Descobertas Adolescentes-Cap-56:

28 de Julho de 2014 guilherme Contos 752

Parte 1:

Pedro e Ricardo acordaram simultaneamente no dia seguinte. Ricardo foi o primeiro a perceber a presença de Pedro, se levantando rapidamente da cama. Pedro em seguida.

Ricardo: O que você fez?

Pedro: o que você fez? Onde estamos?

Ricardo: Aqui é a minha casa. O que esta acontecendo Pedro?

Pedro: eu não... Sergio, desgraçado.

Ricardo correu para a porta que estava trancada. Começou a chutar.

Ricardo: abram a porta. Que droga.

Pedro: parece que estamos presos aqui, irmão.

Ricardo: NÃO ME CHAME DE IRMÃO.

Ricardo olhava com fúria para Pedro. Ricardo e Pedro tentaram sair de todas as formas, mas não conseguiram. Ate que vencidos pelo cansaço cairam no sofá

Ricardo: não sei qual é a razão dessa palhaçada, mas não dirija uma palavra a mim.

Ricardo disse indo para a cozinha.

RESIDENCIA DE FATIMA

Fátima a avó de Ricardo, mãe de Zélia estava hospedando Zélia, Sergio e André, já estava a parte da situação.

Fátima: acho que uma hora dessas já acordaram não?

Sergio: tem razão.

Zélia: o que vai fazer?

Sergio: vou ligar para lá.

Sergio pegou o celular e ligou para Ricardo. Ricardo atendeu.

Sergio: Ricardo?

Na casa de Ricardo, ele atendeu enraivado. Colocou no viva voz

Ricardo: o que esta fazendo? Destranquem a gente daqui.

Sergio: depende de vocês, só vou libertar se aceitarem passar o dia ai comigo e André, na mais perfeita paz.

Pedro: enlouqueceu? Quer reunir a família depois de tanto tempo, desculpa papai, mas quero sair daqui.

Sergio: ou é assim, ou vão ficar preso ai ate desistirem. Depende de vocês.

Ricardo: vou quebrar a casa toda entendeu? Não vou ficar aqui com esse idiota.

Pedro: Cala a boca Ricardo. Deixa que eu resolvo.

Ricardo: como é que é?

Ricardo deu um soco na boca de Pedro, tirando sangue, Pedro olhou para Ricardo e retribuiu o soco, começaram a brigar.

Zélia: parem vocês dois.

Resolveram parar com o grito de Zélia.

Ricardo: mãe, acho melhor tirar – me daqui, ou Sergio vai ter mais um filho morto.

Ricardo bateu com raiva e decidiu sair de perto de Pedro. Jogando seu celuar nele, quebrando.

RESIDENCIA DE AUGUSTO

Augusto e Rafael estavam tomando café, Rafael tinha chegado mais cedo. Quando Davi acordou.

Davi: Bom dia... irmão.

Davi falou percebendo a presença de Rafael e resolveu se sentar. Augusto deu a mão a Rafael, Davi olhou.

Augusto: Davi, preciso te dizer uma coisa.

Davi olhou para Rafael e ficou quieto.

Augusto: Err. Sabe que na vida acabamos encontrando alguém que queremos passar o resto da vida. Bem, sei que eu te disse que não estaria a sentir nada pelo Rafa. Mas estamos namorando.

Davi permaneceu quieto olhando para o prato de cereal.

Rafael: então fera, esta tudo bem?

Rafael falou indo tocar em Davi, que recuou a mão. Ainda quieto. Rafael olhou para Augusto.

Augusto: Davi...

Rafael: calma, vai com calma.

Rafael falou e Davi se levantou saindo de casa. Augusto olhou para Rafael.

Rafael: entenda ele, antes era só vocês dois, e agora seremos nós três.

Augusto: ele não vai aceitar que você venha morar com a gente.

Rafael: ele vai, der tempo a ele.

Rafael beijou Augusto.

