Ela era uma garota extrovertida e sempre andava esbanjando
sorrisos por aí. Tinha amigas no colégio, e fora dele também. Uma família, uma
mãe que a compreendia, e um pai que estava ao lado dela sempre.



Andava cercada por pessoas legais, e que a amavam. Mais ela
não era o que as pessoas viam , aqueles possíveis sorrisos eram para disfarçar
a verdadeira dor que sentia no peito.





Ninguém realmente se importava, ou pelo menos não parecia se
importar se ela estava realmente bem.



Era uma garota solitária, que levantava durante a madrugada
para chorar, e que se cortava para se sentir melhor. 





Porque todos iam á ela, pedir conselhos, mas nunca pararam
realmente para ouvi-la ou para perguntar se estava realmente tudo bem. Ela
achava nos cortes a maneira de curar suas dores.



A solidão a atormentava repentinamente. Estava cercada por
pessoas, e ao mesmo tempo estava completamente sozinha.