Parte 1:

Pedro estava dentro do Segundo carro roubado, dirigindo pela cidade com a janela aberta recebendo o ar da noite estrelada.

Pedro: como é gostoso o aroma da vingança.

Pedro colocou um som e dirigia cantando e dançando rumo a boate, rumo ao fim de Fernando, rumo ao fim de Theo, rumo ao fim de Ricardo.

Pedro: a ultima dança de vocês.

BOATE

As pessoas dançavam ao ritmo da musica Titanium. Exceto poucos que estavam sentados nas mesas como Rafael e Augusto.

Rafael: amor, ligou para Davi?

Augusto: já sim, ele esta bem e disse que esta adorando ficar sozinho em casa. Na idade dele, imagine o que deve esta fazendo né?

Rafael: kkkkkkkk. Pois é. Quero nem imaginar meu filho fazendo essas coisas.

Augusto: é tão bonito quando vocês dois se tratam assim.

Augusto sorriu chorando.

Rafael: ahhh, não vai chorar né?

Augusto: é que nunca achei que minha vida ia melhorar tanto assim, eu pensei que pessoas como nós não tem final felizes, amor, família. E você me ensinou que existe. E que é lindo.

Rafael: Owww amor, assim também choro meu lindo.

Rafael segurou as mãos de Augusto e puxou para dançar e o beijando. Daniel levantou o copo de cerveja em incentivo ao filho.

A musica mudou para Dance Again deixando todo mundo mais solto. Ricardo dançava sensualizando para Tonia, os dois ficaram bem juntos.

Ricardo: amor, você viu o Henrique e o Mauricio?

Tonia: não, acho que não chegaram.

Ricardo: ué, por que a porta esta fechada?

Tonia: deve ter sido Nando que pediu.

Ricardo virou novamente para Tonia recebendo um beijo. No palco Theo protagonizava a dança com Matt. Felipe dançava com Edgar e Gustavo ao mesmo tempo. Piorando sua situação.

Thiago: Os dois estão muito em cima do Lipe, vai ser muito complicado.

Matheus: realmente, mas olha amor, que casal lindo.

Thiago virou para olhar Julia e André, todos dois dançando estupidamente duros, sem noção. E dando risada.

Julia: imagina quando a gente tiver que dançar no nosso casamento.

André: já esta pensando em casar?

Theo gritou e todos olharam para ele.

Theo: essa é a muuuuuusicaaaaaaa.

Estavam agora a curtir Call Me Maybe.

Theo: Nando, você é realmente meu amigo. Hahahaha.

Theo começou a jogar champanhe em todos que estavam pulando em baixo. Carol e Blenda se beijaram em meio ao banho. Zélia que estava sentada na mesa sozinha recebeu a companhia de Daniel.

Daniel: esses meninos de hoje em dia hein?

Zélia: Olha, em nossa época não era assim. Sou Zélia, mãe do Ricardo.

Daniel: prazer, sou Daniel, pai do Rafael

Zélia: oooow

A mulher falou quando se lembrou de Marta, mas rapidamente deixou a conversa de lado, pois Leonardo e Leila chegou na mesa.

Leila: Zéliaaaa

Zélia: Leilaaa

As duas se abraçaram. Quando outra mulher se juntou.

Cecilia: únicos adultos que vi aqui, que assim como eu não tem mais esse pique jovem. Posso me sentar?

Daniel: a vontade.

Ficaram olhando todos dançando e curtindo a vida. A musica mudou novamente fazendo Blenda e Theo chorarem, era a musica que os dois cantaram na primeira vez na boate. Theo puxou Blenda para cantarem juntos. No lado de fora Pedro parou o carro e olhou para boate

[ THEO]

El silencio se va

Junto a mi ya no esta

El dolor se marcho

Y mi alma es libre del temor

[ BLENDA]

Comprendi que si estoy aqui

Es porque yo asi lo decidi

Conocer, y reconocer

Que nada es perfecto

Y el defecto es bello tambien

[ THEO]

Libertad, libertad

No voy abandonar mis sueños

[THEO E BLENDA ]

Libertad, libertad

Es tiempo de vivir sin miedo

yo solo quiero...

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

[THEO]

Deja atras el disfraz

quema ya el antifaz

tu destino es vivir

y sentir, dejando de fingir

[BLENDA]

Puedo amar, no hay oscuridad

Hay nuevos horizontes que buscar

[JUNTOS]

Hoy mi fe me hace creer

[THEO]

Que tengo mil razones

Para tocar el cielo y gritar

[BLENDA]

Libertad, libertad

No voy abandonar mis sueños

[THEO]

Libertad, libertad

Es tiempo de vivir sin miedo

[JUNTOS]

yo solo quiero...

