Parte 1:

Pedro e Fernando estavam sentados no sofá, Pedro levava a mão a cabeça, serio, fernando tambem.

Pedro: então eles estão armando para mim?Obrigado Nando, agora, por que resolveu me ajudar?

Fernando: Eu relutei muito tempo Pedro, mas não posso mais fugir, eu te amo, não me importo com o que voce já fez, mas não consigo deixar de te amar.

Pedro: voce esta falando serio?

Fernando: sim, Pedro, voce sabe que eu te amei, não,eu ainda te amo e muito e voce sabe disso

Pedro sorriu, mais ainda assim não confiava.

Pedro:nao sei se devo confiar em voce nando

Fernando: eu vou te provar, namora comigo.?

Pedro o olhou e Beijou Fernando.

----------------------

DIAS DEPOIS

-----------------------

Pedro estava levando Fernando ate a escola, Na porta encontraram Ricardo e Tonia. Pedro sorriu ao ve-los.

Pedro: oi

Pedro falou com ambos ironicamente. Fernando não encarava ambos nos olhos.

Pedro: amor, vou te deixar aqui esta bem? Mais tarde passa lá em casa.

Ricardo: Eu não acredito que voce nos traiu Fernando, não mesmo.

Pedro saiu sorrindo para Ricardo.

RESIDENCIA FAMILIA FERNADES

Felipe e Gustavo estavam no quarto se arrumando para ir para escola, estavam atrasados, haviam acordado tarde. Felipe estava meio triste.

Gustavo: que foi Lipe?

Felipe: Me perdoa, por todo esse tempo sem... nada.

Gustavo se aproximou dele e se sentaram na cama.

Gustavo: ei calma, eu entendo, voce sofreu muito amor, sei que não esta preparado e nem quero, somente quando voce estiver pronto para seguir em frente. E não a nada para perdoar.

Felipe sorriu e beijou gustavo.

Felipe: eu te amo.

Gustavo: eu tambem te amo, agora vamos para a escola?

Felipe: sim, ou o professor vai nos matar

Continuaram a se arrumar e foram tomar um repiso café da manha.

Cecilia: Boa aula para voces dois.

Felipe: brigado mãe.

Gustavo: Brigado... Sogra.

BOCA DE MATOQUENTE.

Léo havia chegado a boca, porque Matoquente mandará chama-lo. Léo entrou no gabinete do maior traficante da cidade.

Léo: Mandou me chamar?

Matoquente: sim, entra ai.

Matoquente estava sentado com os pés na banca e rodando um revolver na mão, seus capagangas guardavam a porta.

Matoquente: Pintou um lance ai, uma morte encomendada.

Léo: morte encomendada de quem?

Matoquente: entraremos em detalhes depois. Parece um tipo de vingança. Gostaria de saber se voce estaria interessado?

Léo: sim, claro. Para quando?

Matoquente: Em alguns dias.

Léo e Matoquente se despediram, ao sair do gabinete Léo deu um sorisso.

Léo: otimo, esta ai a brecha, em breve tomarei seu lugar chefe.

RESIDENCIA DE PEDRO.

Fernando depois de sair da escola foi direto para casa de Pedro, tomou um banho, e ficou somente de bermuda. Pedro estava colocando o almoço que a conzinheira havia feito.

Fernando: e sua mãe como esta?

Pedro: continua no hospital.

Fernando: que chato isso, espero que ela melhore.

Pedro: é.

Fernando: Ah proposito amor, feliz aniversario atrasado.

Pedro sorriu e o beijou.

Fernando: o que vai fazer a respeito de Ricardo e os outros?

Pedro: ainda não sei.

Fernando: e o Plinio quando volta?

Pedro: não sei, ele disse que teve quer ir urgente para são Paulo.

Fernando: hum.

Pedro: mais quando ele voltar, vamaos ter uma conversa.

Fernando: certo.

--------------------------

DIAS DEPOIS

-------------------------

Gabriel: Ricky, seu pai, por que ele foi embora?

Ricardo: não sei, ele foi embora sem nos dizer nada. Ele abandonou a gente, se eu o visse novamente não sei o que faria.

Gabriel: deve ser dificil,olha, sua mãe vai por a culpa nisso provavelmente, por voce perder a infulencia paterna.

