Por mim, finalmente

11 de Agosto de 2011 AmandaBomfim Cartas 1184

Foi com grande dor que disse Adeus, mas foi por uma dor maior ainda que tive que dizer Adeus.
Quando precisei, você não me escutou, me ignorou. Mas quando você precisou, eu estava lá, apoiando você.
Parei de confiar em você, me decepcionei com a realidade. Eu sofria cegamente e esquecia todas as decepções e o sofrimento quando você aparecia sorrindo.
Você me usou, usou minha carência, minha dependência, e esqueceu que eu tinha sentimentos. Na verdade, acho que você nunca achou que eu fosse capaz de ter sentimentos.
Agora estou aqui, sofrendo mais uma vez, por você, por um sentimentos idiota que me levou a crer que você pudesse amar alguém além de si.
Um dia, quem sabe, eu descubro o que você realmente queria de mim. Porque parece que, mesmo depois de tanto tempo, eu nunca tive serventia; me diz: Eu fui útil?! Você pelo menos se divertiu às minhas custas?! Talvez eu não queira nem mesmo saber a resposta. Aposto que a aflição da expectativa é melhor do que a dor da decepção de qualquer que seja a resposta.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 13


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 11


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 14


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 12


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11