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad...

(bis)

[THEO]

Libertad yo vivo en libertad

No tengo que ocultar mi personalidad

Libertad yo vivo en libertad

No me voy a cerrar, yo busco libertad

Pedro desceu no carro e escutava a musica de Theo e Blenda, se dirigiu ate os seguranças.

Cesar: cade o Léo?

Pedro: esta vindo, por favor abram a porta e entrem comigo.

Os dois abriram a porta devagar e Pedro e eles entraram, e ficaram parados observando Theo enquanto trancavam a porta.

[ THEO]

Libertad, libertad

No voy abandonar mis sueños

[THEO E BLENDA ]

Libertad, libertad

Es tiempo de vivir sin miedo

yo solo quiero...

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

(yo solo quiero)

Li li li libertad tad tad tad

[ PARAR ]

Os dois pararam e todos aplaudiram, quando tudo ficou em silencio após ouvir dois tiros vindo de dentro da boate, e todos se viraram para trás a tempo de ver os dois seguranças caírem mortos no chão.

Pedro: Por que a festa acabou?

Ricardo: Pedro?

Parte 2:

Pedro: olá irmãozinho, nooossa, vejo que a galera esta toda aqui, não conheço muito de vocês, então basta não se meteram no meu caminho que serão poupados. Agora, onde esta o Fernando?

Ninguém se manifestou deixando Pedro sem Fernando, Fernando também não se mexeu do lugar.

Pedro: Serio que ninguém vai dizer?

Dentro do banheiro Edgar e Gustavo que haviam  escutado o parar da musica e a voz de Pedro.

Gustavo: esta acontecendo alguma coisa la dentro.

Edgar: espera.

Edgar olhou para fora e viu Pedro de costas e os seguranças mortos.

Edgar: meu deus, tem alguém armado la dentro e duas pessoas feridas. Lipee.

Gustavo: o que nos fazermos? Deixei o celular em casa.

Edgar: o meu descarregou. E agora?

HENRIQUE E MAURICIO

Os dois estavam bem amarrados, tentavam se mexer o máximo que podiam mas a corda estava se afrouxando muito pouco, horas já haviam se passado. Henrique chorava olhando o local onde Léo estava.

Mauricio: calma amor, falta pouco, só precisamos... conseguimos.

A corda ficou muito mais frouxa e caiu sobre os pés dos dois. Henrique em um ato desesperado correu para onde Léo estava e começou a cavar chorando. Mauricio viu suas mãos começarem a sangrar.

Mauricio: calma amor, calma.

Henrique: me ajuda, ainda vai dar tempo, me ajuda.

Mauricio entregou uma pá a Henrique e com a outra começou a cavar. Dentro do caixão, Léo já estava suando muito, suas vistas estavam escurecidas, o ar já estava faltando. Lagrimas desciam em seus olhos. Sua consciência já estava perdida

Léo: vou te encontrar Marilia, me perdoa por tudo que eu me tornei.

A voz de Léo quase não saia, devido a falta de ar. Léo começou a se debater loucamente no caixão, quando seus olhos vidraram e todo seu corpo parou de se mexer.

Henrique e Mauricio chegaram ao fim da escavação e puxou o caixão, abriram e encontraram Léo desfalecido.

Henrique: nãoooooooooooo, meu irmão. Eu sinto muito, eu sintooo muito.

Henrique deitou-se sobre o corpo de Léo chorando.

Henrique: eu te perdoou irmão, descanse em paz.

Mauricio: amoooor, precisamos correr, lembra? O Pedro ele esta indo para boate, precisamos chamar a policia, vamos.

Henrique se levantou e balançou a cabeça positivamente e saiu correndo junto com Mauricio.

BOATE

Pedro estava ficando impaciente, mas sabia que não poderia se mexer ou poderia ser atacado por todos, já que ele era só um.

Gabriel: Se todos forem para cima dele?

Miguel: Seria arriscado amor, ele pode sair atirando e ferir muita gente.

Theo: Fernando, onde você estiver não saia amigo, por favor.

Pedro atirou no palco, mas não para pegar em Theo.

Zélia: você esta louco garoto, para com isso.

Pedro: a puta que roubou meu pai, esta falando comigo é isso?

Ricardo: deixe ela em paz Pedro.

Tonia segurou Ricardo que estava furioso.

Pedro: tanta gente aqui, o Léo iria mesmo fazer um extermínio aqui.

Pedro: FERNANDOOO APAREÇA OU EU VOU COMEÇAR A ATIRAR.

Fernando que estava escondido não por querer mais sendo obrigado por Guilherme, eles estava atrás do balcão. Perto de Pedro, perto dos seguranças caídos.

