Parte 1:

Plínio e Robson engoliram saliva seca. Robson olhou para Plínio que também o olhava.

Robson: nada filha, não estamos escondendo nada de você.

Tonia: Mais eu ouvir, o Plínio falando, o que vocês estão escondendo?

Robson: eu já disse que...

Plínio o interrompeu.

Plínio: eu vou contar a verdade, Não vou esconder mais esse jogo Robson.

Robson: você não teria a audácia de contar.

Plínio: eu ainda a amo, Tonia, sei que eu contando o que eu fiz, esgotara todas as chances de você voltar para mim, mas eu não consigo mais guardar isso.

Tonia: Do que você esta falando Plínio?

Robson: Plínio, cale a boca rapaz.

Plínio: eu vou contar. Quando eu ainda estava na cadeia...

*** Plínio estava almoçando na prisão, ainda triste por Tonia, quando Robson chegou na grade e mandou os guardas pegarem Plínio.

Plínio: o que o senhor esta fazendo? Pra onde vai me levar?

Robson: tenho um acordo  para fazer com você.***

Robson segurou Plínio.

Robson: cala a boca garoto.

Tonia empurrou o pai.

Tonia: deixe ele terminar de falar, que acordo foi esse?

*** Robson e Plínio estavam sentados um em frente para o outro

Robson: acho que você já deve estar cansado de ficar preso inocente não?

Plínio: você me colocou aqui seu desgraçado, o que você quer de mim?

Robson: quero que você procure Tonia e a traga de volta. Em troca eu te tiro daqui.

Plínio: nunca, para quer você quer ela?

Robson: O avo dela esta morto, e deixou toda a herança para Tonia, e eu preciso de toda essa grana.

Plínio: não, não vou trair meu amor.

Robson: é melhor você me obedecer, ou sua vida vai virar um inferno ainda maior aqui dentro.

Plínio: entao que vire.***

Tonia olhou de Robson para Plínio, as lagrimas vinheram no olho.

Tonia: Meu avo? Esta morto?

Robson não tinha mais para onde fugir

Robson: esta sim, teve um derrame e não resistiu, mas havia deixado todo seu dinheiro e casas para você.

RESIDENCIA DE AUGUSTO

Depois da ceia, Auguso, Rafael, Davi e Clarisse voltaram para casa. Clarisse estava inquieta.

Clarisse: Já e tarde, Davi querido, não é melhor você ir dormir?

Davi: já vou tia, só estou esperando o Rafael, ele esta escovando os dentes.

Clarisse: e para que esperar o Rafael?

Davi: ele conta historia para mim dormir. Ai vem ele.

Davi e Rafael saíram. Clarisse aproveitou para falar com Augusto.

Clarisse: Augusto, você elouqueçeu, aquilo não é ambiente para você levar o Davi, nem e pra você freqüentar.

Augusto: como assim?

Clarisse: ali só tem desviado, e um demônio passa de um corpo para o outro, vocês podem acabar sendo influenciado e virar... gay

A mulher disse gay bem baixinho.

Augusto: isso é besteira tia

Augusto saiu para não dar mais conversa, foi para o quarto.Clarisse ficou na sala.

BOATE

Matt chegou com as malas já prontas para dormir na Boate, no quarto dos fundos, se sentia triste em passar a noite de Natal sozinho, mas para sua surpresa ao entrar no quarto encontra-se com Theo, com um vinho na mão deitado na cama.

Matt: o que faz aqui?

Falou com um imenso sorriso

Theo: vim passa o resto do natal com um membro da minha família.

Matt sorriu mais ainda e se deitou na cama de Theo, os dois ficaram se beijando.

RESIDENCIA DE TONIA

Plínio: Tonia, ele fez o que prometeu, fez minha vida virar um inferno la dentro e eu acabei concordando, em te levar de volta a qualquer custo, e ele me libertou. Mas ainda assim tentei fugir e por minha culpa sua mãe faleceu.

Tonia olhou para Plínio.

Tonia; como assim, por sua culpa?

Robson: já chega Plínio, pare.

Plínio: naquela noite...

*** Plínio desde então ficara hospedado na casa de Robson, seu celular tocou e era um numero desconhecido.

Plínio: alo? Quem esta falando?

Maicon: Plínio? De São Paulo?

Plínio: ele mesmo quem é?