Ricardo: eu mesmo já pensei nisso, mas eu sentia isso, mesmo quando aquele homem morava conosco.

Gabriel: eu sei.

Permaneceram em silencio por um tempo, quando Ricardo viu Henrique e Maruricio se aproximarem, reconheçendo-se e se sentarem juntos.

Henrique: Ricky? Que surpresa te encontrar.

Ricardo: oi cara, esse é Gabriel um grande amigo.

Henrique e Mauricio cumprimetaram Gabriel e se sentaram.

Mauricio:finalmente aqueles ataques Homofobicos pararam né?

Gabriel: sim. Mas será que não volta? Quer dizer a policia esta em alerta, o assasino deve estar se precavendo.

Henrique: é verdade, mas espero que o peguem logo, não gosto de ver gente como nos morrendo, ou melhor, não gosto de ver ningem morrendo. Esse assasino deveria ser morto quando preso, ir pra cadeira eletrica, mas como o Brasil não tem pena de morte, ele tem quer ficar preso pra sempre.

Gabriel: aham.

RESIDENCIA FAMILIA RIBEIRO.

Thiago e Matheus estavam em casa com Catia. Quando Gustavo e Felipe foram visita-los. Thiago atendeu a porta.

Thiago: Gustato, Lipe? Que surpresa.

Felipe: oi, é que lembrei de voce, tudo, desculpe amigo, por não ter me lembrado logo.

Thiago: tudo bem, vem conheçer o Mathues, ele ta louco para te conheçer.

Felipe e Mathues se conheçeram e de imediato sentiram grande afinidade.

Cátia: Lipe, fiquei muito feliz quando te encontraram. Rezeva todos os dias para te encontrarem.

Thiago: não é a toa que fui eu que o encontrei.

Passaram o dia juntos.

RESIDENCIA DE PEDRO.

Pedro e Fernando estavam deitados na cama, se beijando e se agarrando.

Pedro: quando vamos avançar hein?

Fernando: em breve, tipo, ainda tenho trauma.

Pedro: err... desculpe por aquilo.

Fernando e Pedro continuram a se beijar.

Fernando: preciso ir no banheiro.

Fernando saiu, e Pedro ficou deitado na cama, depois de um bom tempo Fernando voltou.

Pedro: demorou

Fernando sorriu.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo estava no quarto, quando Andre entrou.

Andre: maninho?

Ricardo: oi?

Andre: como voce esta?

Ricardo: estou bem, por que?

Andre: quero falar com voce, tem algo estranho acontecendo.

Andre: sabe quando voce estava na praia, ela andava recebendo umas ligações, e continua, mas nunca falam nada. Teve um dia que atendi e eu ouvir um choro no outro lado da linha.

Ricardo: o que quer dizer?

Andre: eu não sei, mas tem algo estranho.

Ricardo ficou pensativo.

Parte 2:

---------------------

DIAS DEPOIS

--------------------

Pedro havia saido de casa, Fernando vinha dormido na casa dele a algum tempo, mas não todo dia, Havia chegando o momento que Fernando tanto queria.

*** Maicon: vamos ter que seguir com o plano, invadir a casa de Pedro.

Fernando: e seria seguro? Se ele aparecer.

Plínio: cuidarei disso, irei distrai-lo.

Ricardo: calma gente, temos que planejar tudo direito.

Tonia: Maicon se tudo der errado ele pode usar a tal mídia contra você, não quer tentar algo?

Maicon: não, esta decidido, depois de amanha vamos invadir a casa dele, conseguir mais provas e mandar o Pedro para cadeia.

Theo: é o que mais quero, é ver ele preso.

O plano estava quase formado, Mas Fernando se manifestou.

Fernando: não, seria muito arriscado, Maicon aquela midia é muito importante para voce, se Pedro nos pega voce vai sofrer as consequencias, tenho um plano.

Maicon: o que quer fazer?

Fernando: me influitarei na casa dele, namorarei com ele, sei que ele vai ceder. E quando ele tiver se deixado levar por mim, mudarár a senha do cofre para meu nome, conheço ele.

Theo: nando tem razão isso pode dar certo sim.

Ricardo: mas Nando tem que tomar bastante cuidado.

Fernando: eu sei, vou ter, o problema vai ser beija-lo. Outra coisa Plinio, seria melhor sair, fingir que voltou para São Paulo.

Todos se olharam.