RESIDENCIA FAMILIA FERNANDES

Cecília e Felipe estavam de malas prontas para sair, Gustavo o ajudou a arrumar a mala de Lipe. Estavam no quarto.

Gustavo: é, eu vou ter que assistir palestra sobre Petróleo e gás.

Felipe: não deve ser tão chato, eu vou para casa da avó,vou sentir saudades de voçe me paparicando o tempo  todo e tem o mala do meu primo.

Gustavo: hun, não gosto dessa historia de primo, olha só o Thiago e o Matheus.

Felipe; kkkkk. Bobo, só amo você.

Felipe começou a beijar em pausa Gustavo que o puxou e o afundou na cama em um beijo colado deixando Felipe sem ar. Quando Cecília entrou.

Cecília: Opa, desculpe atrapalhar, mas Lipe vamos?

Felipe: vamos.

Disse se levantando e se ajeitando.

Gustavo: é, e eu vou ver o Petróleo e o gás.

Gustavo fez cara de tristeza.

Cecília: amanha mesmo já estamos aqui Gustavo. O Felipe não vai sumir não.

Gustavo: vai saber, do jeito que ele é fujão.

Felipe riu ironicamente. E se despediram.

ESCOLA EDUCANDO

Gustavo chegou na escola e viu de cara Julia e Nicolas conversando com Rodrigo. Gustavo se juntou e Rodrigo fez gesto de nojo, Nicolas percebeu e deu um sorriso.

Julia: então você veio. Cadê o Lipe?

Gustavo: o Felipe viajou com a mãe, vou ficar sozinho ate amanha.

Gustavo falou no momento que Davi passou e escutou de relance, Nicolas e Rodrigo prestavam atenção.

Julia: pelo menos a casa toda para você.

Gustavo: sem o Lipe, não tem graça. Vamos vai começar a Palestra.

Julia: Guu, depois daqui vai lá pra casa, depois você volta para a casa do lipe

Gustavo: Se seu namorado deixar.

Nicolas: tudo bem, você não vai fazer nada com ela mesmo.

Rodrigo riu.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo estava na cozinha, já preparando o almoço, eram 10:00hs da manha. Pedro chegou ate ele.

Pedro: então rebelde, to com fome.

Ricardo: morra

Pedro: achava que o assassino aqui era eu.

Ricardo o fuzilou com os olhos.

Ricardo: e não vejo a hora de ver voçe ir preso.

Pedro: desista, o único que poderia me derrotar era o Maicon, mas fugiu.

Ricardo: vai sonhando.

Pedro: o que quer dizer?

Ricardo: vai pra merda Pedro, me deixa.

Pedro: humm, igualzinho a Tonia?

Ricardo: escuta garoto, quer me tira do serio, estou com uma faca na mão, sou capaz de muitas coisas agora, não sou mais o idiota do passado.

Pedro: que medo, se fosse mesmo esse rebelde todo, viria para o meu lado, imagine só nós dois contra o Sergio?

Ricardo o olhou mudo. Pedro sorriu e saiu.

BOATE

O Bar da boate estava aberta somente porque Theo e Blenda imploraram. Estavam presente Guilherme, Matt e Carol.

Carol: só mesmo a Blenda para conseguir um privilegio desses.

Theo: ei e eu?

Matt: verdade, você também Theo.

Carol: por que não chamou o Ricardo?

Fernando: Liguei para ele, mas ninguém atendeu.

Continuaram a conversar e a beber. Ora ou outra Guilherme olhava para Fernando e vice-versa.

PRISÃO

O horário do almoço havia chegado, Lêo pegou seu prato de sopa quente e foi se sentar, no caminho, Quebra cabeça colocou o pé, fazendo Léo derramar a sopa em seu peito.

Léo: droga

Léo retirou a camisa rapidamente, estava todo vermelho. Ele olhou para Quebra cabeça.

Quebra cabeça: algum problema?

Léo: não.

