Dança da morte

17 de Janeiro de 2012 Cássio de Sousa Contos 1104

Roger um garoto jovem de 17 anos não consegue dormir. Se levanta e vai a janela ver a rua em plena 12:00 da noite. Ao ver alguém dançando e ao mesmo tempo caminhando para algum lugar, acha graça e sorrir de sua cara. Passou a noite em claros.
Indo a escola pela manhã viu um estranho em sua cidade, viu um velho. Chegando na escola recebe a notícia que o empregado de certa pessoa havia morrido. Quando saiu da escola se dirigiu a multidão que envolvia o corpo, ao ver o cadáver percebe que é o daquele que viu dançar na noite passada.
A noite chega mais uma vez para Roger assim como a insônia, e como última vez se dirige a janela, e para seu espanto ver outra pessoa dançando e indo para algum lugar. Amanhece, e vai para a escola, chegando lá recebe a notícia que o patrão do finado empregado desta vez é quem havia morrido. Percebe que se tratava da pessoa que viu na noite passada. A noite chega e o sono nele também, mas ele luta para não dormir, vai a janela na mesma hora de sempre e ver outra pessoa dançando indo para algum lugar. Quando é pela manhã vai à escola, e ao invés de ouvir a notícia ele a dar primeiro, ao sair da escola viu que era a mesma pessoa de ontem a noite.
Concluiu então que o culpado daquilo era o velho estranho, pois esse fenômeno começou a acontecer assim que ele apareceu em sua cidade. Quando foi de noite procurou pela casa do velho até encontrar sua residência. Encontrou sua casa a meia noite, e olhando pela brecha da janela viu o velho dançando diante de um cadáver, e na testa do cadáver viu uma foto de alguém. Sai correndo de medo ao olhar aquela cena. Correndo ver a pessoa que viu na foto dançando e indo para algum lugar. Tem certeza que irá morrer aquela pessoa. Com medo daquilo corre para sua casa, e de espantado que ficou não consegue dormir.
Amanhece e vai para a escola, lá seus amigos o avisam sobre mais uma morte misteriosa que houve. Ao sair da escola nem para o local onde o cadáver se encontra ele vai. Antes ele vai para sua casa tentando esquecer de tudo aquilo. Chegando lá sua mãe o avisa que um senhor de idade se apresentando de diretor de sua escola, pediu uma foto sua dizendo que era para colocar no dossiê. Roger percebeu que era uma cilada do velho, pois sua escola não havia diretor e sim diretora e esta estava viajando.
Quando a noite chegou seu medo aumentou mais ainda e a medida que as horas passavam seu choro aumentava de tanto medo que ficava. O relógio da parede marca 12:00, e de repente sem sua vontade própria começa a dançar, sai de sua casa e dançando se dirige até ao cemitério de sua cidade. Caminhando e dançando ver alguém na janela de uma casa rindo de sua cara. Ao se aproximar do cemitério ver uma mulher horrível dançando e um homem horrível batendo tambor. Chegando mais perto ainda ver as almas de todos aqueles que antes viu dançar pendurados sobre uma cruz, cada um numa, e viu que tinha uma vazia, percebe que era para ele.
Quando foi de manhã, Fábio, aquele que viu Roger dançar a meia noite na estrada, recebe a notícia de que alguém havia morrido. Estava Fábio na escola quando recebeu a notícia, e ao sair se dirige até ao corpo e repara que o cadáver era daquele jovem que viu dançar ontem a noite.


Leia também
Lembra? há 3 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 3 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 3 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 13


Fluxo do tempo. há 3 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 16


Sou há 3 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 16


Ame...! há 3 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 13