estivermos deste outro lado do céu, teremos muitas tribulações, aflições e perplexidades, sem no entanto, nunca sermos desamparados pelo auxílio da graça de Deus, ou então, de sermos deixados por Ele à mercê de nossas tribulações, aflições, perseguições e abatimentos.
Ele nos dará alívio, socorro e livramento, conforme nos tem prometido em Sua Palavra, caso Lhe permaneçamos fiéis em tudo.