Parte 1:

Ricardo: tonia, le-lembra da noi-te que encontra-mos o Fernando.

Tonia: sim sim, o quer que tem?

Ricardo: e se... e se tudo aquilo não foi acaso?

Tonia: o que voce quer dizer?

Ricardo: e se Pedro tivesse armado tudo aquilo para nos envolvermos com ele.

Os outros escutavam tudo anteciosamente.

Ricardo: Agora entendo, não foi por acaso que encontrei Fernando naquele dia, foi armado, por Pedro, o tempo todo. E o André ele mentiu, ele não conheceu o Pedro naquele mesmo dia.

Tonia: do que voce esta falando?

Ricardo segurou a foto e mostrou os dois, havia um homem com Pedro e uma criança em suas costas.

Ricardo: esse homem, se chama Sergio... ele, ele...

Pedro entrou no quarto, olhou diretamente para Ricardo segurando a foto, viu as lagrimas em seus olhos e notou tudo. Pedro sorriu.

Pedro: O que temos em comum Ricardo?

Ricardo: Temos o mesmo Pai, você é meu irmão.

Todos pareceram se anestesiar, olhavam de Ricardo para a foto e da foto para Pedro.

Fernando: o que? Como assim?

Ricardo: eu não sei, mas esse homem aqui nessa foto é meu pai, Sergio. Meu, da Amanda e do André.

Pedro: e meu, exatamente.

Pedro começou a andar pelo quarto, olhou seu baú em cima da cama.

Pedro: a Amanda sabia, eu mostrei a foto e ela deduziu tudo.

*** Amanda: e quem você quer colocar?

Pedro: Breno, Fernando, Theo, Ricardo, Tonia.

Amanda: mais Ricardo é meu irmão?

Pedro: mas agora você esta na minha mão Amanda, preciso que você me conte tudo que sabe. O nome do personagem é Kira, por isso irei chamar essa missão de missão K

Amanda: mas é meu irmão.

Pedro: veja isso.

Pedro mostrou uma foto a Amanda, que ficou chocada.

Amanda: esse é?

Pedro: a ligação que tenho com Ricardo.

Amanda: meu Deus, não é só com ele, é comigo também. ***

Ricardo: e o André como você o envolveu nisso? Ele te conhecia antes daquele dia que te vi pela primeira vez.

Pedro: ah o André,  ele foi muito bobo abrindo a porta da casa dele para mim né? Mais não se preocupe eu o conheci ele naquele dia mesmo, meu irmão caçula. Hehehe.

Tonia: Porque você perseguiu o Ricardo Pedro?

Pedro: Você e sua família sempre foi a família principal dele, era com vocês que ele dormia, passava o maior tempo. A mim restava somente os fins de semana.

Ricardo: ele dizia que viajava, ele traia a nossa família bem perto de nós.

Pedro: mas ai ele foi embora, nunca mais o vi, e jurei me vingar de você e sua família por ele ter passado mais tempo com vocês e por ele ter ido embora, mas eu não podia simplesmente entrar na sua vida de uma hora para outra, Por isso fiz o Fernando surgir na vida de vocês. Naquele dia te seguir ate a casa do Léo. E foi nesse dia tambem que comecei a estudar Léo, depois foi só me bater “ acidentalmente” com ele e a sorte fez o resto, ele se tornou meu aliado e por ai foi...

*** Pedro estava acompanhado de dois caras, Fernando estava sendo segurado pelos dois.

Pedro: cala a boca Nando.

Fernando: me solta, me solta seu idiota.

Fernando cuspiu na cara de Pedro. Pedro enxugou e bateu no rosto de Fernando, quando viu Tonia e Ricardo saindo da casa. Fernando não viu, Pedro havia colocado uma venda em sua boca e depois armodaçou sua boca. Seguiram Tonia e Ricardo ate a festa da casa de Léo e esperaram ate eles saírem.

Pedro: pronto eles saíram, façam o combinado e o coloquem na esquina onde eles passaram.