Maicon: oi, eu moro na Bahia, eu sei de sua historia com Tonia, ela esta morando aqui na Bahia.

Plínio: tonia esta na Bahia? Mas como?

Maicon: você precisa vim para ca.

continuaram a conversar. Robson havia escutado a conversa junto com a mãe de Tonia.

Robson: então ela esta na Bahia. Quando você vai partir para la?

Plínio: eu não vou mais.***

Plínio: nós começamos a discutir, Robson correu atrás de mim com uma faca, eu me abaixei e a faca cravou no coração da sua ...

Tonia nesse momento não quis mais ouvir nada, partiu para cima de Robson.

Tonia: você, você matou minha mãe, seu desgraçadoooo.

Parte 2:

RESIDENCIA DE CAROL E BLENDA

Blenda não havia pregado o olho a noite inteira, apesar de carol ter dito que a criança era um presente de natal para as duas, Blenda não aceitava, ela vinhera de uma forma dolorosa e seria sempre o motivo dela lembrar aquele dia horrível. Carol estava dormindo quando Blenda saiu de casa ate um casa em outro bairro distante. Blenda bateu na porta, havia varias mulheres la dentro.

Atendente: Quem é você minha jovem?

Blenda: eu... eu me chamo Blenda.

Blenda falou vendo as meninas la dento, eram crianças segurando a mão das mães, eram adolescentes com namorados, adultas solteiras.

Atendente: você, procurara abortar seu bebe?

Blenda olhou nos olhos de cada pessoa e da mulher e saiu correndo.

RESIDENCIA DE TONIA

Tonia estava enfurecida com o pai, queria voar em cima dele, mais Plínio a manteve em seguro.

Plínio: acho melhor você ir embora Robson.

Robson: você me paga Plínio, por ter contado, você me paga.

Robson saiu apressado, Tonia caiu no chão chorando, sua família acabara de vez agora, não tinha mais avo, mãe nem pai. Ela sentia a dor de ta sozinho no mundo agora.

Plínio: calma Tonia.

Tonia então percebeu que Plínio o segurava e se afastou dele.

Plínio: sinto muito...

Tonia: Você, você mentiu para mim.

Plínio: eu precisava ajuda-lo Tonia, a cadeia é um inferno de lugar.

Tonia: não me importo do que você fez para sair da cadeia, mas você deveria ter me contando logo no inicio Plínio, e você ainda queira me levar de volta para ele realmente.

Plínio: não, ele estava me ameaçando, disse que ia por a culpa da morte da sua mãe em mim.

Tonia: não quero ouvir mais nada, sai daqui, preciso ficar só.

Plínio entendeu aquele momento para tonia e saiu.

Plínio: só espero que isso não interfira na sua decisão, quando a hora chegar.

Plínio saiu e fechou a porta. Tonia chorou desesperada sem saber o que fazer.

-----------

DIA

-----------

O dia do natal havia passado. Felipe acordou primeiro que a mãe Cecília, que acordou um pouco depois, tomaram café com o chocotone e outras comidas natalinas que sobrara.

Cecília: e ai filho, como passou a noite?

Felipe: saudades do Gustavo, mas bem. Hoje vou ver se falo com ele.

Cecília: isso ai filho, não desista do amor facilmente.

Continuaram a comer, ate que bateram na porta.

Cecília: quem será?

Felipe: deixa que eu abro.

Felipe se adiantou para abri a porta e quando abriu teve um agradável surpresa que fez seu sorriso estampa em seu rosto, fazendo Edgar também sorrir.

Felipe: Edgar?

Edgar estava lindo como sempre, Abraçou Felipe bem apertado e entrou com uma mochila.

Edgar: desculpa eu ter aparecido assim sem avisar, queria fazer uma surpresa.

Felipe: tudo bem, não tem problema né mãe?

Cecília: claro que não, afinal você cuidou bem do meu filho.

Felipe: mas cara, nossa, que saudade.

Edgar: é ne. Nem parece, nunca mais me ligou.

Felipe ficou constrangido.

Felipe: desculpa, estava passando por uns problemas. Mas cadê a cíntia?

Edgar: nós terminamos.

Felipe: nossa, por que?

Edgar negou-se a contar ficando em silencio. Felipe percebeu e todos sentaram para conversar.

