Números nos ajudam a compreender o que se passa ao nosso redor. A ONU divulgou que o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) do Brasil, de 1991 até 2010, saiu de "muito baixo" e foi para "alto". A pontuação era 0,493; hoje é 0,727, numa avaliação técnica que vai de 0 a 1 . O avanço foi de 47,5%. Os índices avaliados são longevidade, renda e educação.
Mesmo estando longe do ideal, a educação melhorou. Mas vejam, há 20 anos, entre as crianças de 5 a 6 anos, uma a cada três estava na escola. Hoje, a cada 10, nove estudam. "Por que é mais difícil para a população adulta ter melhores indicadores? Pelo passado", disse acertadamente o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.
Isso quer dizer que os próximos 20 anos serão ainda melhores. Não é apenas otimismo. É estatística demográfica, sem partidarismo, sem disputa. O país é um só, e todos nós temos um dedinho de mérito nisso tudo.