Uma vez estava eu sentado na minha varanda
com um violão, dedilhando algumas notas
quando vi Ela passar...
Tão linda quando uma lua cheia, raro como um cometa e seu perfume tão maravilhoso quanto a de uma orquídea.
Fitando diretamente, ela percebeu e retribuiu com um belo sorriso, meu coração acelerou e no mesmo momento senti a tudo girar, um frio que veio do alto da cabeça as sola dos pés. Levantei-me e fui em sua direção, ao chegar perto do seu corpo, senti o seu calor, uma estrela brilhante que me aquecia como o sol, então disse-lhe tais palavras em quanto pegava delicadamente a sua mão:

“ Sua pele é tão macia quanto a seda, seu corpo tão lindo esculpido cuidadosamente por Deus para que houvesse a perfeição, seu olhar tão apaixonante e ao mesmo tempo amedrontador, que deixaria um homem sem atitudes sem ação, seus cabelos ondulados como o mar e seus lábios...ah os seus lábios, mesmo se fossem um doce veneno, eu adoraria beijar.”

Depois de lhe pronunciar minhas palavras inspiradas por uma Deusa que ali estava, em pé em minha frente, senti um toque em meu ombro, quando me virei para olhar, meu mundo estava a rodar. Um golpe forte e certeiro no olho esquerdo havia acabo de levar, com um destino tão cruel e me trazendo a realidade, então pude reparar...uma aliança em sua mão esquerda!

Então percebi, que não pode se ter uma mulher tão linda quanto ela, quando ela está casada com o destino e ele tem quase 2metros de altura...
Agora com o olho roxo volto a sentar na varanda da minha casa a observar....

FIM