Quebra cabeça: não foi assim que te ensinei.

Léo: não, meu macho.

Léo quase chorou de raiva e rancor.

Quebra cabeça; muito bem.

Léo ia saindo com fome quando Quebra cabeça deu um tapa na sua bunda.

Quebra cabeça: A noite vou te comer, sua puta safada.

Léo voltou para a cela, tremendo de raiva, socando a cama com tudo.

Léo: cadê vocês?

Falou se referindo aos seus homens da boca, que ate agora não foram nem visita-lo.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo e Pedro estavam almoçando. Ricardo so deixou Pedro comer porque estava enchendo o saco. Pedro parecia serio.

Pedro: Como o Sergio era com vocês? Antes dele fugir.

Ricardo ficou surpreso com a pergunta, mas percebendo o olhar distante de Pedro resolveu responder.

Ricardo: ele era legal, jogava jogos com a gente toda quinta –feira a noite.

Ricardo sorriu.

Pedro: ele me levava para assistir os jogos de futebol aos domingos, eu nunca gostei, só ia para chupar picolé, comer pipoca. Tinha 9 anos. Depois ele sumiu, nunca mais apareceu.

Ricardo: Ele sumiu daqui quando eu tinha 15 anos.

Pedro: e diz que não tem preferência. Mas gostei que ele sumiu, senão nunca seria o que eu sou hoje. Com 13 anos fui pra cidade do Maicon, já revoltado. Foi ai que tudo começou. Onde conseguir a mídia. Com 14 anos voltei para ca, foi quando vi o Theo beijando o Fernando despertando de vez minha homossexualidade. Ai veio o Breno, e todo o resto você sabe.

Ricardo: é, o resto eu sei.

Ricardo não sabia se olhava com raiva ou com pena para Pedro. O celular de Pedro tocou. Era Sergio, Pedro pois no viva voz.

Sergio: então?

Ricardo: Podem vim. Vamos dar uma chance.

Parte 2:

Sergio: obrigado, a noite eu e o André vamos para ai.

Desligou o celular. Pedro saiu da mesa.

PRISÃO

Já era o horário de visita. Os pais de Leo, estavam frente a frente no telefone.

Léo: vinheram ver o que vocês fizeram comigo?

Julia Bratho; não fale assim filho.

Léo: mas a culpa é de vocês, nunca gostaram de mim, fui obrigado a me refugiar.

Marcos: você é assim por que você quis. Se estivesse estudado não estaria aqui, olha seu irmão.

Léo: chega de falar daquele viado. Para de me comparar a ele. Sempre sofri por causa de vocês, sempre escondi meus sentimentos ate chegar ao ponto de não te-lo mais. Saiam daqui, nunca tive pais, não preciso ter agora.

Marcos: Não tenho filho vagabundo,

Marcos saiu, Julia Bratho não sabia onde se ia ou ficava.

Léo: vai embora, por favor.

Ela saiu chorando. Léo gritou de raiva e foi levado para cela.

-----------

NOITE

-----------

RESIDENCIA DE FATIMA.

Sergio e André saíram. Zélia e Fátima ficaram conversando.

Fátima: por que ele voltou? Por que ele esta fazendo tudo isso.

Zélia: ele... ele. Ele esta morrendo.

------------------------------

Augusto estava em casa com Rafael, quando Davi chegou da rua desde que saira pra escola. Davi entrou e viu Rafael, olhou para o irmão e saiu correndo de novo. No caminho viu Rodrigo indo para algum lugar.

Gustavo já havia saído da casa de Julia. A garota estava sozinha. Nicolas mandara uma mensagem dizendo que não poderia ir vê-la.

Gustavo estava chegando em casa. Falava com Felipe.

Gustavo: foi chato.

Felipe: aqui ta super chato.

Ainda conversando, abriu a porta, que parecia estar aberta.

Gustavo: estranho achei que tinha deixado trancada.