Maicon: esta decidido?

Todos: sim.

Fernando ficou estanho, aos poucos um a um saíram da casa, Fernando foi o ultimo e começou a caminhar. Mas não estava caminhando pelo caminho que levaria a sua casa, estava indo para outro lado. Em alguns minutos chegou ao destino que queria, bateu na porta da casa. Pedro atendeu.

Pedro: Fernando?

Fernando entrou beijou Pedro na boca por alguns segundos.

Fernando: Pedro, você precisa saber de uma coisa.

Pedro estava achando estranho tudo aquilo.

Pedro: o que foi?

Fernando: Ricardo, Tonia e Theo querem armar pra voce, querem te pegar e manter em cativeiro.

Pedro: como?

Fernando: quer fazer voce confessar tudo para policia, mas não quero ver voce preso, não aguentaria, eu te amo.

Fernando começou a chorar e a beijar Pedro.

Pedro e Fernando estavam sentados no sofá, Pedro levava a mão a cabeça, serio, fernando tambem.

Pedro: então eles estão armando para mim, obrigado Nando, agora, por que resolveu me ajudar?

Fernando: Eu relutei muito tempo Pedro, mas não posso mais fugir, eu te amo, não me importo com o que voce já fez, mas não consigo deixar de te amar.

Pedro: voce esta falando serio?

Fernando: sim, Pedro, voce sabe que eu te amei, não,ainda te amo.

Pedro sorriu, mais ainda assim não confiava.

Pedro:nao sei se devo confiar em voce

Fernando: eu vou te provar, namora comigo.

Pedro o olhou e Beijou Fernando. Fernando sentia nojo. ***

*** Fernando: preciso ir no banheiro.

Fernando saiu, e Pedro ficou deitado na cama. Fernando chegou no banheiro e vomitou, sentia nojo de tudo que estava fazendo, mais não podia desistir. Saiu do banheiro e foi ate o porão. Digitou o seu nome, mais Pedro ainda não havia trocado. Voltou para o quarto.

Pedro: demorou

Fernando sorriu morrendo de raiva por dentro.***

*** Fernando: já amei um garoto, o Pedro, a muito tempo, mas hoje não da mais, ele fez coisas que me enjoaram, me fez sentir ódio.

Guilherme: eu sei. Mais você o amava muito?

Fernando: Muito, muito mesmo.

Fernando suspirou e ficou pensativo.

Guilherme: ou ainda ama?

Fernando o olhou e não respondeu. Ficaram conversando um bom tempo.

Fernando: bem, acho que já vou.

Guilherme acompanhou fernando ate a porta, antes de partir Fernando falou.

Fernando: Ah, o Pedro, não amo mais, nunca mais, eu o odeio, sinto nojo, por mim ele apodreçe no inferno.

Fernando falou com desprezo que Guilherme percebeu em seu olhar. ***

Fernando estava agora parado em frente ao cofre, rezava para dar certo agora. Digitou a senha: fernando. Nada aconteceu.

Fernando: droga.

Fernando pensou e colocou Nando. Demorou um pouco e o cofre se abriu, havia dinheiro e a midia no fundo. Fernando sorriu, segurou a midia na sua mão. Subiu ao quarto escreveu um bilhete e saiu da casa. Fernando dirigiu-se ate a casa de Maicon.

Maicon: Nando, o que faz aqui tão tarde?

Fernando entregou a pista sorrindo. Maicon chorou de felicidade ao pegar.

Maicon: voce conseguiu, voce conseguiu

Maicon abraçou Fernando, os dois comemoraram.

RESIDENCIA DE PEDRO

Pedro chegou em casa, subiu para o quarto e abriu a porta devagarinho.

Pedro: nando?

Pedro não encontrou, ao andar viu o bilhete em cima da cama, ao pegar ele ficou encarando as letras que dizia. " Perdeu, amor". Pedro correu para o porão, encontrou o cofre aberto, sorriu de raiva.

Pedro: não, não, NÃOOOOOOOO

Pedro pegou um vaso de vidro e arremessou contra a parede, seus olhos ardendo em furia, conseguiram afeta-lo.

Pedro estava tentando se acalmar, a campanhia de sua casa tocou, ele abriu.

Maicon: Oiii primooo.

Maicon deu um soco em Pedro,que caiu no chao.

Continua...