Grazia era uma camponesa que tinha vinte e nove anos.

Ela tinha sido uma mulher cega de nascimento..

Ela ia à pequena Igreja do convento para poder conhecer Padre Pio. Uma vez Pe. Pio lhe perguntou se ela queria ver.

"Claro que eu quero!" respondeu a menina, "mas eu quero ver se esta chance não é mais uma piedade", ela continuou.

"Bem, você recuperará", lhe respondeu o Pio, e ele a enviou a Bari (na Itália) onde trabalhava um doutor muito bom que era o marido duma pessoa amiga do Pe. Pio.

Mas o doutor, depois de verificar r os olhos da paciente, falou para a esposa dele: Não há nenhuma esperança por esta menina.
É unicamente o Padre Pio que pode recuperá-la com um milagre; mas eu tenho que mandá-la de volta sem a operar”.

-Então a esposa dele insistiu e falou para o marido: "Mas se Padre Pio a enviou a você... você poderia tentar operar pelo menos um dos olhos".

- O doutor concordou e operou ambos os olhos . Os olhos de Grazia foram recuperados. Ela podia ver agora.

Quando já estava de volta em São Giovanni Rotondo, ela correu para o convento e se ajoelhou aos pés de Pe. Pio. O frade lhe ordenou que se levantasse.

Ela contou que lhe pediu: "Abençoa, ó Padre... me abençoe”! Então ele marcou o sinal da Cruz na testa dela, mas ela continuou esperando para ser abençoada.

Na realidade, quando ela era uma mulher cega, Padre Pio a abençoava fazendo o sinal da Cruz na cabeça dela com a mão dele.

Por isso naquele momento Padre Pio disse:

"Por que precisa você de uma bênção?... você precisa de um balde de água?