Poliana

30 de Setembro de 2011 Ariano Contos 1590

Quando Poliana fala e escreve — ou simplesmente olha —, é invariável: ela vibra como um insosso livro de auto-ajuda. Encontrou na academia, como professora, o público de que precisava para espalhar sua bem-intencionada e previsível purpurina.

Aos 35 anos, o sorriso sem-graça de seus lábios mal sabia o que era um beijo; no entanto, era leitora ávida de romances e poemas de amor molhados por lágrimas idealizadas — e por nenhum outro fluido mais grosseiro.

Num passe de mágica, apareceu grávida de um aluno.




- - -
www.homensqueamam.blogger.com.br

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
" Amar é" há 2 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 4


PAU DE FITAS há 7 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 7 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 11 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 32


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 12 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 17 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16