Fernando: me deixa ir amor, ele vai matar todos.

Guilherme: não Nando, já perdi meu primeiro amor, não vou perder você também.

Dentro do banheiro, Edgar estava na porta observando tudo. Pedro tinha dado alguns passos para frente, deixando a porta livre. Quando os olhos de Edgar bateram nas armas no bolso dois seguranças.

Edgar: Gustavo, olha aquilo. Se nós pegarmos, atiramos nele por tras.

Gustavo: se ele nos ver?

Edgar: eu amo o Lipe, se você o ama também, deveria se arriscar por tudo.

Gustavo: eu o amo sim, vamos pegar a arma

Ricardo: me leve Pedro, mas deixe o Fernando e todos os outros em paz.

Pedro: não, não. É o fim da linha e vou levar, você, a bicha cantora e o Nando. Sempre foi o plano desde quando cruzei o caminho de vocês.

Plinio: Pedro, cara. Você não quer ser preso de novo quer? Aproveita e fuja.

Pedro: Plinioooo, não vou fugir, nem vou ser preso. Primeiro quero matar os três, depois eu vou embora

Maicon: Pedro, eu te conheço, você não quer fazer isso, se você quisesse mesmo já teria ferido alguem por isso.

Pedro: Naõ seja por isso, priminho.

Pedro disparou a arma atingindo a perna de Maicon.

Maicon: ahhhh

Plinio: Maicoooon, Meu Deus, ele esta louco.

Pedro: sabe que é a segunda pessoa que me fala isso e ele não terminou bem.

Fernando chorou e tentou sair, sendo impedido por Guilherme. Maicon gritava de dor enquanto era socorrido por Plinio.

Matt tomou a frente de todos, para proteger Theo.

Matt: se você atirar em todos nós, uma hora as balas vão acabar e Theo e os outros estarão salvos. Tonia tomou a frente junto com Matt. Seguido de Miguel e Augusto. Quando viram Edgar e Gustavo saírem do banheiro. Felipe arfou e Edgar fez gesto de silencio.

Edgar e Gustavo andavam devagar em direção aos “seguranças” para Pedro não ver, deixando a cargo dos outros o distraírem.

Pedro: aiii gente, vou chorar, que cena mais emocionante essa de vocês, o amooorr. O amor que destrói tudo. Nandooo serio que você vai deixar todos eles morrer?

Theo: cala a boca Pedro. Nando não saiaaa.

Edgar e Gustavo conseguiram chegar ate os seguranças, mas falharam, Pedro os viu

Pedro: mas que diabos esta acontecendo?

Pedro apontou a arma para os dois.

Felipe: Nãooooooooo deixa eles em paz.

Felipe saiu correndo na frente, Thiago e Matheus tentaram o segurar, mas Felipe já estava perto de Pedro.

Cecilia: Lipeeee, não filho.

Edgar: Lipe amor, esta tudo bem.

Gustavo: Lipe. Escute sua mãe.

Pedro: Lipe, Lipe, Lipe. Quem é você garoto?

Felipe: por favor não faça nem um mal a eles.

Pedro: mais amor ninguém merece, vejamos. Tem dois ali, escolha um que você quer ver vivo.

Felipe: nãoooooo, quero os dois vivos.

Pedro: resposta errada, escolha um ou morre os dois.

Ricardo: Pedro, para com isso. Sua historia é comigo, Nando e Theo. Deixe o Felipe em paz.

Pedro: mais eu gostei do Lipe, ele é bravinho. Então Lipe, já decidiu ou quer que eu mate os dois.

Felipe correu para frente dos dois, embora um estivisse distante um do outro.

Pedro: Então ta, se eu atirar em um e você tomar a frente eu atiro no outro o que vai ser?

Edgar: Lipe, eu não me importo de morrer por você. Por favor volte.

Gustavo: pode atirar em mim, eu errei muito com o Lipe, mas ele tem a chance de construir um novo começo com Edgar. Se você quer matar alguém, atire em mim.

Edgar: não, atire em mim.

Gustavo e Edgar fechou os olhos. Felipe acompanhou o revolver com os olhos, Pedro ia atirar e o corpo de Felipe se mexeu involuntariamente para aquele que seu coração escolheu. Em um passe rápido Pedro girou a arma para o outro. Edgar abriu os olhos e abraçou Felipe que estava tomando seu corpo. Gustavo abriu os olhos e chorou.

Pedro: é garoto ele escolheu o outro.

Fernando: Paraaaaaaa, é a mim que você quer. Paraaaaaa

Fernando deu um grito saindo do balcão. Guilherme indo atrás, Fernando ficou frente a frente com Pedro.

Nao percam o penultimo capitulo de Descobertas Adolescentes.