Descobertas Adolescentes-Cap-47:

20 de Julho de 2014 guilherme Contos 796

Parte 1:

Sergio sorria ao ver o rosto de seu filho, que já não via a muito tempo.

Ricardo: O que esta fazendo aqui?

Ricardo falou com desprezo.

Sergio: não vai me deixar entrar?

Ricardo: não, voce some depois de tanto tempo, eu descubro que voce tinha, tem , outra familia. E volta assim?

Sergio: então, voce sabe do Pedro?

Ricardo: sim, mais do que eu queria.

Sergio: Filho, eu não queria fazer aquilo com sua mãe, era pra ser só uma noite, mas foi rolando e Marlene ficou Gravida do Pedro e eu não podia os abandonar

Ricardo: é inacreditavel, realmente é inacreditavel, por favor vai embora daqui, e não apareça mais, nem para mim, nem para minha mãe e nem para o Andre. Alias, voce sabia que sua filha, esta morta?

Sergio: o que? A- Amanda?

Sergio começou a chorar.

Ricardo: claro que não, por que voce nunca esteve presente. E não derrame essas lagrimas de crocodilo.

Ricardo bateu a porta e chorou de raiva.

BOCA DE LÉO.

Leó estava em seu gabinete, onde era de Matoquente, estava sentado com os pés na mesa. Conversando com um dos seus homens.

Léo: nossa que tedio, esta isso aqui hoje.

Homem: o que quer fazer chefe?

Léo: não sei, tocar o terror, algo do tipo.

Homem: chefe, fiquei sabendo que o senhor não é muito fã dos gays né?

Léo: que isso, Gays é muito educado, podemos chamar do que eles são, viados, bichas,merdas.

Homem: ok, então é verdade?

Léo: sim, por que?

Homem: abriu um centro de apoio a bichas na cidade.

Léo: como?

Homem: exatamente. Abriram a alguns dias, o dono é um deles.

Léo: hummm... acho que já sei como me divertir um pouco.

RESIDENCIA DE PEDRO.

Pedro e Fred estavam indo dormir, estavam dormindo na mesma cama a de Pedro.

Fred: Pedro, posso falar com voce sobre uma coisa?

Pedro: o que? Não aconteçeu nada errado, aconteçeu?

Fred: não, acho que vai ser melhor para voce ainda.

Pedro: fala então

Fred: quando voce me ligou e eu estava vindo para cá, eu quase atropelei um garoto no caminho.

*** Fred dirigia ouvindo um som pelo caminho, quando um garoto passou correndo e ele quase o atropela, o rapaz ficou paralisado. Fred desceu do carro.

Fred: garoto voce esta bem?

???: voce precisa me ajudar.

Fred: o que houve?

???: armaram para mim, a policia esta vindo atras de mim, preciso me esconder.

Fred: claro, entra no carro, eu te ajudo, voce parece exausto, correu bastante foi?

???: sim

Fred: como´é seu nome?

??? : JP ***

Pedro se sentou na cama para ouvir o resto da historia.

Fred: claro que eu sabia que ele era realmente culpado, dava para ver a mentira nos olhos dele, mas mesmo assim ajudei, quando voce me ligou sabia que não poderiamos fazer isso sozinho.

Pedro: ok, e o que espera que eu faça?

Fred: voce vai gostar.

--------------------------

DIA

--------------------

Ricardo chegou na escola, Fernando e carol estavam ansiosos para falar com ele.

Fernando: Ricky, voce esta bem?

Ricardo: por que não estaria?

Carol: por que seu pai voltou?

Ricardo: como é que voces sabem?

Fernando: ele esteve lá em casa, conversando com meu pai, eu o vi e sabia que ele iria te procurar.

Ricardo: estou otimo, não quero saber dele, esta bem?

Fernando: voce tem certeza?

Ricardo: EU JÁ DISSE QUE SIM, NANDO, QUE SACO.

Ricardo falou nervoso se afastando de Fernando e Carol.

Carol: pelo visto, não esta nada bem.

Fernando: estou preocupado como isso pode afeta-lo. Primeiro a tonia vai embora com Plinio, ele descobre ser irmão de Pedro e agora o pai dele volta. Não é pouca coisa.

Carol e Fernando observaram Ricardo sumir entre os corredores.

