E lá estava eu, deitada em seu peito, curtindo cada momento como se fossem os últimos. 

Quando algo estranho aconteceu, você começou a pegar fogo, virou uma  fogueira. Você não me largava. Tentei me livrar de seus braços, mas você era mais forte que eu. 

E o fogo foi me queimando devagar. Aquilo doeu mais que mil e setecentos tiros. 

Então percebi que aquele não era você, era o príncipe Dunkelheit, ele havia me escolhido para ser sua princesa, e toda minha dor acabou quando ele me beijou. 

Eu não podia lutar contra ele. Sua boca se encaixava perfeitamente na minha, e mesmo que eu tentasse negar, eu o queria mais que tudo. 

E foi isso que me matou, o sorriso dele.