Meu Coceíto psico inexplicável!

25 de Janeiro de 2014 Suziany Faria Biografias 681

Meu Coceíto psico inexplicável! 

Pois é, normalmente não temos como explicar muitas coisas como a existência de um tal "Deus", um fenômeno considerado impossível de acontecer pela ciência e que acontece, o fato de você encontrar dinheiro muita das vezes que precisa exatamente daquele trocado ou um pedido que virá uma realidade sem você fazer muita força para isso.Dizem sempre que quando a esmola é demais o santo sempre desconfia, e que um gato escaldado tem medo de água fria, faz todo sentido você desenvolver um certo receio aquelas situações desconfortáveis ou mesmo traumatizantes, ninguém deseja quebrar a cara duas vezes ou mais que isso então, Misericórdia!Dizem que falar ajuda a superar traumas ou ameniza-los de uma forma que você ainda vai lembrar, mais vai conviver com eles com um pouco menos de dor na alma claro, não sei. Sempre fui uma pessoa reservada e devido a varias coisas que eu passei na minha longa vida de 24 anos e alguns meses, fui orientada a passar na psicóloga para conseguir me livrar um pouco dessas "bagagens inúteis", então fui por exatos um ano que foi o período da minha recuperação.Então toda santa sexta -feira eu estava lá naquele consultório que para mim parecia uma prisão de tão pequeno e com uma jovem adorável, mais que para mim representava uma juíza pronta me tirar a liberdade. Sempre chegava atrasada, pois por motivos óbvios eu nunca quis ir falar dá feridas das quais eu sempre fiz questão de ignorar, não acredito em falar tudo que possui e isso vai te aliviar, tem coisas que eu nem lembrar quero, quanto mais falar.No consultório nos comprimentos e então eu dizia: se estava bem ou não naquela semana, quase sempre mentia, pois no começo me divertia tentando manipular o raciocínio dela, mas depois eu enjoei e não tinha mais o que falar. Ficamos nessa por esse longo um ano, no fim ela me disse: se eu realmente achava que precisava de ajuda? respondi: Que precisava, mais se fosse para falar de tudo que de alguma forma me fez ser assim, então iriamos ficar no silêncio, pois ao relembrar toda a agonia, raiva, magoa e tristeza, voltariam a me assombrar e eu não precisava de mais isso para perder o que eu já tinha perdido, a minha vida.Foi então que eu sai do tratamento que de fato não me serviu de nada, não por ela mais por mim que sou assim fechada, dura, meio fria e armada contra o mundo, foi no fim do ano.Então, eu e minha mãe resolvemos ir visitar uma amiga dela de muitos anos na praia, passei o ano novo pulando ondinhas e por mais estranho que pareça aquelas ondas conseguiram levar uma grande parte da tristeza e escuridão que eu estava, fiz dois pedidos: minha saúde e uma vida.Espero que o meu pedido seja atendido, acredito que se você deseja e faz coisas boas você também as terá independente de religião, a capacidade de prestar é uma obrigação, ando feliz por várias surpresas boas que de verdade não quero perder porque são incríveis e me faz muito bem, ainda escrevo porque é bem mais fácil para colocar em textos o que eu deveria desabafar em alta voz.(Suziany A. Faria)

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
SÓ PARA DIZER BOM DIA. há 2 horas

Fiz ao nascer da alva, Sob a luz que o sol irradia, Estes versos vindos d...
madalao Poesias 5


DEIXA-ME NO TEU VENTRE há 2 horas

Deixa-me, no teu ventre, eu ficar, Neste ninho de amor tão quentinho. L...
madalao Poesias 5


Equação do Amor há 2 dias

Corre pra mim... Talvez eu ainda não saiba o que é o amor; Não tenha ...
a_j_cardiais Poesias 52


Qual é a Nossa Parte? há 2 dias

O conceito arminiano de que devemos fazer a nossa parte para que Deus pos...
kuryos Artigos 12


"Lagrimas" há 2 dias

Um silêncio triste e profundo Uma lágrima caiu Na tarde fria, e escura ...
joaodasneves Poesias 12


Realidade, Deixe-me Sonhar há 2 dias

Ah, realidade, realidade... Você não respeita minha privacidade. Vo...
a_j_cardiais Poesias 56