1 DIA ANTES DE KATERINE SAIR DO
HOSPITAL


a sala estava escura,
mais que o normal de repente ouço um sonoro e expressivo ”click” seguido de um
clarão, meus olhos demoram um pouco a se ajustar a luminosidade do local. assim
que a sala entra em foco percebo a figura que estava sentada em uma poltrona
de  couro um homem. branco de olhos azuis
tão intensos quanto a cor do mar a noite, ele me olha com desprezo e admiração
ao mesmo tempo.



é ades.



  -ora, ora, a que devo a ilustre visita
meu caro amigo?


digo isso a ele enquanto
me jogo em uma poltrona a frente dele com cara, de quem não sabe nem mesmo
quanto é um mais um



.apesar de eu saber ate
demais os motivos pelos quais o mais ilustre, temido e sábio de todos os
imortais (isso é segundo as afirmações que ele mesmo faz a seu respeito. só
porque o pai dele é um babaca, pretensioso que o mimou demais.) estar em minha
casa, ele levanta me olha com desprezo e diz:


-seu filho da puta.
você  tinha que encontrar a garota e
deixá-la em segurança, e não tentar matá-la.e o pior se envolver com a
policia.você pensa que será fácil como das outras vezes?em? pensa que só terá
que mudar de imagem e estará livre?


(deixá-la em segurança?
como se eu não soubesse que seu caro papai é satã, e que ele quer matá-la, porque
ela e filha dele com uma mortal e pela profecia ela ira matar seu paizinho
querido e tomar dele o inferno.)



queria ter dito isto a ele, mas,
tudo o que eu disse foi:

continua...