O Pinico de Ouro
História imaginável do osnofa

Se você pensa que só o Saddan Russen tinha pinico de ouro, está redondamente enganado, há um grupo de pessoas seletas e excêntricas, em outros países e no Brasil que tem em casa o seu pinico de ouro. O osnofa imagina que em Itaúna alguém tem o Pinico de ouro e como imaginar é possível aí vai mais um dos causos do osnofa.
Quem me contou este causo foi o Bigode atleticano roxo, ex-funcionário da CIA Itaunsese, que jogava xadrez na pastelaria do Miranda do Correio de Itaúna e garante que é extremamente verídico, existe até uma foto e o registro fotográfico foi feito pelo famoso Osvaldo fotógrafo, aquele que tinha um estúdio na esquina de Rua Silva Jardim com Rua Francisco Santiago, aquele da Kombi azul calcinha. Você lembra!? Ele parava ali na Praça próximo a fonte luminosa e pendurava as fotos na Kombi com o seguinte dizer: mandou tirar e não pagou. Pra ficar mais fácil para o leitor entender onde era o Foto do Osvaldo, ficava ao lado da Farmácia do Ovídio, próximo a Estação Ferroviária e foi o Osvaldo quem tirou a foto do pinico de ouro, que com certeza ainda existe, eu não sei quem é o guardião desta relíquia. Gostei desta prosa do amigo Bigode e agora vou fundo pra descobrir quem era o dono e onde está este pinico de ouro, ainda quero botar a bunda nele.
Segundo o Bigode ali na Rua Silva Jardim, precisamente na Vila Guarany onde morava o famoso Guarany, pai do Dr. Guaracy de Castro Nogueira, grande estudioso da árvore genealógica da família itaunense e região, ex-Reitor da Universidade de Itaúna, ex-Chefe Político da cidade e ex-vice-Prefeito e ex- Prefeito da Educação; sempre aparecia um Sr. de meia idade, portando um embrulho debaixo do braço, a embalagem parecia uma bola de futebol e ia direto na casa do Guarany pra prosear. Muitas vezes o vi chegando lá, na verdade eu nunca vi o tal pinico de ouro, mas alguém viu e a notícia se espalhou na cidade e em todo canto que você ia sempre alguém falava que o Guarany tinha um amigo, que tem um pinico de ouro.
Este fato aconteceu há cinquenta anos e encontrar nos dias de hoje o pinico de ouro é literalmente impossível, mais impossível seria encontrar a foto do Osvaldo fotografo que garante a veracidade do causo que o amigo Bigode me contou. Então o jeito foi apelar para o meu Pai de Santo Japa, que ontem deixou um recado na minha caixa de e-mail. O Sugiro, pra quem não conhece, é um pai de santo japonês, que sempre baixa em mim quando estou escrevendo os meus causos e segundo suas pesquisas espirituais há um registro que alguém tenha de fato tido um pinico de ouro na cidade de Itaúna e que toda esta história não é invenção do amigo Bigode e nem do osnofa.
Ai vai a integra do e-mail, que o meu Pai de Santo Japa deixou pra mim:
Caro amigo osnofa arigatô! Toda esta sua criatividade em fazer o leitor sonhar que Itaúna tivesse mesmo o pinico de ouro, foi muito legal. “A sabedoria de um homem pode mudar a vida do outro”. Tenho pra você uma boa notícia, em minhas pesquisas no mundo espiritual encontrei duas relíquias de Itaúna, uma delas esta bem em minhas mãos, é o pinico de ouro, encontrei-o, e o mesmo foi de um cidadão que morou em sua cidade há cinquenta anos e ficou famoso por ter um pinico de ouro; outra notícia é a foto que o fotografo Osvaldo acabou de me entregar em mãos, de fato o pinico de ouro não foi só um causo criado por você amigo osnofa, existiu em Itaúna um pinico de ouro, caro amigo, a imaginação da forma as coisas e tudo que se transforma em objetos, existe de fato graças ao poder da imaginação. Sayonara osnofa!

Osnofa.una@hotmail.com