O celular escorregou da sua mão.Gustavo foi para ascender a luz, mas não ascendeu..

Gustavo: oxe, a rua ta toda iluminada, que será que houve?

Gustavo ouviu um barulho.

Gustavo: tem alguém ai?

Gustavo mal fechara a boca, e sentiu uma mão masculina o empurrando contra a parede, Gustavo não imaginou o que aconteceria ali. Sentiu alguém beija seus lábios.

???: eu te amo.

A Pessoa falou com uma voz diferente da normal. E saiu correndo, Gustavo ficou anestesiado

Parte 3:

Gustavo ficou confuso, a luz voltou misteriosamente, Gustavo tentou achar quem o beijará, mas não achara mais ninguém. Ficou processando o que havia acontecido ali, seu celular tocou ele pegou.

Felipe: O que houve? Por que desligou?

Gustavo: o celular caiu... não houve nada.

Felipe: Gustavo? Você esta bem?

Gustavo: estou sim.

Gustavo estava estranho.

Gustavo: tenho que desligar.

Gustavo ficou pensando no beijo, e mais importante quem era e como dizer o que houve para Felipe.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Ricardo e Pedro estavam na cozinha, quando ouvira a porta destrancar, Sergio e André entraram e voltaram a trancar.

Pedro: Por que trancou a porta novamente?

Sergio: porque não é para ninguém sair, vamos passar a noite toda aqui, só nos quatro, e com certeza a Amanda também. Fiquei muito feliz que vocês aceitaram ficarmos aqui reunido.

Pedro: Ricardo chamou eu não.

Ricardo: e só chamei para sairmos logo daqui.

André: qual é gente, vamos dar um chance pro NOSSO pai.

Ricardo: André, ele não deu uma chance antes de ir embora.

Sergio: Ricardo, Pedro, André, eu realmente estou muito arrependido, por que será que é tão difícil de acreditar em mim?

Pedro: você dizia que me amava PAI, e foi embora do mesmo jeito.

Pedro falou revoltado e se sentando no sofá

BOATE

O grupo estavam se divertindo na boate.

Guilherme: nossa gente, já esta muito tarde, tenho quer ir. Minha rua é muito perigosa.

Fernando se apressou.

Fernando: dorme na minha casa, é mais perto e menos perigoso.

Theo: é Guilherme, Léo foi preso, mas vai saber.

Guilherme: vocês dois tem razão, aceito sim Fernando.

Fernando e Guilherme se despediram e foram embora. Na casa de Fernando já estavam todos dormindo, entraram em silencio direto para o quarto. Estavam mortos de cansaço.

Fernando: bem, você vai ter quer dormir na mesma cama que eu.

Guilherme: tudo bem, posso tomar um banho?

Fernando: claro.

Guilherme foi tomar um banho seguido de Fernando. Fernando deu um dos seus pijamas para Guilherme e deitaram-se na cama. Nesse momento Fernando percebeu o que estava sentindo. Fernando estava ofegante.

Guilherme: Nossa, sua cama é muito pequena.

Fernando: verdade.

Ficaram em um silencio constrangido.

Guilherme: bem, Boa noite.

Foram se ajeitar para dormir quando os dois viraram para o mesmo lado, seus olhos se encontraram e se perderam um no outro. Fernando aproximou sua boca em Guilherme e o beijou. Guilherme esta imóvel e saiu apressado da cama.

Guilherme: o que você fez?

Fernando: Guilherme... eu... eu. Desculpa.

Fernando se levantou também.

Fernando: Não. Eu me apaixonei por você aos poucos, mas tava em duvida do que sentia por você, sei lá tive que te beijar para saber.

Guilherme: ...eu vou embora.

Guilherme trocou a roupa, Fernando ficou nervoso.

Fernando: desculpa, eu...

Guilherme saiu apressado. Fernando ficou em choque.

Fernando: o que eu fiz?

No caminho Guilherme chorou. Sentiu traindo Bruno.

