A grande prova do interesse de Deus em ter um povo santo, uma nação santa de Sua exclusiva propriedade está prefigurada no fato dEle ter formado e separado uma nação das demais nações nos dias do Antigo Testamento, para revelar a Sua vontade através da mesma.

Assim, o Israel terreno foi conduzido pelo Senhor através de séculos debaixo da Antiga Aliança para principalmente demonstrar qual é a Sua vontade para aqueles que são do Seu povo.

Nós não vemos nenhuma preocupação no Senhor em torná-los uma potência militar, política, econômica e financeira entre as nações, senão em que fossem um povo santo.

Esta é a mensagem central que Ele enviou pelos profetas: a santificação deles.

Que eles se purificassem de suas iniquidades e que abandonassem o pecado.

Nisto o Senhor queria deixar uma mensagem muito clara quanto à Sua vontade.

Se a eles que viviam num antigo pacto, onde nem todos conheciam de fato ao Senhor era exigida uma tal santidade, quanto mais não esperará isto o Senhor do Seu novo Israel que é a igreja, debaixo de uma nova aliança, onde todos Lhe conhecem, desde o menor até o maior dos Seus filhos.

“Porque eu sou o SENHOR, que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo.” (Lev 11.45).

“Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra.” (Dt 7.6).

“Para assim te exaltar sobre todas as nações que criou, para louvor, e para fama, e para glória, e para que sejas um povo santo ao SENHOR teu Deus, como tem falado.” (Dt 26.19).

“Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;” (I Pe 1.15).