Não é nada

06 de Maio de 2014 Saulo Alves Falcão Biografias 745

Não é nada. Só cansei dessa tua falta de vontade. Vontade de nós, de mim, e, às vezes, até de você. Cansei desse enjoou não normal que você sente da vida. E das nossas DR's infinitas. E das nossas discussões do nada. Cansei de amar demais e receber de menos. De doar amor demais e receber patadas, demais. De levar tanto carinho e receber tantos espinhos. Cansei dessa sua indiferença de nós dois, já fomos tão iguais que não sei nem se Freud explica tanta indiferença criada, não-aceita, resmungada, respirada, rejeitada. E quem diria que nós, que já fomos tão nós, hoje somos só o resto de uma coisa, talvez, boa - se é que possamos ser chamados de resto. Talvez fôssemos um sonho nunca acontecido, não sonhado, um pré-sonho, uma imaginação, talvez. Talvez fôssemos reais e não sabíamos, ou não queríamos saber. Não sei, só sei que não dá pra lutar por um plural bonito no singular, afinal de contas: ''quando um plural não quer, um singular não insiste.''.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 6 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 6 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 6 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 6 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 9


Sou há 6 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 6 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6