RESIDENCIA DE RICARDO

Ricardo estava em casa sozinho, quando tonia chegou e bateu na porta.

Ricardo: tonia? O que faz aqui?

Parte 3:

Tonia: preciso conversar com você, por favor me deixa entrar.

Tonia chorava e abraçou Ricardo, que retornou o abraço desconfortável.

PRISÃO

Pedro estava na ala hospitalar, sendo cuidado, estava em repouso, havia outro Preso no local que recebeu alta. Outros presos poderiam visitar, como foi o caso de quebra cabeça.

Quebra cabeça: cara aquele Léo esta morto.

Pedro: calma, eu tenho um plano.

Quebra cabeça: o que você esta pensando?

Pedro: em uma forma de fugir daqui e matar o Léo do mesmo tempo.

Quebra cabeça espantou-se.

Qubera cabeça: como faríamos isso?

Pedro: vamos começar uma guerra aqui na prisão, e com a guerra uma revolução, matamos Léo e juntos nos fugimos.

Pedro sorriu e os olhos de Quebra cabeça brilharam com a idéia.

Quebra cabeça: feito, Pedro... Você é um ótimo vilão.

CENTRO DE APOIO

Rafael, Augusto, Guilherme e Fernando estavam no centro conversando, quando Lucio chegou na porta e entrou devagar.

Lucio: Ola, posso saber quem é Rafael?

Rafael se levantou.

Rafael: sou eu, quem é você?

Lucio: oi, eu me chamo Lucio, tenho um recado do Igor para você.

Rafael: do Igor?

Rafael virou-se para os outros.

Lucio: ele me contou o que houve entre vocês, e ele queria que você o perdoasse, ele já esta tratado, em breve ta saindo do hospital. Ele só quer seu perdão, e o de um tal de Gabriel e Miguel.

Rafael olhou para augusto que fez sinal positivo com a cabeça.

Rafael: obrigado. Eu vou falar com ele.

Lucio: e tem um recado que você pode dar a um tal de Guilherme por mim?

Guilherme: eu sou o Guilherme.

Lucio: ótimo, ele quer te pedir desculpas também, ele disse que ligou para você se passando por Bruno.

Guilherme chorou, Fernando observou o choro de Guilherme e percebeu sua tristeza.

Guilherme: então, foi o Igor que me ligou.

Lucio: ele quer que vocês o perdoem.

Lucio saiu, Fernando ficou meio triste pela situação de Guilherme.

DELEGACIA

Plínio estava na porta da delegacia, ele entrou direto no gabinete do delegado.

Delegado: posso ajudar?

Plínio: Tenho uma denuncia contra o Delegado Robson

RESIDENCIA DE TONIA

Ricardo estava sentando no sofá com tonia. Que não conseguia parar de olhar nos olhos de Ricardo, esse ultimo fugia do olhar do outro. Tonia contou tudo o que descobrira na noite anterior.

Tonia: e por isso, eu decidir. É você que eu quero Ricardo, é você que é o homem da minha vida. Por favor, volta a namorar comigo?

Ricardo levantou-se do sofá.

Ricardo: tonia, sinto muito, mas eu não consigo mais, não consigo mais olhar nem para você, me sinto sujo e injusto em você querer me aceitar de volta.

Tonia: não faça isso, com você, comigo. Eu já te perdoei

Ricardo: o problema é que eu não me perdoei.. Não meche com meu coração Tonia, por favor.

Ricardo abriu a porta para Tonia sair, quando Plínio apareceu.

Plínio: eu sabia que você estaria aqui Tonia, eu vim me despedir, vim dizer que Denunciei o Robson e ele foi preso, amanha será levado para São Paulo.

Tonia: essa é sua decisão ricardo?

Tonia virou-se para Ricardo.

Ricardo balançou positivamente com a cabeça. Tonia virou-se e beijou Plínio na boca selvagemente. Ricardo não demonstrou mais no fundo esta chorando.

Continua...

No próximo capitulo...

Como ficara essa relação entre Tonia e Plínio? Ricardo suportara? A relação de Felipe e Gustavo ainda tem jeito? E como a volta de Edgar pode afetar ainda mais essa relação. Fernando começa a questionar sua relação com Guilherme. Augusto e Rafael entraram em conflito com Clarisse e Pedro só esta começando a por seu plano em pratica.