RESIDENCIA FAMILA BRATHO

Henrique e Mauricio estavam deitados na cama se beijando. Ao pararem, Mauricio percebeu que Henrique estava pensativo.

Mauricio: um beijo, pelos seus pensamentos.

Henrique: eu estava pensando em voltar para o Rio.

Mauricio: Por que?

Henrique:Não tem mais porque ficarmos aqui, o Léo preso, meus pais logo voltam ao trabalho e vão embora. Ficar aqui vai fazer eu sofrer muito.

Mauricio: entendo, nós vamos então. Agora deixa eu pagar pelo seu pensamento.

Mauricio o beijou

BOATE

A boate já tinha encerrado a noite, quando Theo, Blenda e Matt estavam no camarim se ajeitando para ir embora. Quando o celular de Theo caiu. Matt foi pegar.

Matt: posso ver suas fotos?

Theo olhou quando Matt já estava entrando na galeria.

Theo: não.

Matt viu as fotos e olhou para Theo.

Matt: você? Você pegou meus desenhos?

Matt falou com raiva.

Parte 4:

Theo: Matt desculpa, eu...

Matt: você não tinha o direito de MEXER NAS MINHAS COISAS.

Matt alterou a voz. Theo se assustou. Matt jogou o celular de volta.

Matt: eu nunca me meti na vida de ninguém, para ninguém mexer na minha. Pensei que você era boa pessoa theo, me enganei.

Matt saiu com raiva. Theo ficou triste, Blenda foi consola-lo.

Theo: e agora?

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Estavam todos jantado a mesa, quando André percebeu que seu pai não estava se sentindo bem.

André: Pai? Algum problema?

Sergio: nada filho, nada.

Ricardo e Pedro olhou para os dois.

Terminaram de jantar, Sergio foi ate o banheiro, mas André estava intrigado e seguiu, enquanto Pedro e Ricardo ficaram na mesa. André se aproximou e ouviu a conversa de Sergio no celular

Sergio: então doutor, esta acontecendo não esta?

Doutor: sim, esta, lamento informa-lo.

Sergio começou a chorar.

Sergio: Obrigado por tudo, doutor.

Doutor: Sergio eu... Lamento mesmo, espero que tenha corrigido os erros do seu passado.

Sergio: estou tentando.

Sergio desligou o celular e ligou para Zélia.

Sergio: Zélia. Chegou a hora, estou morrendo. Não passo de hoje.

Os olhos de André encheram de lagrimas. Ele saiu direto para a mesa de Ricardo e Pedro.

Ricardo: ANDRÉ o que houve?

André: Ricardo, ele, ele esta morrendo.

Parte 5:

Ricardo e Pedro se espantaram com a noticia.

Pedro: como assim?

André: ele esta falando com a mãe e disse que não passa de hoje.

Ricardo: então é por isso, por isso que ele esta tentando ganhar nosso perdão.

Ricardo começou a chorar.

Pedro: AFF, pensei que tu era mais do que isso Ricardo.

Ricardo: do que esta falando, ele esta morrendo você não entendeu?

Pedro: e o que isso muda?

Ricardo: você é incapaz de sentir algum sentimento Pedro?

Pedro: ele esta morrendo, não muda o fato das coisas mudarem.

Sergio entrou.

Sergio: então vocês ouviram?

Sergio estava com lagrimas nos olhos. Ricardo e André foram abraça-lo.

Ricardo: eu te perdoo pai, por que não falou antes?

Sergio: não queria que vocês soubessem antes de acontecer.

Sergio olhou para Pedro esperando esse se manifestar, Pedro saiu da mesa para o sofá.

Ricardo: ele não vai te perdoar. E você não precisa do perdão dele.

Sergio: O perdão dele, é o qual eu mais preciso filho. Ricardo, aquilo tudo que você falou no seu aniversario, sobre ele. É verdade não é?

Sergio perguntou. Ricardo se espantou.