ESCOLA DE FELIPE, GUSTAVO E JULIA.

Felipe, gustavo e Julia estavam entrando na escola, algumas pessoas ainda olhavam para Felipe e Gustavo e sussurravam.

Julia: não sei como voces aguentam esses povos falando assim.

Felipe: tudo bem, não podemos fazer todos eles nos aceitarem né?

Gustavo: e alem do mais, serve para nos deixar mais fortes, sem que nosso futuro não vai ser nada facil.

Julia: pode não ser façil, mas concerteza as pessoas nesse mundo que lutam para ser, e eu sou uma delas.

Felipe: sonho com o dia que poderemos viver em paz.

Gustavo: estamos caminhando amor, só é olha pro passado e ver como era antes,e parar para notar como estar hoje.

Felipe: é verdade.

RESIDENCIA FAMILIA BRATHO

Henrique e Mauricio estavam em casa quando Léo chegou, cada vez que via Léo, Mauricio ficava nervoso dele falar algo.

Léo: e ai Mauricio, tudo na boa?

Léo falou fazendo gesto de fumante.

Mauricio: tudo sim.

Henrique não percebeu o clima.

Henrique: não dorme mais em casa?

Léo: não, estou trabalhando em um evento educativo.

Henrique: humm, que bom, espero que seja algo realmente produtivo.

Léo sorriu e foi para o quarto.

Léo: e sera, ensinar a voces a virarem homens.

RESIDENCIA DE PEDRO

Fred chegou trazendo JP ate Pedro, que o examinou.

Pedro: então voce é o JP?

JP: sim.

Pedro: e por que a policia esta atras de voce?

JP: eu cai numa armadilha. Expliquei ao Fred.

Fred: pode falar a verdade, eu e o Pedro não acreditamos nisso, fique tranquilo, tambem não prestamos.

JP pensou um pouco, mas naõ tinha saida, ou iria ser preso.

JP: eu formulei um esturpo e quase a morte de uma pessoa. O estrupei mais alguns caras e o largamos de cueca na pista chuvosa e fria.

Pedro: uau, voce é dos meus.

Fred: sabia que voce aparantava ser mais do que isso.

Pedro: ele vai servir sim.

JP: Pra que?

Parte 2:

Fred: voce esta fugindo da Policia e o Pedro tem algo com que deve se preocupar, e voce esta otimo para esse papel.

Pedro: bem vindo ao clube, Fred, leve ele.

Fred saiu com JP.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Zélia estava em casa sozinha, já que os filhos estavam na escola, quando Sergio bateu na porta da casa, ela abriu e ele entrou.

Zélia: eu sabia que era questão de tempo, voce me procurar.

Sergio: Zélia, eu estive com Ricardo...

Zélia: ele me falou, e faço a mesma pergunta que ele. O que quer aqui?

Sergio: corrigir meus erros, ter meus filhos de volta.

Zélia: corrigir seus erros, ter seus filhos de volta, bem com Amanda já é tarde de mais. E por mim voce não chega perto dos meus filhos.

Sergio: por favor Zélia, não sabe o que tenho passado, o quanto me arrependi de ter abandonado voces.

Zélia: e sabe o que nós passamos, eu tive que sustentar essa familia sozinha.

Sergio: eu sei, eu sei e sinto muito por isso, mas preciso de uma chance.

Zélia: tera que fazer melhor do que isso, sai daqui.

Zélia colocou Sergio para fora de casa.

CENTRO DE APOIO

Rafael e Augusto estavam no centro, estava tendo uma palestra, havia varias pessoas assintindo, filhos e pais. Rafael estava no fundo com Marta, Daniel e Augusto.

Rafael: pai, mãe, esse é o Augusto.

Marta: Augusto? Do telefonema?

Rafael: sim, ele esta bem.

Marta: garoto, que bom que não fez nenhuma besteira, vem cá, me der um abraço.

Marta abraçou Augusto, que a muito tempo naõ recebia um abraço sem ser o do seu irmaõ.

Augusto: obrigado, eu estava precisando.

Daniel: voce esta melhor, mais calmo?

Augusto: sim, o Rafael é uma pessoa muito especial e esta me ajudando.

Rafael: é sim, e quero que ele conhecesse o Gabriel, o Guilherme, o Ricardo e todos os outros.

Marta: é bom.

