Você está sempre cansado. . .  do mundo ,  do pecado,  de si mesmo,  de tudo abaixo do céu?Se assim for, você quer algo para lhe dar alívio.Você olha para si mesmo – isto é senão areia movediça, lançadaaqui e ali, com a maré inquieta, e sempre lançando lama e sujeira. Nenhum chão firme; nenhuma ancoragem segura; nenhum descanso lá.Você olha para os outros, você vê o que o homem é, mesmo o melhor dos homens em seu melhor estado – quão inconstante, quão instável, quão mutável; quão fraco, mesmo quando disposto a ajudar; quão mais provável é que adicione cargas, em vez de alívio ao seu sofrimento; se desejoso de simpatizar contigo e confortá-lo em sua tribulação e tristeza, quão curto é o seu braço para ajudar, quão insatisfatória é a sua ajuda para aliviar! Você não encontra descanso lá.Você se inclina sobre o mundo – mas isto é uma cana quebrada que penetra nas tuas mãos e te fere.Você não encontra descanso lá.Então olhe para onde você irá , não há descanso sequer para a planta do seu pé.Mas há um descanso. Nosso bendito Senhor diz: "Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei." (Mateus 11:28)Texto de J.C. Philphot, traduzido e adaptado por Silvio Dutra.