Os cara começaram a bater em Fernando e Pedro ligou para alguém.

Pedro: pronto, pode vim.

Fernando apanhara muito, sua cabeça sangrava, havia desmaiado, os capangas colocaram no passeio da esquina, demorou uns segundos e Fernando acordou, não conseguia se mexer por causa dos ferimentos. Ricardo e tonia estavam parados no meio da rua olhando uma estrela,Pedro os via mais não dava para escuta-lo, um carro parou de junto de Pedro.

Pedro: espera mais um pouco, quando ele achar o garoto vocês aparecem.

Pedro viu o desenrolar de toda a cena. O abraço de Tonia a Ricardo, mas não sabia o que se passava.

Os dois  estavam brancos, o menino estava sangrado muito e cheio de roxidoes pelo rosto, não sabia o que fazer.

Tonia:o que agente faz pelo amor de Deus.

Ricardo: calma garoto, vamos te ajudar.

Pedro agora ouvia ja que os dois gritavam desesperados.

Pedro: agora, pode ir.

O carro saiu de junto de Pedro.

Tonia: olhe, esta vindo um carro ali.

Ricardo corre em direção ao carro, que freia em cima dele, pede ajuda, desce um homem e uma mulher do carro, com ajuda de Ricardo e tonia o homem, pega o menino e bota no carro.

Pedro esperou  saírem, deu um sorriso, e olhou o carro partir. ***

Fernando: lembro dessa noite, Ricardo, mas eu não fazia ideia de que era planejado.

Ricardo e Tonia se assustaram com a revelação, se lembravam do casal que estava no carro.

*** Tonia: qual o nome de vocês?

Cara do carro: me chamo jonathan

mulher do carro: Me chamo Indiara

Jonathan: e vocês?

Ricardo: eu me chamo Ricardo, e ela Tonia. ***

Ricardo: Indiara e Jonathan.

Tonia: achavamos que ele estava ajudando.

Maicon agora que ficara abismado, não, não poderia ser.

Maicon: repete o nome por favor.

Pedro deu risada.

Ricardo: Jonathan e Indiara.

Maicon olhou de Ricardo para Pedro.

Pedro: que foi primo? Reconheceu eles?

Maicon: são meus pais.

RESIDENCIA FAMILIA BRANDÃO

Guilherme havia despertado, não estavam mais na sala nesse momento, estavam todos no quarto, juntos encostados na parede, Igor na frente apontando a arma.

Miguel: ele enlouqueceu, não esta no juízo perfeito.

Igor: a culpa é sua Miguel, se eu não tivesse me deitado com você, e se você não tivesse contado a verdade.

Rafael: para Igor, você não entende, você esta louco, absolutamente louco, abaixe essa arma.

Gabriel: Calma Rafa, não se altera ele pode ficar nervoso.

Igor: olha olha olha, ele é esperto, parabéns Gabriel.

Igor batia palmas com a arma ainda em sua mão.

Igor: ah, o viúvo acordou, pensei que havia se juntado ao seu noivo morto.

Guilherme: por que esta fazendo isso comigo? Não fiz nada a você.

Igor: ah sim, você esta de caso com o Rafael.

Gabriel: o que? Eles não tem nada sua anta.

Igor bateu na cabeça de Gabriel com a arma. Miguel se levantou no impulso e Igor apontou a arma para ele.

Igor: acho melhor não herói.

BOATE

Mariana estava levando Carol ao beco onde Léo havia cometido os assassinatos, Mariana permitiu Carol virar de frente para ela.

Carol: o que você quer?

Mariana: você sabe Carolzinha, quero que fique longe da Blenda, ela é minha namorada.

Carol: namorada? Você fazia a menina sofrer mais do que dar amor, nunca foi ve-lá cantar

Mariana: eu não iria me meter nessa,se alguém me visse descobriria que eu sou lésbica.

Carol: olha só o que você esta falando, como pode amar alguém assim?

Mariana enfiou um pouco mais forte a faca, saiu um pouco de sangue da barriga de Carol.

