Mais conhecido como o Duque de Caxias, esse homem lutou nas guerras e revoluções que o Brasil participou ainda quando era império. Vencia tudo que empreendia junto com seus soldados, é hoje considerado o patrono do exército.
Todas as revoluções no período quando ele trabalhava para o império eram tidas de insurgentes inconformados com a baixa importancia do império à eles, foi assim que culminou a revolução farroupilha, o governo deixava de se importar com os grandes fazendeiros do Rio Grande do Sul e fixava altos impostos para os donos de terras. A revolução liberal paulista 1842, os liberais foram contra a revogação do Ato Adicional à Constituição que validaria várias regalias deles junto aos gabinetes do governo.
Caxias era um militar não muito do tipo linha dura, vencia as suas guerras com a tática de encurralar o adversário sem deixar espaço para fugir. Venceu a balaiada no Maranhão e, da guerra com o Paraguai só veio participar na segunda etapa, por motivações partidárias no Brasil, Caxias fora excluído dos quadros superiores do exercito e se recusava a trabalhar na ala subalterna, como simples comandante em-chefe. Queria a presidencia da pronvicia e o comando das armas, os dois juntos, como não recebendo, relegara a sua função como assistênte do imperador quanto a dar opiniões importantes na condução da guerra.
Nunca o Brasil teve um militar como Caxias, por que nunca o país enfretara conflitos como naquela época do militar. Talvez por que Caxias teve a sorte de defender o Brasil quando esse ainda era império, com todas as revoluções que iriam acontecer para reformar o sistema vigênte, ele deixa saudade para o enfrentamento dos principais problemas do Brasil atual como o tráfico de drogas e as violêntas mortes propagadas por assassinos cruéis.