A Bênção da Velhice

03 de Junho de 2014 Silvio Dutra Artigos 1125

Baseado em Eclesiastes 12A fase da terceira idade não necessita ser vista como Salomão a via e a chamou, ou seja de “maus dias nos quais não se tem prazer”, como  se os bons dias fossem ditados somente pelo fato de se ter vigor e prazer.Não é de modo nenhum este ensino que nós encontramos nos profetas e nas Escrituras de  um modo geral, porque é afirmado que “os velhos terão sonhos”, que “ainda darão frutos na velhice”, e que até mesmo a morte dos santos é algo bem-aventurado, porque as suas obras feitas em Deus lhes seguirão para efeito de galardão.E é certo que quanto maior tempo de vida tivermos, tanto maior poderá ser o nosso galardão, em razão de se ter um tempo maior para praticar o bem, fazendo o que é agradável a Deus.Salomão estava falando da sua própria experiência de vida quando chegou à velhice, e não do modo como esta deve ser encarada por todos.Este modo, é na verdade visto somente por aqueles que esfriaram na comunhão com Deus, ou então, que sendo ímpios não conhecem ao Senhor, porque para estes, a velhice é de fato algo que eles acharão algo ruim e penoso, porque lhes privará não somente de muitos prazeres, como também lhes poderá trazer muitas limitações tanto físicas quanto mentais, ainda que não se possa fazer disto uma regra geral.Salomão descreve a velhice até a morte, dos versos 2 a 7, usando metáforas, para se referir à condição em que serão achados nesta fase da vida, algumas partes do corpo.Então ele afirma que: neste período da vida, o sol e a lua perderão o seu brilho e haverá escuridão, referindo-se ao enfraquecimento da visão e obscurecimento das faculdades intelectuais e o enfraquecimento da memória (v. 2); que os guardas da casa tremerão, ou seja, haverá tremores nos braços e nas mãos, dificultando que sejam usados para a proteção pessoal de ataques físicos que nos sejam dirigidos por outros; que os homens fortes se curvarão, a saber, a firmeza das pernas já não será a mesma; que os moedores cessarão, uma referência à perda e enfraquecimento dos dentes; que os que olham pelas janelas se escurecerão, novamente uma referência ao enfraquecimento da visão; que as portas da rua se fecharão, ou seja, quando se é velho já não se tem mais prazer em entretenimentos e passeios, e é comum que se permaneça muito mais tempo em casa; que o ruído da moedura será baixo, ou seja, uma voz fraca pela dificuldade de se mover os lábios; que o simples cantar das aves nos fará levantar, porque já não haverá mais a tolerância a ruídos como têm os jovens, e o sono pode ser perturbado pelo menor ruído quando se é idoso; que todas as filhas da música ficarão abatidas, ou seja não se terá mais o prazer de ouvir músicas, como Salomão tinha com os muitos cantores que havia em sua corte; que temerão o que é alto, porque os idosos temem lugares altos por causa de possíveis quedas; que terão espantos no caminho, a saber, o evitar passeios pelo temor de cair e quebrar os ossos fracos do corpo; que a amendoeira florescerá, ou seja os cabelos ficarão brancos; que o gafanhoto será um peso, e consequentemente o desejo falhará,  isto é, o membro viril não responderá mais ao desejo sexual; e finalmente chegará o dia da morte que é o último estágio da velhice avançada quando o homem vai para a sua casa eterna, ou seja, quando o seu espírito atingirá o estado de eternidade.E a morte será uma ocasião de tristeza para os nossos amigos e aqueles que nos amam.Todavia a morte prestará um bom serviço ao cristão porque desfará o seu tabernáculo terreno para que possa ser revestido daquele que é celestial e eterno. Então, como se afirma no verso 6, será rompida a corda de prata que unia firmemente o espírito ao corpo.Este nó que os unia será desatado pela morte e estes velhos amigos serão forçados a se separarem.Então o copo de ouro que retinha a vida do espírito, que é o nosso corpo, será quebrado para que o espírito seja liberado, e assim o cântaro com o qual nós buscávamos a água da fonte da vida, será quebrado junto à mesma; e a roda (os membros que nos permitiam nos movimentarmos e nos nutrimos) serão desfeitos na sepultura, à qual Salomão chama de cisterna.O coração parou de bater, o sangue também parou de circular.Todas as fontes vitais do corpo cessaram na morte e ele será desfeito no pó do qual fora tirado no princípio para a formação do primeiro homem, porque deve ser cumprida a maldição de Deus sobre o corpo para que volte ao pó na morte, por causa do pecado original, todavia tal maldição não foi dada ao espírito, que retornará ao domínio de Deus, e portanto, não será dissolvido (v. 7).Então, quanto às coisas deste mundo natural, de fato pode-se dizer que tudo é vaidade (v. 8), porque nada subsistirá porque será desfeito pelo uso ou destruído pela morte.


Leia também
A Morte Em Cartaz, Cap 1 há menos de 1 hora

Prólogo Periferia de Atlanta, Quinta-feira, 23hrs:17min Marion re...
lordemoura Acrósticos 4


Sociedade Desalmada há 1 hora

Sou um ser muito sensível... E ser sensível é horrível, no meio desta...
a_j_cardiais Poesias 25


LUSO-BRASILEIRO - Des-História Universal há 4 horas

LUSO-BRASILEIRO Assim como a cor d'olho não colore Aquilo que se tem ...
ricardoc Sonetos 6


Uma Tal Pedra há 21 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 24


Mundo da Gataria há 21 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 45


A história do amor há 22 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 35