Mariana: acho melhor ficar calada.

RESIDENCIA DE PEDRO

Ricardo: eles são seus pais? Mas como? Por que eles ajudaram o Pedro? Pensei que você morasse sozinho maicon.

Maicon: e moro, eles não moram aqui, moram na minha antiga cidade. O que você fez Pedro?

Pedro: Maicon, não seja ingênuo, o que acha que eu fiz?

Maicon: você mostrou a midia a eles, você os ameaçou?

Pedro: isso mesmo,acho que eles não gostariam de saber o que aconteceria com você caso a mídia caísse em mãos erradas né?

Theo: Maicon o que finalmente existe nessa midia?

Pedro: vocês não sabem? Fez tudo isso por ele  e não conhecem o passado sombrio do meu querido primo?

Fernando: não fazemos isso por ele, todos nós temos motivos para se vingar de você seu lixo.

Pedro: que lindo defende ele, quando descobrirem o que ele esconde, alias, sabe aquele bau ali?

Pedro seguiu em direção ao bau e o pegou.

Pedro: tem uma copia da midia.

Maicon: o que?

Pedro: err Maicon, acha que eu só teria um? Sou mais esperto do que você imagina.

Maicon: mentira, você esta blefando.

Pedro: acredite no quer quiser, mas se eu cair, você cai junto comigo.

Todos estavam perplexiados com tudo dessa noite, Ricardo estava aturdido com o fato de ser irmão de Pedro. As Surpresas não acabaram quando Zélia e Leonardo surgiram na porta.

Fernando: pai?

Ricardo: mãe?

Parte 2:

RESIDENCIA FAMILIA FERNADES

Felipe e Gustavo estavam tomando providencias para colocar JP atrás das grades, já haviam ligado para Thiago e Matheus irem ate sua casa, não queria esperar, queriam dar a queixa ainda essa noite.

Cecilia: filho, você tem certeza?

Felipe: sim, não quero esperar nem um segundo para colocar aquele crápula atrás das grades, foi ele sim, tenho certeza.

Gustavo: amor liga logo para o Amilton, ele concordou em ser testemunha.

Felipe: sim.

Felipe discou o numero que Amilton lhe dera e ligou.

Felipe: amilton?

Amilton: sim.

Felipe: pode vim a minha casa agora? Vamos a delegacia, já sabemos de tudo, você disse que iria servir de testemunha.

Amilton: sim, sim. Posso sim. Estou indo.

Amilton desligou, Felipe e Gustavo receberam Thiago e Matheus naquele momento.

Thiago: então vamos?

Gustavo: temos quer esperar o Amilton, ele é testemunha... mas lipe ele foi cúmplice.

Felipe: vamos omitir, eles vão tentar ataca-lo, mas vou dizer que ele não estava. Ele foi ameaçado, não fez por querer.

Gustavo: eu te amo.

Os dois se beijaram.

RESIDENCIA DE PEDRO

Fernando não entendia o motivo de Leonardo esta ali, e Ricardo não sabia o motivo de Zélia estar ali tambem.

Zélia: filho, você não?

Ricardo: mãe? Você... você sabia?

Zélia: que seu pai me traia? Sim, eu sabia filho.

Ricardo: por que não me contou? Eu tenho um irmão, a pior pessoa que existe na face da terra é meu irmão.

Zélia: sim Pedro é seu irmão, eu não queria nunca que você ficasse sabendo que tinha outro irmão.

Zélia abraçou Ricardo, Ricardo estava com raiva mais ainda assim não dispensou o abraço.

Fernando: e você pai, por que esta aqui?

Leonardo olhou para Zélia e para Ricardo.

Leonardo: Nando, não tem nada haver com você, quando eu vi você com Ricardo naquele dia em casa com você eu agir estanho porque sabia a verdade.

Fernando: você sabia que Ricardo era irmão do Pedro?

