Era uma vez, um homem chamado Joseão (um nome um tanto incomum para a época: a mãe havia unido os nomes de José - vindo do pai de Jesus - e João - do profeta João Batista). Joseão nasceu em uma família de classe média, em um bairro normal da cidade de São Bernardo do Campo. Sempre estudou em escola particular, teve uma boa educação e era um menino exemplar.

Com a adolescência, se tornou um pouco rebelde, apenas tendo certos questionamentos sobre a vida e tudo o mais (inclusive religião, o que causou algumas briguinhas com seus pais, cristãos fervorosos). Mas o tempo passou.

Ele sofria de timidez amorosa (de acordo com o dicionário Amore, "timidez amorosa" se define como "incapacidade de revelar seus sentimentos para a pessoa amada pessoalmente, provocada pelo medo da resposta e pela falta de autoconfiança.") Por isso, passou sua adolescência sem nenhum contato amoroso.

Na juventude, ao entrar na faculdade, conheceu uma menina que era bem parecida com ele, tanto na educação quanto na personalidade (também sofria de timidez amorosa). No entanto, conversa vem, conversa vai, eles, no metrô de volta para casa, trocaram um único beijo que marcou o início de seu relacionamento.

Viveram felizes por um ano, quatro meses e vinte e dois dias, quando ela terminou com ele, alegando gostar de outro rapaz. Ele ficou arrasado no início, mas logo superou.

O início desse primeiro relacionamento fez com que ele perdesse a "habilidade" da timidez amorosa, fazendo com que ele se envolvesse em outros amores. Enquanto isso, fazia estágio.

O fim da faculdade lhe trouxe um trabalho estável e com salário suficiente para sobreviver. Os anos passaram e ele subiu de cargo, atingindo um posto ótimo.

Conheceu sua esposa em uma viagem à Europa, onde ambos haviam feito o mesmo pacote. Se casaram na Catedral de Amiens, na França. Moraram dois anos no Brasil e depois se mudaram para Londres, onde tiveram dois filhos, um menino (Henry) e uma menina (Catherine).

Viram os filhos crescer e sair de casa. Com 87 anos, Joseão morreu de causas naturais, durante o sono. Sua esposa morreu cinco anos depois de uma parada cardíaca.

Os dois foram enterrados no Cemitério de Westminster, onde se encontram até hoje.