A Liberdade dos Que Odeiam a Deus

03 de Junho de 2014 Silvio Dutra Artigos 474

Voltaire, de tanto que odiava a religião, especialmente pelo seu caráter de impor limites ao homem quanto à prática do que é definido na Bíblia como pecado, proclamou, juntamente com muitos outros de igual pensamento, uma liberdade, que viria a fazer parte do slogan de liberdade, igualdade e fraternidade da Revolução Francesa.Nenhum Deus, nenhuma restrição... o homem é soberano, é livre para fazer o que quiser. Deve dar plenas asas ao exercício da sua vontade, sem se preocupar com qualquer tipo de juízo divino sobre seus pensamentos, palavras e ações.Hoje em dia, o que temos visto na maior parte das sociedades em todo o mundo, é um retorno a esta forma de pensar dos iluministas, e não é de se admirar porque muito do que tem sido ditado como forma de comportamento é protagonizado pelos modernos illuminatis.Agora. Há algo de novo nisto, mesmo quando foi defendido pelos primeiros iluministas a partir de meados do século XVIII?Obviamente que não!Isto foi proposto no céu por aquele que viria a se transformar em Satanás, o diabo, no que foi seguido por muitos anjos que se transformaram em demônios.Depois ele viria a oferecer esta libertação de Deus e de toda forma de virtude, para a prática de uma suposta liberdade para praticar tudo o que é pecaminoso, e por conseguinte reprovado por Deus e pelas Escrituras ao primeiro casal, quando este se encontrava no estado de inocência no Éden.É daí que decorre o ódio daqueles que desprezam a Deus, ao Cristianismo, a Jesus e aos Seus mandamentos.Porque enquanto vigorar na sociedade uma moral e costumes baseados na cultura judaico-cristã, eles não estarão plenamente à vontade para praticar aquela liberdade para pecar que Satanás e os demônios tanto apreciam, e cujo final é a morte espiritual eterna em razão do juízo de Deus sobre tal forma de viver.Ele não nos deu a vida como um dom para ser gasto na contramão da Sua vontade e caráter.Por isso todos terão que Lhe prestar contas do uso que fizeram da liberdade que receberam para pensar, falar e agir. Se para o bem ou para o mal. Se para a piedade ou para a impiedade. Se para a justiça ou para a injustiça. Se para o amor ou para o ódio. Se para a santidade ou para a iniquidade.


Leia também
Equação do Amor há 1 dia

Corre pra mim... Talvez eu ainda não saiba o que é o amor; Não tenha ...
a_j_cardiais Poesias 49


Qual é a Nossa Parte? há 1 dia

O conceito arminiano de que devemos fazer a nossa parte para que Deus pos...
kuryos Artigos 10


"Lagrimas" há 2 dias

Um silêncio triste e profundo Uma lágrima caiu Na tarde fria, e escura ...
joaodasneves Poesias 10


Realidade, Deixe-me Sonhar há 2 dias

Ah, realidade, realidade... Você não respeita minha privacidade. Vo...
a_j_cardiais Poesias 52


"és nada" há 2 dias

Como me pude apaixonar De um alguém como tu Passado pouco tempo pude con...
joaodasneves Pensamentos 14


"Ela mora" há 2 dias

A minha unica paixão é a solidão, ela vive na minha casa, e mora bem ...
joaodasneves Pensamentos 14