O Vício

11 de Maio de 2013 Alexandrino Contos 903

Como um filme onde alguém caminha ofegante, tropeçando a todo momento fugindo de si mesmo. Uma sombra que se esgueira e pula de uma poça de sujeira a outra. O vício invade a cabeça, corrompe os limites, confunde e inflama os pensamentos do homem putrefazendo sua vida em um desejo imundo e insaciável. O vício planta seus ovos como mosca na ruína, na podridão do devaneio libertino, na ânsia de substituir algo que antes dava prazer e agora não existe mais. É o sorriso artificial que se desfaz com a fumaça.

Quando se busca a felicidade roubada no fundo do copo, na fumaça do cigarro, no exagero e na dependência química do cérebro, o vício espreita de perto. No coração aflito, planta suas raízes e se alimenta dos pensamentos ruins, sugando a seiva da alma e reduzindo a vontade de viver ao entorpecimento, à fuga da realidade, à escravidão dos desejos.

Fugir do vício é como se perder numa floresta a noite, afundar os pés no pântano da abstinência a cada passo e encontrar uma raiz que os puxem. Um labirinto terrível que conhece cada centímetro das tuas emoções e saberá quando você deseja virar pra esquerda ou direita. Como é faz para fugir de si mesmo em busca do que restou? Restaurar o que não apodreceu e matar aquela ânsia de buscar aquilo que desvirtua?

Todo ser humano é inseguro de si, frágil, vulnerável e influenciável, mas nada o deixa mais fraco do que o orgulho. Querer se fazer forte no estalar de um pensamento é como acender uma fogueira com galhos verdes. Por mais inteligente e esperto que seja, bastará um momento de epifania para inflamar o ego em soberba e baixar a guarda, e é nessa hora que o homem afundará em ruína e a queda do império inicia.

Qualquer um que queira se libertar de seus ímpetos deverá renunciar a si mesmo, buscar na amizade um sustentáculo para se apoiar, no trabalho uma ocupação para a mente e na família uma base para o caso de cair, mas primeiramente, superar a si mesmo, e se conseguir, poderá dar graças aos céus, por que ninguém é mais forte diante de Deus do que aquele que admitiu ser fraco e buscou resistir assim mesmo.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
A rua me aceita como sou há 2 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 30


Não seja superficial há 3 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 36


"Dia do amor" há 5 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 13 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 13


"Estou cá a matutar" há 13 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9


A Humildade nos Cai Bem há 18 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 9