Leonardo: quando você era amigo do Pedro eu deixei, não corria risco de nada mas ao se tornar amigo do Ricardo, eu temia que tudo viesse  a tona.

Fernando: mas como? Como você sabe da historia?

Leonardo: Sergio, o pai de Ricardo e Pedro é meu irmão.

Era demais para Ricardo escutar aquilo.

Ricardo: irmão de meu pai? Você é meu tio.

Pedro também estava estupefato.

Pedro: isso faz do Nando...

Fernando: primo de vocês dois.

As lágrimas caíram dos olhos de Fernando. Todos não podiam acreditar nas tamanhas descobertas dessa noite.

DELEGACIA

Felipe, Gustavo, Thiago, Matheus, Cecília e Amilton estavam ja na delegacia.

Cecilia: Delegado ja sabemos quem fez aquilo com meu filho.

Gustavo: isso mesmo, foi um garoto chamado JP, ele queria se vingar do Lipe por...

Thiago olhou para eles.

Thiago: ele me fez um mal no passado, contou uma mentira e o Lipe desmentiu, ele ficou bravo, humilhado na escola e ele foi embora, mas agora ele voltou e fez tudo isso com o Lipe.

Delegado: e tem provas?

Felipe: temos uma testemunha.

Amilton se manifestou, o Delegado olhou para ele.

Amilton: eu...

Amilton olhou para os outros que o incentivaram.

Amilton: eu escutei uma conversa dele comuns garotos da minha rua, posso te levar lá, eles tambem participaram do ataque, pode levar voce ate ele.

Delegado: vamos agora mesmo.

LÉO E MATOQUENTE

Léo havia feito varias perguntas a Matoquente sobre a boca e alguns crimes.

Léo: ok, falta uma pergunta. Eu sei quem é o cara que eu matei ainda pouco, o alvo, quero saber quem mandou mata-lo?

Matoquente: isso não posso dizer, acaba aqui minhas respostas.

Léo: muito bem. Não insistirei, não tem tanta importancia.

Matoquente: o que vai fazer agora?

Léo olhou para varios pneus que estavam ali, começou a colocar Matoquente dentro deles.

Léo: sabe eu escutei a historia do porque seu apelido ser Matoquente. Voce trazia seus inimigos para cá pro mato e tocava fogo neles, dai o nome Matoquente. Nada mais justo do que morrer da mesma forma e eu herdar a honra de usar seu nome.

Matoquente: por favor não.

Léo jogou gasolina nos pneus e atirou, o fogo espalhou-se por todos os lados. Matoquente gritava. Léo sorriu.

RESIDENCIA  DE PEDRO

A tensão na casa de Pedro estava grande, sentia-se o clima na sala.

Fernando: porque esconderam isso?

Zélia: é historia nossa, geraçao antes da sua. Não convém lembrarmos do nosso passado.

Pedro estava quieto sem falar nada, lagrimas saia de seu rosto. Ele derrubou o porta-retrato.

Pedro: saiam, saim todos daqui. Saiammmmmm

Pedro começou a empurrar cada um para fora, não relutaram, foram saindo.

Ricardo: não precisa nos expulsar.

Quando todos sairam, Pedro bateu a porta começou a gritar e quebrar tudo que via pela frente.

Pedro: ele é meu primo, ele é meu primo, Sergiooo seu desgraçado. Ahhhhhhhhhhhh

No lado de fora. Zélia foi ate Ricardo e o abraçou, Ricardo se desviou junto com Tonia que o seguiu. Leonardo foi ate Fernando.

Leonardo: filho?

Fernando: não tenha pena de mim, eu sou primo daquele monstro, me deixa em paz.

Fernando saiu correndo. Theo foi atras dele. Maicon resolveu sair abismado, Zélia e Leonardo resolveram não seguir os filhos e foram para casa.

Fernando chorava e corria.

Theo: Fernando espera.

Fernando falou chorando e ajoelhando-se ao chão.

Fernando: eu sou primo dele theo, eu sou...

Theo: calma amigo, calma.

Theo abraçou Fernando.

