Ah meu bem, quero lhe falar que estou perdida em uma selva de pedra, rodeada de falsas pérolas, meros porcos. Em meio à desilusão, me pergunto: - Quem foi o primeiro poeta? Quão fundo eu posso ir? Só queria ter tempo, só queria ter a certeza que eu tenho todo esse tempo. Queria poder voltar naquele instante em que nossos navios se cruzaram.. Estávamos tão sozinhos, dois corações tratados com fel, com o doce amargo do mundo. Mas por alguma razão tínhamos algo em comum, algo inexplicável. Estávamos juntos, era um pedaço de mim que por algum motivo eu necessitava tanto quanto preciso de um coração pulsante. Mas não há volta, existem algumas coisas que o tempo nunca poderá consertar, existem feridas tão profundas que se tornarão eternas.
Acolhida pelo desalento me toma aquele sorriso, em busca de uma vida me esqueço das vidas vazias, me esqueço da vida que vivi. Pra minha tristeza e agonia, eu tive que parti. Tive que abandonar a vida por outra vida. Você talvez nunca entenda, mas precisa confiar em mim.. Mesmo com tantas duvidas, sem ver, sentir ou me ouvir. Confie em mim, eu vou voltar. Não importa o que aconteça eu vou voltar. Eu só dei um tempo pro tempo, enquanto ele dava um tempo de mim.
Parti para terra dos solitários, que de tão só a Lua sentiu minha dor e sentindo dó se fez minha amiga. Assim como o sol não pode viver perto da lua, eu não posso viver perto de você.
Está difícil viver, e pra continuar neste mundo precisamos de uma razão, um motivo vivo pra sonhar e ser feliz. Se o que lhe falta é amor, se não acha um motivo para rir em meio aos prantos, se suas agonias da carne e desejos mais gritantes te levarem a loucura. Lembre-se eu vou voltar, haja o que houver eu vou voltar. Talvez você nunca entenda, mas precisa confiar em mim. Eu nunca te abandonarei, repare a lua e eu estarei pensando em você.
De sua amada.