Ricardo: é sim pai,o pedro é um monstro.

Sergio: a culpa é minha.

Sergio foi ate o sofá e sentou-se ao lado de Pedro.

Pedro: o que você quer?

Sergio: pedir desculpas se eu não tivesse de abandonado, você não seria assim, não faria tudo o que você fez hoie.

Pedro: mas eu faço. E por mim não tenho nada que te perdoar e sim agradecer.

Sergio: você não é assim Pedro.

Pedro: eu já te perdoei certo? Chega.

Sergio achou melhor sair, voltou para Ricardo e André

Sergio: vou tomar um banho.

Sergio foi para o banheiro.

PRISÃO

A Hora da cela fechar é a pior parte da prisão para Léo, sabia o que aconteceria. Quebra cabeça estava sorrindo para ele.

Quebra cabeça: coloca você mesmo o pano hoje.

Para Léo só restava obedecer. Ele colocou o lençol e quando virou para trás Quebra cabeça já segurava os 25cm na mão.

Quebra cabeça: Cai de boca.

Léo foi colocando a boca com receio. Tinha algo em mente, não agüentava mais isso so restaria arriscar a sorte. Léo começou a chupar. Quebra cabeça pressionava a cabeça de Léo, quando Léo deu uma dentada de tirar sangue. Quebra cabeça o empurrou com um soco.

Quebra cabeça: Desgraçado. Ahhhhhhhhh

OS gritos de Quebra cabeça foi ouvido pelos policias que abriram a cela, estava sangrando muito, Quebra cabeça não conseguia se mexer de dor. Os policias levaram ele.

Quebra cabeça: isso não vai ficar assim, sua putinha, não vai.

Léo riu, estava livre dele agora... Por enquanto.

RESIDENCIA DE GUILHERME

Guilherme chegou em casa ainda chorando e foi direto para sua cama, levou os dedos aos lábios pensando no beijo de Fernando, ele sem duvida havia gostado, mas e Bruno? E as promessas dele.

Guilherme: Me desculpa Bruno, me perdoa meu amor.

Guilherme estava sofrendo, não sabia o que fazer.

RESIDENCIA FAMILIA MATARAZZO

Andre, Pedro e Ricardo estavam sentados. André e Ricardo no sofá e Pedro na cadeira. Sergio estava demorando no banho.

André: vou la chamar ele, estou com sono.

André se levantou e foi ate o banheiro, bateu na porta mais ninguém atendeu. André ficou nervoso e abriu a porta.

André: PAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

André se arrepiou todo, Sergio estava com um sorriso no rosto, deitado no chão do banheiro todo molhado . Seus olhos vidrados. Ricardo e Pedro chegaram no local. André estava chorando muito.

André: ele esta morto, Ricardo, ele esta morto.

A água do banho escorreu pelos olhos de Sergio, parecendo que estava chorando.

Continua...

No proximo Capitulo vai ser muito emocionante.Sera que pedro mudara com a morte do pai?



Leia também
Circunstâncias há 15 horas

Não quero me perder, procurando a perfeição... Ser perfeito em quê? ...
a_j_cardiais Sonetos 38


"A maldade" há 1 dia

De que me serve escrever, inventar, sonhar sem pensar No meu interior me a...
joaodasneves Poesias 8


"Não sei" há 1 dia

Hoje tenho vontade de rir Mas também tenho vontade de chorar Ja nem sei ...
joaodasneves Pensamentos 5


Domínio do Pecado ou da Graça há 2 dias

Se é impossível não pecar enquanto estivermos neste mundo, por que J...
kuryos Mensagens 19


Ventinho Delicado há 3 dias

Uma mulher passa com seu rebolado... Um ventinho delicado faz seu vestid...
a_j_cardiais Poesias 55


Mortos Vivos, Vivos Mortos há 3 dias

O que é viver? Tem gente que tem tudo, e não se sente feliz... Fica as...
a_j_cardiais Poesias 56