RESIDENCIA FAMILIA BRANDÃO.

Igor continuava ativo apontando a arma para Miguel.

Igor: se sente.

Miguel foi descendo devagar ao assento.

Rafael: meus pais estão chegando já, voce tem quer sair daqui, senão vai ser preso.

Igor: não importo, mas se eu for preso tenho quer me vingar de alguem?

Guilherme: por favor cara, não tenho nada com rafa.

Igor: cala a boca cara, não estou falando de voce.

Igor parou e olhou para Gabriel.

Igor: voce é a causa disso, voce dedurou tudo ao Rafael.

Gabriel: eu não sabia que era voce.

Miguel: Igor, por favor cara.

Igor: alem do mais se eu não tenho o Rafa, porque o Miguel pode te ter se ele te traiu tambem?

Gabriel começou a chorar. Igor levantou a arma para gabriel.

Gabriel: por favor não.

Gabriel fechou os olhos.

Miguel: nãooooooo

Ouve um disparo.

Parte 3:

Gabriel não sentiu a bala nele, abriu os olhos, Miguel estava lutando com Igor, a arma havia caido e havia um furo da bala no teto. Gabriel e os outros se levantaram para atacar Igor. Miguel estava atracado com Igor, quando aconteceu, Igor se jogou com miguel pela janela do quarto, os dois cairam.

Gabriel: nãoooooooo

Correu para a janela, olhou para baixo, os dois estavam no chão, havia sangue, estavam desacordados. Gabriel estava horrorizado.

RESIDENCIA  DE JP

Felipe estava chegando junto com os demais e a policia na casa de JP. Os outros que haviam agredido Felipe tambem estavam presos. Alegaram que Amilton tambem participará, mas Felipe garantiu que não estava.

Delgado: abra a porta aqui é a Policia

Ninguem respondeu, continuaram chamando ate que arrombaram a porta. Não havia ninguem, no guarda – roupa não tinha mais roupa.

Felipe: ele soube, eles  avisaram.

Felipe olhou os caras sorrindo dentro da viatura.

Delegado: continuaremos a procura-lo.

BOATE

Mariana ainda mantinha Carol presa, quando Blenda chegou.

Blenda: o que voce esta fazendo? Solte ela

Mariana soltou e olhou para Carol.

Mariana: sabe o que fazer.

Carol: não vou me render.

Mariana saiu correndo. Blenda abraçou carol e a beijou.

Blenda: o que ela fez com voce?

Carol: nada, deixa. Como me achou?

Blenda: percebi a demora e sair para procurar.

RESIDENCIA DE TONiA

Ricardo e Tonia chegaram na casa de Tonia, Ricardo estava triste e chorava.

Tonia: amor? Não fica assim.

Ricardo: eles mentiram para mim, o tempo todo Tonia.

Tonia abraçou Ricardo ja sentados na cama.

Ricardo: não quero voltar para casa hoje.

Tonia: tudo bem, dorme aqui hoje.

Ricardo: sou irmão dele Tonia, eu, André somos irmão dele. E Amanda, ele matou a propria irma e sabia disso.

Ricardo começou a chorar e abraçou Tonia.

RESIDENCIA DE PEDRO

Pedro estava olhando todo o estrago que fizera na casa, estava mais controlado. Mas o odio estava estampado em seus olhos. Pedro pegou o celular.

Pedro: oi.

???: Pedro? É voce?

Pedro: sim, sei que faz bastante tempo.

???: Bastante tempo? Faz anos.

Pedro: eu sei, preciso de sua ajuda, preciso que venha para minha casa.

RESIDENCIA DE MAICON

Maicon havia ajeitado um quarto para Plinio, quando Maicon havia chegado Plinio estava na porta o esperando, sua maõ estava enfaixada. Ele estava no quarto. Maicon ja estava dormindo. Plinio pegou o celular.

Plinio: Robson?

Robson: então, conseguiu?

Plinio: ainda não, mas em tres dias estou ai.

Continua.....