Nosso Senhor descreveu de modo muito claro e gráfico, na Parábola do Semeador, qual é a forma geral como os corações das pessoas costumam reagir ao evangelho.

É nesta breve parábola que encontramos todas as respostas para as atitudes e os comportamentos diferentes que há nas pessoas em cada congregação cristã.

Alguns nunca despertam do sono espiritual em que se encontram porque não podem reter a palavra do evangelho em seus corações endurecidos como a rocha.

Outros há que parecem dar esperança quanto ao seu crescimento espiritual, porque recepcionam a Palavra e ficam felizes por algum tempo, mas quando a sua fé começa a ser provada pelas tribulações, recuam, e já não podem mais suportar o ajuntamento dos santos.

Há também aqueles que com os do primeiro grupo, recebem inicialmente a Palavra, mas o seu amor pelas coisas terrenas e mundanas é de tal ordem, que chegam a ficar sufocados com as demandas do evangelho para uma vida santificada, separada do mundanismo.

Finalmente há um grupo representado por pessoas que se afeiçoam realmente ao Senhor e que se ligam a Ele de modo indissolúvel, porque o prezam mais do que tudo, apesar de entre eles haver uns que se consagram mais decididamente do que outros.

E é a medida deste impulso pelas coisas espirituais, celestiais e divinas, o fator determinante de haver graus diferentes de progresso em santificação entre eles.