Foi com grande dor que disse Adeus, mas foi por uma dor maior ainda que tive que dizer Adeus.
Quando precisei, você não me escutou, me ignorou. Mas quando você precisou, eu estava lá, apoiando você.
Parei de confiar em você, me decepcionei com a realidade. Eu sofria cegamente e esquecia todas as decepções e o sofrimento quando você aparecia sorrindo.
Você me usou, usou minha carência, minha dependência, e esqueceu que eu tinha sentimentos. Na verdade, acho que você nunca achou que eu fosse capaz de ter sentimentos.
Agora estou aqui, sofrendo mais uma vez, por você, por um sentimentos idiota que me levou a crer que você pudesse amar alguém além de si.
Um dia, quem sabe, eu descubro o que você realmente queria de mim. Porque parece que, mesmo depois de tanto tempo, eu nunca tive serventia; me diz: Eu fui útil?! Você pelo menos se divertiu às minhas custas?! Talvez eu não queira nem mesmo saber a resposta. Aposto que a aflição da expectativa é melhor do que a dor da decepção de qualquer que seja a resposta.