A flor que luta para se manter na fresta de uma rocha no cume da montanha é um modelo de perseverança que precisamos atentar com sabedoria. No alto da montanha é necessário a paciência de permanecer só, lutando pela sobrevivência em um lugar inóspito, onde o vento sopra forte, e o frio é mais intenso. Talvez num vale, onde há terra fértil e farta vegetação, a condição era mais fácil. Mas as montanhas também precisam de flores. Assim também entendemos que os lugares altos são para vidas que pretendem viver uma vida diferente, marcada pelas dificuldades e pela soberania da arte de ser a expressão de uma beleza espiritual em um lugar inóspito e muitas vezes cruel. Lutar contra as adversidades de um ambiente difícil e permanecer exalando o bom perfume de Cristo e a beleza de uma vida espiritual profunda é um grande desafio que poucos querem enfrentar. Tudo isso nos mostra como deve ser a vida de um cristão diante de uma sociedade mundana, uma geração perversa, do qual os cristãos devem brilhar como luzeiros. O mundo é inóspito para os santos. Mas os santos devem estar nele, a piedade em um mundo profano é como a flor exposta em um penhasco, ela está sozinha mas está lá. Sua atenção está completamente voltada para as alturas, ela vive em um nível mais elevado, recebe mais luz e o frescor das brisas montanhosas. Ela ele existe maneira diferente, como os cristãos sinceros que vivem nesse mundo.

CJJ