ESCOLA DE FELIPE, GUSTAVO E JULIA.

O sinal da ultima aula havia tocado, Julia havia ido embora com o namorado misterioso. Felipe e Gustavo estavam já um pouco distante da escola.

Felipe: ufa, mais um dia de aula tranquilo.

Gustavo: é, sabia que era questão de tempo ate nos deixarem mais sossegados.

Felipe: é sim.

Continuaram a andar, a alguns metros a mais, começaram a se sentir perseguido.

Felipe:amor, acho que tem alguem nos seguindo.

Gustavo olhou para tras e alguem estava de capuz e de cabeça baixa, não dava para ver o rosto.

Gustavo: amor, quando eu falar é melhor agente correr, esta bem?

Felipe: estou com medo.

Gustavo: calma, vai dar tudo certo, estamos na rua publica.

Felipe: mas naõ tem ninguem por perto gustavo.

Felipe já estava ficando desesperado. O cara do capuz ameaçou correr.

Gustavo: corre.

Os dois deram as maõs e começarama correr, o cara do capuz correu e parou em uma distancia, Felipe e Gustavo continuaram a correr ate chegar em casa. Felipe estava amendrontado.

-----------------------------

Noite

------------------------------

RESIDENCIA DE PEDRO.

Fred ainda não havia voltado, Pedro estava sozinho, quando abriu a porta e se deparou com Sergio, seu pai.

Sergio: Pedro?

Pedro: voce?

Parte 3:

Pedro estava quase chorando, queria deixar o pai entrar, apesar de tudo ele sentia falta de seu pai.

Sergio: filho, eu... eu vim.

Sergio ia entrando, quando pedro o parou.

Pedro: não, naõ entre. Voce não tem o direito de voltar depois de todos esses anos.

Sergio:eu preciso do seu perdão filho.

Pedro: me responda,com quem voce falou primeiro?

Sergio: como assim?

Pedro: voce veio aqui agora primeiro, ou foi ver sua outra familia?

Sergio: eu estou aqui agora.

Pedro: foi o que pensei, voce foi ver sua familia, seus filhos preferidos não é?

Sergio: naõ tenho preferencia Filho, só sei que seria mais façil conversar com voce, por isso fui falar com os outros primeiros.

Pedro: se enganou, sai daqui, e não aparece nunca mais na minha frente.

Pedro bateu a porta. Sergio saiu desiludido e chorando.

Sergio: o que vou fazer? Esta sendo mais dificil do que eu esperava.

RESIDENCIA FAMILA FERNANDES

Felipe, Cecilia e Gustavo estavam em casa jantando quando uma pedra foi arremesada na porta da casa.

Cecilia; o que foi isso?

A mulher saiu para abrir a porta e encontrou uma pedra, amarrada num lenço. Ao abir estava escrito “ bichas” Cecilia foi ate a Gustavo e Felipe e os mostrou.

Cecilia: podem me contar o que esta acontecendo?

BOATE

Theo, Matt e Blenda terminaram o show, estavam cansados, Theo aproveitou o embalo de um grupo que estava saindo para ir junto.

Theo: Blenda, Matt já vou. Vou com um grupo que mora perto da minha rua, nesse tempo não é bom andar sozinho né?

Blenda: tem razão, ate amanha theo.

Theo saiu com um grupo de rapazes e garotas que iam cantando na rua, quando um grupo de carros apareceram e o rondaram e começaram a bater, e a chutar. Todos haviam desmaiados.

Léo: rsrs, isso é tão .... BOM

------------------

DIA

------------------

Rafael e Augusto estavam indo abrir o centro de apoio, quando chegaram perto do predio, havia varias pessoas e policias na frente.

Rafael: meu deus, o que sera que aconteceu?

Rafael e Augusto correram para o local, e se depararam com todas as pessoas que foram atacadas deitadas um por cima das outras no passeio. Estavam ensaguentados e bastante feridos.

Augusto: quem fez isso?

Rafael: theo? Theo?

Theo estava bastante ferido, o braço parecia estar fraturado

Rafael: meu Deus.

Augusto: mas o que?

Estavam tao atuardidos que agora perceberam o que estava escrito na porta do centro.

“ ISSO É SÓ O COMEÇO DOS SEUS PESADELOS”

Continua...


Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 13


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 15


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 13


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11