Ao contrário.

03 de Setembro de 2013 RJ Mendes Contos 654

A imensa necessidade de sentir e de não sentir nada.
Preso na solidão que leva a crer que é alucinação.
Mas não é solidão.
É um vazio que abita a alma.
Que respira seu ar e rouba a sua vida.
Tudo girando ao contrario.
Vazio que pulsa sem vida, pulsa machucando o seu ser.
Deixando-te sempre sensível.
Algo roubado que não se sabia que faria falta.
O que foi roubado?
Não se sabe, apenas ficou o vazio.
Uma pequena loucura que te traz de volta alguns pensamentos.
Sem propósitos, querendo se esconder.
A ferida vai se curar, vai se fechar.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
A Morte Em Cartaz, Cap 1 há menos de 1 hora

Prólogo Periferia de Atlanta, Quinta-feira, 23hrs:17min Marion re...
lordemoura Acrósticos 5


Sociedade Desalmada há 1 hora

Sou um ser muito sensível... E ser sensível é horrível, no meio desta...
a_j_cardiais Poesias 25


LUSO-BRASILEIRO - Des-História Universal há 4 horas

LUSO-BRASILEIRO Assim como a cor d'olho não colore Aquilo que se tem ...
ricardoc Sonetos 6


Uma Tal Pedra há 21 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 24


Mundo da Gataria há 21 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 45


A história do amor há 22 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 35