O Monstro

21 de Agosto de 2013 Elias Lima Contos 4283

Um dia acordou e assustadoramente ele estava lá.
Não acreditava naquilo. Como aquele monstro poderia ter saído dela?
Instinto de sobrevivência (saída de emergência): é matar ou morrer.

É, matar os nossos monstros dói menos do que enfrentá-los. E ela não queria viver isso de novo. Não queria mesmo.

E decidiu-se. É sangue.
Dele.

E o monstro parecia não perceber nada. Estava deitado lá no berço, com um sorriso de ingenuidade que só seres com pouco dias de nascido conseguem ter. Mas grandes fantasmas nos assustam com belos sorrisos né?

Foi até o porão que não entrara desde a vez que teve de enterrar os seus cachorros de estimação envenenados.

Ah, mãe... Por quê?
Por que fez isso?
Eu amava tanto eles..
Uma lágrima então escorreu em seu rosto...

Numa onda de dor, mágoa e revolta a coragem então veio socorrê-la e ela não hesitou em pensar na velha enxada que usou para enterrar os seus amáveis pinches. Uma sensação de alívio então veio.

Enfim, acho que agora a dor se vai..
E eu nunca mais vou me sentir assim..
Nunca mais.

E foi até o seu quarto onde o medo se encontrava e num delírio persecutório ela então pegou aquela criatura sorridente pelos braços e não conseguiu ouvir um choro sequer desse demônio. Ela estava muito mais morta por dentro. E enquanto caminhava, sua alma gritava revirando-se em suas feridas escondidas.

Começou a cavar. E enquanto cavava, lembrava de cada cachorro que enterrou contra sua vontade quando tinha apenas sete anos. As lágrimas escorriam de seus olhos trêmulos e brilhavam em seu rosto atormentado.

“Por que você fez isso mãe ?”
“Por que?”..

E o buraco estava feito. Ela via o rosto de sua mãe na cova nesse instante. E tomou-se de um imenso ódio e num desespero súbito de um provável arrependimento, devido a pouca humanidade que ainda lhe restava, chutou o monstro para o buraco como se fosse um saco de lixo.

Pronto.

Nunca mais monstro, nunca mais dor, nunca mais revolta, nunca mais cachorro.

Nunca mais mãe.

O monstro então, enterrado e silenciado, estava dormindo profundamente num quarto escuro da sua memória de onde ele nunca deveria ter saído.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Feliz...dia...de...São João" ... há 1 hora

Quem dera ir mais além, cantar mais alto Sobre esse chão salgado onde na...
joaodasneves Poesias 4


No Vento da Literatura há 2 horas

Gosto da poesia quando chega de surpresa... Pode não ter beleza, mas q...
a_j_cardiais Poesias 27


Bendito Amor Eterno há 22 horas

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 11


"Vendo" há 1 dia

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 7


"Te amo vinho tinto" há 1 dia

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 9


Gradeados há 1 dia

O céu está logo ali, depois dessa janela enjaulada... Meu amor é qua...
a_j_cardiais Poesias 60