Eu sempre achei tudo feio e nunca gostei de nada. Sempre tive que me contentar com o quase bom. Mas o quase bom um dia deixou de ser suficiente, não me deixava ser completo, não me deixava ser nada, além de um quase. Nunca achei nada perfeito até você me apresentar “nós”.